sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Você já rezou hoje?


Melhor ainda caro leitor, é nos fazermos esta pergunta: Já rezei hoje? Vamos refletir e meditar nessa grande verdade que acompanha nossa vida de católicos. A oração constante. Quem nos manda agir assim é ninguém menos que nosso Salvador e Redentor, Jesus Cristo. Já nos é ensinado desde a época em que passamos em catequese que a oração é o diálogo que fazemos com Deus e os céus. E isto é bem entendido, pois não se trata de uma lista de pedidos que fazemos a Deus inclusive com prazo de validade para sermos atendidos.

Muito longe disso, mas muito longe disso mesmo. Nossa Senhora já nos advertiu em suas aparições que aquele que não reza com o coração não tem consciência dos seus pecados. A oração que não brota do coração não chega a Deus. E como a Mãe de Deus está em completa sintonia com os ensinamentos de seu filho inclusive respondendo a muitas alegações céticas de que ela não fala nada do Evangelho, a Virgem Santíssima, a cheia de graça, serva do Senhor, não contradiz em nada o que Jesus nos deixou nos Evangelhos.
Na bíblia já lemos que nem sabemos pedir como convém e por isso o Espírito Santo súplica por nós.

Triste realidade? Fácil de se constatar não é mesmo! Quantas pessoas já ouvimos falar que rezam, rezam e nada acontece. E não acontece mesmo! Jesus nos ensinou na Oração do Pai Nosso, que devemos pedir em oração ao Pai que seja feita a vontade Dele. Buscai primeiro o reino dos céus e a sua justiça e tudo mais vos será acrescentado. Portanto não há dúvidas de que o tudo vem depois do reino dos céus e estes são ensinamentos celestes.

Vamos ver o que está escrito em algumas passagens das sagradas escrituras sobre a oração?

Baruc 4,21 - Orai a Deus, a fim de que vos salve da mão poderosa de vossos inimigos!

Colossenses 4,3 - Orai também por nós. Pedi a Deus que dê livre curso à nossa palavra para que possamos anunciar o mistério de Cristo.

Efésios 6,18-19 - Intensificai as vossas invocações e súplicas. Orai em toda circunstância, pelo Espírito, no qual perseverai em intensa vigília de súplica por todos os cristãos. E orai também por mim, para que me seja dado anunciar corajosamente o mistério do Evangelho.

São Judas 20 - Vós, caríssimos, edificai-vos mutuamente sobre o fundamento da vossa santíssima fé. Orai no Espírito Santo.

São Tiago 5,16 - Confessai os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros para serdes curados. A oração do justo tem grande eficácia.

Lucas 6,28 - Abençoai os que vos maldizem e orai pelos que vos injuriam.

Lucas 21,36 - Vigiai, pois, em todo o tempo e orai, a fim de que vos torneis dignos de escapar a todos estes males que hão de acontecer, e de vos apresentar de pé diante do Filho do Homem.

Lucas 22,40 - Orai para que não caiais em tentação.

Marcos 14,38 - Vigiai e orai, para que não entreis em tentação. Pois o espírito está pronto, mas a carne é fraca.

Eclesiástico 50,24 - E agora, orai ao Deus de todas as coisas, que fez grandes coisas pela terra toda,...

1ª Tessalonicenses - 5,17 - Orai sem cessar.

2ª Tessalonicenses - 3,1-2 - Por fim, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague e seja estimada, tal como acontece entre vós, e para que sejamos livres dos homens perversos e maus; porque nem todos possuem a fé.

Pois bem, caros leitores, com apenas poucas passagens da bíblia podemos compreender que não se pode desagregar de nossas práticas católicas a oração.
Nossa Senhora sempre nos pede em todas as suas aparições para rezarmos o santo rosário todos os dias. E como Ela sabe muito mais do que nós, quem somos para colocar em dúvida essa exortação da Mãe de Deus?

Também a Virgem Santíssima nos recorda que a oração que mais agrada a Deus acima do rosário é a santa missa. Enfim, não nos é possível evitar essa nossa realidade cristã. A oração do Pai nosso, da Ave-Maria, o santo rosário, a oração do Santo Anjo, as ladainhas e tantas outras orações inspiradas por tantos santos e pela igreja, além daquelas que cada um profere do íntimo do seu coração.

Rezamos quando acordamos? Rezamos antes das tomadas de decisões importantes? Rezamos para agradecer tantas coisas que recebemos de Deus todos os dias e muitas vezes nem damos valor e até nos parecem cotidianas e sem importância? Rezamos por mais um dia que Deus nos deu junto das pessoas que gostamos? Rezamos uns pelos outros e isso inclui, como nos manda Jesus, os nossos inimigos?

Rezamos pedindo as graças necessárias para nossa salvação? Rezamos pedindo pela intercessão celeste? Rezamos agradecendo pelo dia que tivemos? Rezamos também por amor a Jesus e Maria? Pelo amor que Eles nos têm? Rezo sem cessar ou só quando preciso de algo temporal ou quando tenho vontade? Rezo sem egoísmo?

Poderíamos aqui estender essa lista de perguntas que nada mais é que uma espécie de exame de consciência.

Mas observemos atentamente, uma pessoa que não é cristã e sobretudo não é católica autêntica, não pode responder corretamente à estas perguntas não é mesmo? Não pode responder por que ela não pode servir a dois senhores. Ou se serve a Deus ou ao mundo.

Jesus nos disse: "Ou se está comigo ou contra mim". Lembremos que os Evangelhos estão cheios do exemplo de Jesus em atitudes de oração. Ele em sua passagem pela terra, mostrou-se uma pessoa de constante oração. O caminho que Ele deixou, já trilhado por tantos santos e santas de Deus, o caminho da porta estreita, tem dentro dele a atitude da oração.

Sem mim nada podeis fazer, também nos disse Jesus. Não há como trilharmos um caminho nosso até os céus por que Jesus disse que Ele é o caminho, a verdade e a vida. E o verbo encarnado nos mandou orar.

E percebam: "orar" ou "rezar" é a mesma coisa.

Assim como atestam o Michaellis, o Aurélio e todos os dicionários da língua portuguesa, os termos orar e rezar são sinônimos. Aliás, é importante notar que essa duplicidade de termos que expressam uma mesma realidade é característica de nossa língua pátria. Em inglês, por exemplo, o verbo to pray significa exatamente o mesmo: orar ou rezar, tanto faz. Em italiano, usa-se a palavra pregare, que poderia ser traduzida como "suplicar" e que tem o mesmo sentido de orar ou rezar em nosso idioma.

No desenvolvimento do português, – esta língua tão complexa, – surgiram muitos termos sinônimos, como: andar e caminhar; experimentar e experienciar; trabalhar e laborar; alimentar e nutrir; orar e rezar, etc, etc... De fato, não há absolutamente nenhuma razão para se diferenciar radicalmente os termos orar e rezar. Na Santa Missa, por exemplo, o sacerdote usa a expressão "oremos" enquanto, – na oração dos fiéis, – costuma-se dizer "rezemos".

Artigos Relacionados:

Já rezou hoje? E o celular, já usou hoje?

O jejum da tecnologia


fonte: Jefferson Roger e ofielcatolico.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas