quarta-feira, 16 de setembro de 2015

O católico não praticante


Vez por outra em meio a conversas cotidianas, sempre que possível o assunto "religião" é mantido oculto, nas catacumbas remotas dos corações, almas e mentes. Quase tachado de assunto proibido, pois afinal, o mundo prega uma liberdade em todos os sentidos já que sua doutrina é a de viver o aqui e agora um paraíso sem Deus, buscando a felicidade e o prazer já aqui nesta terra. Quanto mais a história da humanidade avança mais vemos que o ato de se "religar" a Deus, origem latina da palavra religião, vai ficando sufocado por todas as vertentes relativistas que o mundo e os sábios homens apresentam para o homem moderno.

Lembremos: Lucas 10,21: Jesus exultou de alegria no Espírito Santo e disse: Pai, Senhor do céu e da terra, eu te dou graças porque escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, bendigo-te porque assim foi do teu agrado.

Os pequeninos, pobres em espírito e humildes de coração, dependentes totalmente de Deus, como criancinhas dependentes de seus pais. Nas belas palavras de Santa Terezinha do Menino Jesus que disse: Não quero crescer, quero permanecer como criança para ser completamente dependente de Deus, meu Senhor. Assim como ela, tantos outros seguiram o ensinamento de Jesus que nos ensinou que devemos ser como crianças para herdar o reino dos céus.

E aos poucos então em nossa caminhada rumo a pátria celeste começam as provações e tentações, assim como as bênçãos e graças. E então a soberba, criadora do pecado original, trata de transformar a realidade da cruz criada pelo nosso Salvador em problemas e fardos.

Lembremos: Marcos 8,34: Se alguém me quer seguir, renuncie-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.


E nesse ponto começam os problemas dos fiéis. Eles deixam de ser fiéis! Seguir Jesus passa a ser mais uma atividade do cotidiano que quando convém, seguimos e quando dá muito trabalho, fazemos de conta que não é conosco. E para isso existe a velha frase muito triste que com certeza muito entristece Nosso Senhor Jesus Cristo: "Sou católico não praticante".

Que dor para Jesus, todos os dias receber as ofensas, sacrilégios e blasfêmias dos pobres pecadores que numa atitude constante de insanidade, viram as costas para Deus, tratando-O meio como um inimigo. Pobres dos pecadores, não sabem o que fazem.

O que não faltam são uma fila infinita de argumentos intelectuais que sempre apontam um motivo e uma razão convincente e de acordo com o mundo para que a radicalidade do evangelho pedida por Jesus fique de lado. As coisas passam a serem tratadas na base da percentagem. É a política do salário mínimo e que não para por aí, o assunto é bem grave e extenso, mas aqui neste artigo vamos apenas dar um chacoalhão e tirarmos a peneira que está tapando o sol.

Um primeiro aspecto que precisamos evidenciar é de fato nossa realidade como católico, filho adotivo de Deus pelo batismo, que recebemos a garantia da vida eterna através da paixão de Jesus. Uma vez batizados pela fórmula válida, ensinada por Jesus e com a matéria (água) visível, essa condição não nos é mais retirada. Não se é possível batizar de novo, não se é possível renunciar ao batismo concedido por Deus, isso é até impensável, pois como virar as costas para este sacramento, esta graça concedida à nós? A carta aos Romanos nos recorda que Jesus ama a sua igreja e se entregou por ela. E este amor, que nos amou primeiro não merece o nosso desprezo, indiferença e tão pouco alguma atitude de rebeldia contra aquele que nos criou. Éramos um "nada" e agora somos predestinados à vida eterna.

Por aqui já percebemos em que situação estão os católicos que trocaram de religião. Abandonaram os sacramentos, a ortodoxia doutrinal católica de mais de dois mil anos, o magistério da igreja, a vida e o exemplo de centenas de santos e santas que já trilharam o caminho deixado por Jesus e tantas outras verdades incluídas dentro do catolicismo.

Sacramento do Batismo - Batizai em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Sacramento da Confirmação - Recebei o Espírito Santo.

Sacramento da Eucaristia - Tomai e comei... tomai e bebei... isto é meu corpo... isto é meu sangue...

Sacramento da Reconciliação - a quem perdoardes os pecados, eles serão perdoados, a quem não perdoardes, não lhes serão perdoados.

Sacramento da Ordem / Sacramento da Unção dos Enfermos - Alguém está enfermo? Chame os sacerdotes da igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor.

Sacramento do Matrimônio - O homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e os dois formarão uma só carne, portanto o que Deus uniu, não separe o homem.

Confirmação dos ensinamentos pela tradição e escrituras - Em Nome de nosso Senhor Jesus Cristo, apartai-vos de todo irmão que não anda segundo a Tradição que de nós recebeu.

Confirmação dos ensinamentos pela tradição e escrituras - Então, irmãos, estai firmes e guardai a Tradição que vos foi ensinada, seja por palavra (Tradição), seja por epístola nossa (Bíblia).

Confirmação dos ensinamentos pela tradição e escrituras - Irmãos, sabeis que há muito tempo Deus me escolheu dentre vós (Apóstolos), para que da minha boca os pagãos ouvissem a Palavra do Evangelho.

Confirmação dos ensinamentos pela tradição e escrituras - Ainda que nós ou um anjo baixado do Céu vos anuncie um evangelho diferente do nosso (Apóstolos), que seja anátema.

Confirmação da unidade da Igreja que é peregrina (aqui na terra), padecente (no purgatório) e triunfante (junto de Deus) - E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos, da mão do anjo, diante de Deus.

Confirmação da unidade da Igreja que é peregrina (aqui na terra), padecente (no purgatório) e triunfante (junto de Deus) - Porque já é manifesto que vós (a Igreja) sois a Carta de Cristo, ministrada por nós (Apóstolos), e escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração (...); o qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do Espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.

Confirmação da autoridade das escrituras - Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal.

Como vimos caros leitores, com algumas pequenas passagens das sagradas escrituras percebemos que a bíblia confirma os sacramentos e a igreja e nem poderia ser diferente. São João Paulo II nos explica a realidade das coisas através do catecismo. Nos ensina o santo: Um catecismo deve apresentar, com fidelidade e de modo orgânico, o ensinamento da Sagrada Escritura, da Tradição viva na Igreja e do magistério autêntico, bem como a herança espiritual dos Padres, dos Santos e Santas da Igreja, para permitir conhecer melhor o mistério cristão e reavivar a fé do povo de Deus. Deve ter em conta as explicações da doutrina que, no decurso dos tempos, o Espírito Santo sugeriu à Igreja. É também necessário que ajude a iluminar, com a luz da fé, as novas situações e os problemas que ainda não tinham surgido no passado.

Portanto viver na superficialidade a sua religião, deixando as práticas católicas de lado não leva quem quer que seja ao fim querido por Deus. São Tomás de Aquino a respeito disso nos ensina: Quem não vive o que crê, termina crendo o que vive. Este é também um dos motivos da catequese. Catequese que significa fazer ecoar a palavra de Deus nos corações das pessoas também tem primordialmente a função de fazer com que, depois de adultos, não deixem de ser católicos. Por isso que a catequese se chama "de iniciação cristã".

O início, o ponto de partida de uma caminhada que precisa cada vez mais ser aprofundada nos ensinamentos celestes é ponto fundamental e essencial na caminhada rumo a porta estreita.


Pois bem, é assim que é. Nós devemos amar muito tudo aquilo que satanás odeia. E satanás, já sabemos, Jesus nos disse: ele é o príncipe do mundo e Jesus não tem parte com ele. Na santa missa existe uma oração pós comunhão onde pedimos a Deus a graça de abraçar as coisas que não passam em detrimento das que passam. Nossa peregrinação nesta terra é passageira, nossa fé apresentada pelas nossas obras é que teremos para entregar ao nosso justo juiz, que agora nos concede o tempo da igreja, o tempo de sua misericórdia.

Uns dizem: me confesso só quando tenho vontade, vou na missa quando dá tempo, rezo quando acho que preciso, não leio a bíblia porque escuto a bíblia quando vou na missa e por aí vai.

Por outro lado outros dizem: deixa disso, isso é muito exagero, não precisa tanto, pra que tudo isso e tantas outras advertências que os politicamente corretos atiram em prol da harmonia de se viver conforme o mundo manda.

E é assim, não se dá importância ao pecado, ao evangelho, muitos querem viver num estado de sonambulismo, evitando o ensaio diário que devemos fazer com a morte ao fim do dia quando entregamos os frutos de nosso dia ao Senhor.

Fiquemos pois com esse alerta para a nossa realidade: "pensai constantemente nos novíssimos e não pecareis". Jesus já nos ensinou que o "morno" ele vomita. Ou se está com Ele ou contra Ele. Muitos que dizem senhor, senhor não entrarão no reino dos céus. E a lista é grande, Jesus aponta o caminho e nos ensina que os ingredientes da peregrinação rumo ao céu passam pela cruz.
Deixou de ir a missa ao domingo, no fim de semana seguinte foi e comungou? Dois pecados graves, contra o terceiro mandamento e sacrilégio. Não é casado e tem relação sexual ou vive com alguém como se fosse casado? Dois pecados graves, fornicação e contra o sexto mandamento. Mente por qualquer motivo para esconder a verdade porque a verdade, que liberta muitas das vezes dói? Pecado contra o oitavo mandamento. Como católico, aceita, frequenta e pratica outras atividades que não são católicas como ir a cultos de outras religiões, acatar o livre exame da bíblia ou colocar em dúvida as verdades do catolicismo? Pecado grave e também contra o primeiro mandamento.

Encerramos este artigo deixando aqui um pequeno resumo dos acontecimentos e atitudes que no fundo refletem um comportamento que é reflexo da "distração". O leão esta sempre a rondar esperando a quem atacar, sejamos vigilantes sem cessar como nosso Redentor nos ensina. Ele, que está mais interessado que nós em nossa salvação nos concede a sua tábua de salvação, a sua misericórdia. Deus que nos amou primeiro e quer que todos sejam salvos não se cansa de nos mostrar a verdade. Somos suas criaturas, feitos para adorar-Vos e servi-Lo, como servos inúteis, adotados por Deus no batismo, criados por ele em Seu amor.

Que a Virgem Imaculada interceda por nós e nos auxilie nessa peregrinação rumo a comunhão eterna do paraíso. Sejamos católicos autênticos.

fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas