quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Feliz ano novo! Será?


O ano civil está por terminar, enquanto escrevo este artigo, dia 30/12/2015, me recordo que algumas pessoas já estão de folga de seus trabalhos. Outras não estão de folga porque estão desempregadas. Outras estão hospitalizadas, muito enfermas. Para tantas pessoas assim colocadas a margem da sociedade, a felicidade que o mundo prega lhes foi tolhida seja lá por qual motivo for, embora o mundo descarte que Deus tenha algo a ver. O mundo não coloca Deus em seus planos, não o Deus criador e sim tantos outros deuses que são idolatrados diariamente sob várias peles e assim fica tão conveniente acomodar-se sob o olhar egoísta de que se tudo vai bem vamos lá, o ano novo está chegando. Vamos nos preparar para comemorar a sua chegada.

Pois bem, para os cristãos católicos o ano novo começa um mês antes do natal, com o chamado advento. Época de se preparar para a celebração do nascimento de nosso salvador e iniciar, continuar e recomeçar uma caminhada de conversão. Já parou para pensar caro leitor porque será que as pessoas desejam feliz ano novo? Sempre os votos de feliz ano novo vem recheado de muita paz, saúde, felicidade, dinheiro e por aí vai. Os votos e os desejos podemos afirmar que são bons, pois não estamos a desejar algo de ruim para o próximo. No fim das contas estamos a desejar ao outro o que gostaríamos de receber.

Porém, precisamos estar atentos aos detalhes. Precisamos sim, nos convertermos constantemente e pedirmos a Deus que em nós nasça o homem novo. Que abracemos as coisas que não passam ao invés das coisas que passam. Que o homem velho fique para trás e que nenhuma recaída nos afunde mais uma vez no lamaçal dos pecados.

Segundo as aparições de Jesus e Maria ao longo da história da humanidade, uma das épocas em que Jesus é mais ofendido pelos pecadores e consequentemente uma das épocas em que mais pessoas se condenam ao inferno, é a comemoração da passagem de ano novo. Muitas festas, algazarras, bebedeiras, sexo e drogas, noitada a dentro seguida de muita ressaca, mal estar e outros efeitos colaterais.

Sempre muitos projetos de vida são refeitos, planejados, criados e propostos. Muitas metas e objetivos são promulgados em caráter pessoal. E vamos soltar foguete, viva! Vamos comemorar a passagem de ano! “Ai deles”, lembro aqui essa fala de Jesus. Muitos esquecem ou fingem esquecer de que cada dia que de Deus nos dá é um dia a menos de vida e um dia mais próximo de nossa morte. É por isso que nas sagradas escrituras no livro do Eclesiástico 7,40, está escrito, muito sabiamente e divinamente: “Pensai constantemente em seus novíssimos e não pecareis”.

Vamos lá, lembremos, novíssimos são os últimos acontecimentos que nos esperam na vida. A morte, juízo particular, inferno, purgatório ou céu. A morte marca o fim de nossa oportunidade aqui nesta etapa de nossa vida eterna de fazermos as boas obras, como nos recorda São Tiago em sua carta, e enfim após vivermos uma vida junto a Jesus Misericordioso iremos encontrá-lo como Jesus justo juiz. É uma prestação de contas, não uma oportunidade para nos explicarmos ou nos desculparmos ou tentarmos convencer Jesus de que o que fizemos não era nada de mau ou ruim. Triste engano para muitos, engano este já vivido aqui na terra.

Pensando sempre assim, como nos ensina Jesus, teremos sempre muitos motivos para comemorar a chegada do ano novo. Pois mais uma vez, Deus nos concedeu a graça de estarmos com as pessoas que amamos, de poder trabalharmos pelo reino de Deus, de podermos estar na condição em que estamos, seja ela qual for mas junto com Deus. O ano novo é sim, uma oportunidade de deixarmos o homem velho para trás, de olharmos para frente, para Jesus, para a eternidade. Feliz ano novo é agradecer por mais esta oportunidade, seja ela de mais um dia, mais algumas horas, mais alguns meses ou mais algum ano ou anos.

Não importa, o que importa não é quanto tempo temos e sim o que fazemos com o tempo que Deus nos concede.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas