terça-feira, 3 de novembro de 2015

Não julgueis...


Mateus 7,1-2
1- Não julgueis, e não sereis julgados.
2- Porque do mesmo modo que julgardes, sereis também vós julgados e, com a medida com que tiverdes medido, também vós sereis medidos.

Vamos recordar? "perdoai as nossas ofensas "assim como" nós perdoamos a quem nos tem ofendido". E tem mais não é mesmo!

Mateus 6,13-14

14- Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, vosso Pai celeste também vos perdoará.
15- Mas se não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai vos perdoará.

Como podemos perceber caro leitor o perdão faz parte da nobreza dos filhos de Deus. Sede Santos como vosso Pai Celeste é Santo, Mateus 5,48. Muitos de nós, senão todos nós, vamos admitir, tantas vezes esbarramos nessa que para tantos se faz pedra de tropeço.

O caminho para a felicidade eterna vai indo tão bem quando de repente... a provação em nossas vidas sutilmente se apresenta na forma de uma situação na qual somos ensinados por Jesus que devemos perdoar.

Ai como dói, como é sofrido! - Qual a solução; não descer do pedestal e transformar o perdão em desculpa. "Eu te "desculpo" mas se me aprontar outra vez não tem mais volta." E a pessoa nem para para pensar que se Deus não fosse infinitamente misericordioso no dia do juízo particular Ele poderia também nos dizer: "Eu já tinha te desculpado "daquela" vez, agora não tem mais volta".

Ora, todos irão pensar, Deus não faz assim, não age assim. E está certo não é mesmo! Nós é que não nos entregamos ao seu amor e não passamos a sermos imitadores de Cristo. E mais, além de não perdoarmos ou de apenas "desculparmos" colocamos o saldo disso tudo em nosso coração com o nome de mágoa, rancor.
Pronto! Permitimos que o veneno do pecado se instale dentro dele, e como o coração bombeia sangue, que é vida para todo nosso corpo, não demora muito para irmos aos poucos aceitando a catequese do mundo e deixando de lado as coisas que não passam.

Ou então quando dizem: "Quem sou eu para perdoar?" Ou ainda: "Só Deus perdoa", e por aí vai, são tantas as desculpas que nós mesmos damos na tentativa de justificar o nosso modo de ser. Como nos enganamos quando tentamos agir em desacordo com o projeto de Deus e ainda queremos "forçar" passagem construindo atalhos rumo ao céu. Como nos enganamos.

Se nos ferem então, se nos magoam ou nos decepcionam, uma, duas, três ou mais vezes então o "caldo" entorna pra valer! Esquecemos completamente nestes momentos que Jesus disse a Pedro que devemos perdoar 70x7, e sabemos que isto significa "sempre". Lembrando que, temos que seguir o exemplo de Deus, que quer perdoar sempre, embora existam situações em que a pessoa se fecha ao perdão, não recorre à misericórdia divina, endurecendo e fechando o seu coração para a graça da reconciliação, amor e amizade para com nosso dono, Deus Pai nosso criador.

Os ensinamentos celestes são muitos e todos convergem para um mesmo fim. Este artigo poderia ir adiante em sua reflexão mas já conseguimos refletir com estas poucas linhas sobre alguns detalhes esquecidos ou que não queremos sempre ter em mente. No fim, trata-se de sermos vigilantes pois é na distração que nosso cruel inimigo, sempre a espreita à dar o bote, nos apresenta a tentação, e esta distração nos faz pecar. E muitos esquecem que quem não perdoa também peca pois trata Deus como um inimigo, exigindo ser perdoado por Ele mas não querendo perdoar o próximo.




fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas