quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Cuide para não cair

1ª Coríntios 10,12 - Portanto, quem pensa estar de pé veja que não caia. Com esta chamada de atenção, o apóstolo São Paulo, nos relembra de uma realidade que deve estar muito presente em nossas vidas e que foi dita por Jesus: “vigiai”.

Vigiar é ficar atento, é estar atento, é tomar conta, é não se distrair. Quando se diz que quem está de pé, cuide para não cair, a lição espiritual que vemos aqui está diretamente relacionada com a distração que nos faz pecar através de nossas “quedas” ao aceitarmos as tentações em nossas vidas.

“Não desanimeis nos ventos contrários”, dizia Santa Paulina. É onde, sem dúvida o cuidado para não “cairmos” no pecado, deve ser redobrado, senão triplicado. Afinal, a questão da salvação de nossas almas é assunto muito sério. O diabo nunca está para brincadeira. Ele não se cansa e não desanima. Por que nós vamos relaxar em nossa vigilância?

Como uma criança que está sentada a brincar, já com sua pouca idade, ainda sem um bom equilíbrio, já aprendeu que precisa estar “atenta” ao seu modo de ficar sentada, pois do contrário irá cair, muito mais nós devemos espiritualmente tomar o mesmo cuidado.

Como uma criança que mesmo sozinha, segue em frente em suas brincadeiras, quando todos os seus amiguinhos estão a dormir, muito mais nós, devemos “arregaçar as mangas” e andarmos com nossas próprias pernas pois de nada adianta reclamar o peso da cruz. Ninguém vai leva-la para nós. Podem nos ajudar, assim como Jesus recebeu ajuda, mas ela não sairá de nossas costas, se quisermos chegar ao céu.

Que sejamos como as criancinhas, nos ensinou Jesus. Em todos os sentidos. Santa Terezinha do Menino Jesus e da Santa Face, a santa da pequena via, queria ser uma grande santa, mas tinha consciência de sua pequenez. Então em cada mínimo gesto, tudo era entregue a Deus. Em total dependência do Criador.

Mas e se cairmos? Ora, façamos como as crianças. Que aprendem com seus tombos e recorrem aos braços dos pais. Se caímos, tratemos de levantar. Se não conseguimos sozinhos, como uma criança bem pequenina, choremos a Deus em nossas orações. E peçamos a Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, seu auxílio e intercessão para seguirmos firmes no caminho que seu filho trilhou rumo aos céus. Se nosso choro (oração), não nos levar a nada, algo está errado. Devemos estar esperneando e gritando como crianças birrentas, tentando arrancar de Deus negociações que nos beneficiem os interesses.

Não é assim. Se não formos humildes e reconhecermos o nosso nada, pois somos servos inúteis, criados para fazer a vontade do Pai e glorifica-lo, não iremos aprender com nossas quedas e assim sendo, nunca chegará o dia em que iremos parar de cair.

O que vamos escolher? Ficar de pé seguindo o caminho da porta estreita ou ficarmos caídos nos flagelando e culpando tudo e todos pelas nossas escolhas.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário