quinta-feira, 23 de junho de 2016

Nosso corpo pertence a Deus


Livro do Levítico 19,28

Não fareis incisões na vossa carne por um morto, nem fareis figura alguma no vosso corpo. Eu sou o Senhor.

Olá caros leitores estamos de volta com este tema em que o mundo insiste em abafar com panos quentes a moralidade cristã e os ensinamentos evangélicos. Com a tese de que o corpo é meu e portanto eu faço dele o que eu quiser, satanás, o príncipe do mundo segue enfiando goela abaixo sua catequese tão convidativa para muitas pessoas. Afinal para que sofrer não é mesmo! Nossos pecados já foram perdoados na cruz. Você foi solto do seu cercadinho e agora pode pastar à vontade pelos verdes campos, chafurdar na lama, correr e pular e bem fazer o que te apetece, afinal você é livre. Viva essa liberdade pois a vida é curta e é preciso saber aproveitar cada momento.

Porém, estas não são belas palavras, porque do ensinamento do inimigo não pode vir nada de belo. Isto é até óbvio. E satanás sabe muito bem disso e por isso sabe que não deve empreender de frente contra o cristão. O mal que ele oferece precisa vir disfarçado em pratos saborosos.

E como o encardido tem êxito em suas investidas. Basta perceber como as coisas do mundo, as coisas que passam são facilmente aceitas e em pouco espaço de tempo se vê por toda a parte as “novidades” sendo utilizadas, feitas, aceitas e vivenciadas. A cegueira espiritual em que a humanidade se permitiu colocar alcança proporções gravíssimas.

Eis o tempo da igreja, eis o tempo da graça concedida a nós pela última tábua de salvação; a misericórdia de Nosso Senhor Jesus Cristo. E estas são palavras do próprio redentor, dirigidas a Santa Maria Faustina Kowalska. Não se trata de invencionismos até porque sobre a insondável misericórdia aprendemos do nosso mestre e salvador já nas sagradas escrituras.

Ahhh eu não sabia, ahhh eu não sabia! Não vai ser possível dizer isso no dia do juízo, quando o olhar penetrante e justo de Jesus nos mostrar a realidade de nossos pecados e o quanto eles ofenderam a Deus. Nossa realidade hoje, de corpo e alma, um dia, sabemos isso pela fé, será transformada e receberemos na glória eterna um corpo imperecível. Podemos imaginar algo assim, haja vista a passagem em que Jesus ressuscitado atravessa pela porta para encontrar os apóstolos e come com eles.

Sem dúvida algo de muito grandioso nos aguarda no reino dos céus. No entanto, Deus nos concedeu o dom da vida, Deus nos concedeu esse corpo para interagirmos aqui na terra entre seus filhos, crescermos espiritualmente nos seus ensinamentos para podermos um dia vivermos a alegria eterna ao seu lado. Mas presentes como esses, recebidos por amor, pois foi Deus que nos amou primeiro, são por muitos desprezados de várias formas.

Façamos uma analogia. Se alguém que gostamos muito recebe de nós um presente, sinal que queremos expressar nossos sentimentos por essa pessoa, mas deste presente faz pouco caso, desdenha, ignora, deixa de lado, não usa ou não cuida com cuidado ou algo assim, facilmente podemos compreender e aceitar o fato de que essa resposta traduzida em atitudes iria nos magoar, nos entristecer. Pensaríamos: puxa dei com tanto amor e carinho, sem esperar nada em troca...

O que dizer então sobre Deus? Como será que Ele fica ao ver muitas pessoas mutilarem seus corpos com piercings, alargadores e marcarem com tatuagens de vários temas? Lembremos que as origens dessas práticas não são celestes. O princípio vem de cultos antigos e pagãos, ou seja, a raíz de tudo não é sadia e sobretudo não é cristã.

O apóstolo São Paulo nos recorda que nosso corpo não nos pertence, pois foi comprado por um alto preço na cruz. O santo Padre Pio confirma essa verdade, ele dizia: “As almas custam sangue”. E mais, o mesmo apóstolo nos lembra que nosso corpo é templo do Espírito Santo. E como nossa realidade natural é de sermos corpo e alma, o Espírito habita em nós por completo, não habita só na alma ou só no corpo. Isso é plenamente aceitável, para as pessoas de fé pois sabemos muito bem que quando o corpo deixa de ter vida, nossa alma segue para a eternidade, seja ela na glória ou na perdição.

Lembremos sempre dessas verdades que Cristo nos ensinou. Nós somos criaturas e fomos feitos para Deus. Somos Dele e tudo o que fazemos tem que estar voltado para esta realidade de criaturas e filhos de Deus. Senão, do contrário não haverá sentido na vida, que é o pensamento das pessoas que vivem sem fé. Todo mundo faz, eu acho legal e também faço. Uma tatuagem e um piercing não faz mal a ninguém. O que é que tem, o dinheiro é meu portanto eu faço e pronto. Está na moda. Quem não se tatua e não se mutila com piercings está por fora e é um antiquado.

É preciso encararmos o fato de que nossas escolhas sempre trarão consequências. Não se pode agradar a dois senhores, nos ensina Jesus. E Ele diz que quem não está com Ele está contra Ele. O que vamos seguir? As coisas que passam?


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas