quinta-feira, 30 de junho de 2016

O caminho do abismo



Ateus, mas adoram o demônio


Para quem, como eu, trabalha e vive já há muitos anos em meios católicos, é difícil compreender que pessoas mentalmente sadias não acreditem na existência de Deus. Mais ainda, que muitos dentre esses disponham-se a praticar cultos satânicos onde explicitamente se adora o demônio. Há muitos ateus declarados, que não prestam culto porque não creem em Deus, mas aderem às piores abominações para cultuar outro “deus” falso. É possível imaginar posição mais contraditória?

Quais motivos levam pessoas racionais a cometerem tais atrocidades? São muitos e de características as mais diversas, movendo as almas perdidas por meio de inúmeras atrações e/ou repulsas. Uns podem ter como objetivo, simplesmente, tornarem-se ricos ou famosos; outros podem julgar dura demais a sentença de ganhar o pão com o suor do próprio rosto. Outros são revoltados com a justiça divina, com o Cristianismo, não aceitam a moral da Igreja, que consideram "moralismo", odeiam a influência que o Cristo ainda exerce sobre a sociedade, e querem a revolução e poderíamos aqui elencar tantos outros.

Variam os motivos, mas os caminhos confluem para dois objetivos situados nos pontos extremos de uma estrada: de um lado, Deus, do outro o demônio; no ponto mais alto, o Bem, no mais baixo, o mal; o convite suave de Deus na extremidade sadia, na outra, a insistência agressiva do demônio. Nenhum dos dois se manifesta diretamente, e sim por meio de pessoas, coisas, sensações, atrações, punições e prazeres diversos.

O processo de descida ao abismo satânico pode começar pelo consentimento a um desejo veemente proibido por um Mandamento, portanto vedado aos amigos de Deus. A tentação pode ser vencida, devolvendo a tranquilidade à alma, e sucessivas vitórias consolidam a fidelidade a Deus e a felicidade de situação. Uma transgressão ao Mandamento pode ser seguida de arrependimento e retorno ao caminho do bem. Mas, quando se cede ao pecado, mesmo sabendo que é pecado, que com aquela condescendência está se "comprando" a inimizade com Deus, o mais provável é que essa transgressão se torne o primeiro passo para outras, o que vai reforçando a adesão aos outros inimigos de Deus e tornando cada vez mais distante a Casa do Pai, e fica mais difícil o retorno. O demônio vai exigindo cada vez mais, e oferecendo cada vez menos.

Já nos ensinava Santo Agostinho, se não teme pelo seu pecado venial, espanta-te ao contá-los, pois a quantidade deles nos leva ao abismo.

De passo em passo, até o extremo deste tenebroso processo, qualquer tipo de culto satânico se torna possível e até provável. Chega-se ao fundo do abismo, e lá longe, bem no fundo, completa-se o “caminho fácil” de adoração ao demônio. Este nem se dá a conhecer, mas poucos resistem às suas ofertas. Não retornam mais ao Caminho de Deus na condição de penitentes. A grande maioria aceita, parcial ou totalmente, as exigências do demônio, podendo incluir ou não os cultos satânicos. O inimigo conhece o caminho mais adequado a cada vítima.



As primeiras derrapadas geralmente conduzem a pessoa à descrença, ao pensamento destrutivo de que Deus não ajuda, só proíbe e cobra. Em seguida, começam-se a procurar facilidades, com a ajuda de quem parece amigo de outro “todo-poderoso”. Daí a fazer pacto com ele e ceder em tudo o que quer, inclusive na adoração explícita, é questão de tempo. Muitos percorrem o caminho de volta, mas infelizmente a maioria não retorna.

É como Jesus disse: ninguém pode servir a dois senhores, ou segue a Deus ou segue ao mundo. E ELe mesmo nos disse que o príncipe do mundo (satanás) não tem parte com Ele. As pessoas fogem da verdade porque ela é doída e o paraíso é no céu e não aqui onde sabemos que aqui estamos a peregrinar por este vale de lágrimas.

Quanta tristeza em ver nossos irmãos virarem as costas para Deus por troca das migalhas do mundo, quanta tristeza em ver escolherem as coisas que passam deixando para trás as coisas que não passam.

As pessoas esquecem que fomos criados para servir e adorar a Deus, e não para comermos, bebermos, dormirmos, enriquecermos e nos divertirmos. Aqui nesta terra, nesta etapa de nossa peregrinação é hora de trabalharmos pela nossa santificação e salvação, para gozarmos as alegrias eternas, preparadas por Jesus, as quais nem podemos imaginar! Porque jogar a eternidade com Deus por alguns anos de prazeres? Não nos parece um disparate tão grande? Como Jesus nos ensinou na parábola do homem rico e de Lázaro, onde o homem rico escolheu receber sua recompensa nesta terra e Lázaro viveu a sua cruz para depois gozar da alegria eterna.

Façamos como nos ensina o mestre, "vigiai e orai para que não entreis em tentação" (Mt 26,41) e como São Paulo apóstolo nos disse; tenho para mim que todos os sofrimentos deste mundo não terão comparação com as alegrias eternas que nos estão reservadas.

Pois de pecador a inimigo de Deus, depois amigo e adorador do demônio, o caminho do ateu pode ser curto ou longo, rápido ou demorado, mas está aberto a qualquer um que nele entre e aí permaneça voluntariamente. Vigiai e orai pois de católico a ateu, o leão que anda a espreita em busca de dar o bote em sua presa, como nos adverte São Pedro em suas cartas, é este um dos caminhos que o inimigo tem para perder a sua alma, lembremos: a única finalidade do demônio é perder a nossa alma, nos iludindo com as ofertas do mundo e querendo nos fazer enxergar com um olhar de inimigos tudo aquilo que nosso amoroso Deus nos tem reservado no hoje e na eternidade.

fonte: o fiel católico e Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas