sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Sem Fé


Leitores do blog, sejam mais uma vez bem vindos. Neste artigo irei transcrever um pequeno relato publicado no site www.paulopes.com.br. O texto serve muito bem para exemplificar a conduta e o pensamento de uma pessoa que se denomina ateu. É interessante perceber durante a leitura que esta pessoa assume seu posto como ateu e de forma emblemática, sustenta sua bandeira. Vale a leitura para refletirmos a respeito:

"Sou um ateu cercado em casa por imagens de santos por todos os lados. Minha mulher é católica praticante (mas não fanática, claro), acredita no poder da oração, e eu respeito a crença dela, assim como ela compreende a minha descrença.

Estamos de acordo, entre outras, em uma coisa: a tolerância e a cordialidade têm de estar acima de tudo, incluindo Deus ou o conceito Dele, dentro de casa e fora dela.

Com quem quer que seja, dificilmente discuto religião, ateísmo ou o que for. Não faço pregação de coisa alguma, não quero convencer a ninguém. Não sou detentor de palavra de salvação alguma e tenho muito mais dúvidas do que certezas.

Apesar disso, há quem me aponte na internet como ateu radical, só porque escrevo um site sobre crença e descrença de um ponto de vista não confessional.

Por muitos anos, no extinto jornal "Diário Popular", de São Paulo, escrevi uma coluna diária sobre economia, e ninguém nunca me chamou de jornalista "radical" de assuntos econômicos.

Ultimamente, em família, nem sequer converso sobre política, tema que tem despertado mais a emoção do que a racionalidade das pessoas. Tendo a ser mais racional, embora alguns pessoas emocionais possam discordar disso.

Aqui, procuro abordar temas religiosos de um ponto de vista cético, em uma tentativa de se ter uma modesta contraposição à confessionalidade dos jornalões e de seus portais, o que explica, entre outras coisas, o pouco empenho na cobertura das vergonhosas transgressões quase diárias ao Estado laico brasileiro.

O G1 é um exemplo de jornalismo confessional. Para se ter uma ideia: o portal da organização Globo publica com frequência que exemplar da Bíblia sai ileso de incêndio, como se isso fosse um milagre, sem procurar saber de uma especialista por que um livro de capa dura fechado tem mais chance de resistir a um incêndio.

Esse tipo de informação é lixo, e ninguém reclama.

Voltando ao que estava dizendo no começo.

Às vezes acompanho minha mulher à missa dominical. Respeitosamente, participo do senta-e-levanta da missa. Aceito o aperto de mãos do rito “A paz de Cristo”, mas não o passo adiante por me sentir constrangido. Não seria honesto de minha parte.

Eu só recuso a me ajoelhar durante a missa, além de rezar, obviamente.

Acho que, para preservar a dignidade humana, ninguém deveria se ajoelhar diante de pessoa alguma e muito menos para uma entidade fictícia. Mas quem quiser fazê-lo, tudo bem, que o faça.

Cada pessoa é responsável por sua vida, claro, e quem se sente confortado em acreditar em um amigo invisível deve ter a garantia de poder manter sua crença. Só me oponho firmemente contra quem quer impor a sua crença religiosa à sociedade. Isso não aceito.

Como disse, talvez com certo exagero, sou um ateu cercado em casa por imagens de santos. No hall, em um pequeno oratório, há um menino Jesus nos braços de José e Maria que minha mulher ganhou de minha tia Teresa, de São Carlos. Na sala de visita, há uma imagem do papa João XXIII com um só braço — o outro se quebrou em uma queda.

Na sala de jantar, em um oratório sobre uma pequena adega, de cinco vinhos, está a Nossa Senhora da Conceição, da qual minha mulher é devota. Suponho que minha mulher tem rezado à santa por mim. Agradeço a intenção.

A minha expectativa é de que a santa não faça um milagre reverso, transformando aqueles bons vinhos em água.

No roupeiro, que fica perto do escritório, onde escrevo este site, há mais santos. Eles não me incomodam, e eu não os perturbo. Convivemos pacificamente. Eu cá, eles lá.

Só espero que minha mulher não coloque um crucifixo na parede da cabeceira da cama (o que ela nunca cogitou, a bem da verdade).

Não porque sou ateu, mas porque sempre há o risco de o crucifixo cair na minha cabeça ou na dela".

É isto caros leitores, podemos nos perguntar como será que a vida desta pessoa transcorreu para ela ser hoje como é? Não nos parece com má educação mas sim com firmeza de princípios e ideias assumidos como conduta de vida. Para nós católicos, um exemplo bem definido de postura assumida de ateu. Colhamos pois uma coisa de bom. Saibamos nós assumirmos perante o mundo a nossa opção religiosa pela causa do evangelho e os ensinamentos do Deus da Vida. Sejamos como esse ateu no que diz respeito a sairmos em defesa do que acreditamos e professamos, como está escrito na primeira carta de São Pedro 3,15: Estai sempre prontos a responder para vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança. Afinal, confirmamos no sacramento da crisma nossa condição de soldados de Cristo.


fonte: Jefferson Roger e o www.paulopes.com.br
Leia Mais ››

Exemplos de luxúria e avareza


"Hoje em uma programação de rádio da igreja Universal o bispo lançou o PACTO DA PROSPERIDADE, e para que esse “pacto” desse certo a pessoa teria que fazer um JEJUM DA RIQUEZA.

Este Pacto consiste em você fazer de 1 a 3 pedidos de ordem material a DEUS. E para firmar precisa contribuir com uma quantia que seja significativa para você, abdicar de algo valioso. Para ter o que se pediu a sua vida e consciência serão mudadas para se ter riqueza, seu caminhos abertos e muitas oportunidades surgirão para que você tenha dinheiro, riqueza, poder, estabilidade, crescimento financeiro rápido e abundancia.

Não vou julgar a fé de ninguém, apenas respeitar. Porém, vou questionar, que tipo de Deus esse povo segue? Que doutrina venenosa é essa que eles vem espalhando por aí?

A famosa DOUTRINA DA PROSPERIDADE a qual a Igreja Universal do Reino de Deus vem ensinando aos fiéis é o alicerce que sustenta o Bispo Edir Macedo como o pastor mais rico do mundo. A custa de quem? Do sofrimento de pessoas que procuram solução para os seus problemas e acabam depositando toda suas economias em palavras de meros seres humanos.

Não se ouve falar de Deus, apenas em campanhas, ou seja, meios de arrecadar dinheiro para manter os mimos dos bispos. Esse jejum da riqueza me parece mais um lavagem cerebral, um meio de corromper mentes, alienar pessoas e enlouquecer os desequilibrados. De acordo com o que o bispo fala na rádio todas as pessoas que fazem o jejum da riqueza conseguem prosperidade, paz e proteção.

Eles incentivam as pessoas a fazerem esses pactos em busca de mais e mais dinheiro, até porque se os fiéis ganham mais, eles podem contribuir com mais. Como uma instituição consegue ser uma verdadeira máquina de conquistar mentes e arrecadar dinheiro?

Esse tal JEJUM DA RIQUEZA é feito por aqueles que fazem o PACTO DA PROSPERIDADE, é dando que se recebe.

Riqueza e fama são os principais temas que a igreja Universal vem desde décadas ensinando aos seus membros, nada de compromisso com Deus, eles apenas ensinam que devemos dar dízimos e ofertas para poder prosperar.

Não sou contrária a contribuição para a obra de Deus, mas uma igreja que leva todas as pregações para o lado financeiro parece ser duvidosa, até chego a duvidar da espiritualidade desse tipo de líder.

Afinal o que importa, o espiritual ou material?"

Pois bem caros leitores, com esse artigo publicado em um site do Maranhão intitulado riquinha.com.br podemos, constatar o que no fundo muita gente sabe, senão todo mundo mas que sempre tratam de tampar o sol com a peneira. E o que seria? O fato de que a corrupção, o egoísmo, a idolatria ao dinheiro e a ânsia de poder e prestígio neste mundo, sem contar o fato das luxúrias que permeiam todas as área da humanidade e aí não escapam nem sacerdotes, pastores, religiosos e companhia a fora, estão sob o comando de satanás, a ceifar e perder muitas almas. Seguindo nessa linha das ofensas e pecados que clamam aos céus vejam outra matéria publicada no site saobentoemfoco.com.br onde conhecemos mais uma história de um pastor e sua seguidora:


"O Pastor evangélico, secretário de administração pública, deputado e candidato a prefeito da cidade de Vilhena no Roraima, Antônio Manoel Souza, caiu na net fazendo sexo com uma jovem cantora gospel da igreja Assembléia de Deus também da mesma cidade, chamada Priscila Yasmin Castilho.

As Provas são várias de que se tratam realmente das mesmas pessoas citadas por usuários das redes sociais da cidade de Vilhena que virou notícia nacional. Segundo um portal local, o pastor é conhecido por gravar vídeos pornôs com as fiéis e guarda-los em sua residência.

A divulgação do vídeo e das fotos só veio à tona, porque uma destas fiéis veio até a imprensa local para fazer uma denúncia e pouco depois as imagens e o vídeo vazou.

Segundo a denunciante as moças que aparecem nas imagens com o pastor (imagens enviadas à redação do portal onde houve a denúncia) são casadas. “Não vou falar o nome deles, para não expor a família deles, que não tem nada a ver com suas ações. Só quero alertar que, caso eles procurem seus fiéis para pedir votos novamente, eu vou mostrar o que eles são, na verdade, para nossos irmãos.”, garantiu.

A evangélica mostrou três fotos onde os pastores aparecem em cenas de sexo, tiradas ao estilo “selfie”. De acordo com a denunciante, as moças envolvidas com os pastores que são casados, seriam evangélicas da mesma igreja que eles.

“Também tenho vídeos, mas não quero expor ninguém, só quero respeito aos cultos e que nenhum deles se mostre mais importante do que ninguém. Porque ao que parece são pecadores como qualquer outra pessoa. Outras pessoas também tem essas fotos e vídeos, que quase se espalharam na internet em meados do carnaval”.

As informações ainda não foram confirmadas, mas segundo alguns portais da região o pastor já foi afastado e o caso está sendo investigado pela polícia da cidade".

Pois é, caros leitores, mais uma vez a perna curta da mentira, lembrando que satanás é o pai da mentira, veio a tona. Assim nosso inimigo vai ganhando terreno ao destruir a fé de muitas pessoas que passam a desanimar com relação a Deus. Na sequencia, também vou publicar uma matéria do blog perigoreligioso15, sobre um caso de um sacerdote católico pedófilo. Dessa forma podemos concluir que a tarefa de casa do nosso inimigo número um, tem sido muito bem feita e ele se empenha muito para derrubar a todos com o pecado e fazer-nos sair do caminho da porta estreita.


"Um padre confessou que era pedófilo e havia “cometido ações graves” contra uma menina de 13 anos de idade, e antes de ser expulso da paróquia, suicidou-se na sacristia.
Dom Max Suard, 48 anos, era o responsável pela paróquia de Santa Cruz, no Carso, nordeste da Itália. De acordo com informações do jornal Corriere Della Sera, o pároco procurou o bispo da diocese de Trieste no último sábado para confessar seu pecado.
Na conversa com o monsenhor Giampaolo Crepaldi, o padre Max Suard admitiu ter cometido abusos contra uma criança de 13 anos e afirmou que se manifestaria publicamente. O padre solicitou um prazo de dois dias para redigir sua carta de pedido de perdão a Deus, à Igreja e à vítima. Na terça-feira, 28 de outubro de 2015, o bispo foi até a paróquia para anunciar oficialmente a expulsão do padre e a abertura de um processo canônico contra ele. Ao entrar no templo, encontrou Max Suard enforcado na sacristia, local onde os sacerdotes católicos guardam os acessórios ritualísticos da missa.

Escândalos

Os casos de pedofilia envolvendo padres católicos se tornaram um dos principais problemas da denominação romana, e o papa Francisco tem se posicionado de maneira firme sobre o assunto, assumindo um compromisso ao combate à pedofilia e a punição aos sacerdotes que estiverem envolvidos nesses escândalos. No meio católico há quem defenda o fim do celibato obrigatório aos padres como forma de combater as práticas de imoralidade sexual na Igreja Católica. O próprio papa Francisco afirmou que não é impossível que no futuro a denominação permita aos padres se casarem, visto que a questão “não é um dogma de fé”, e sim, uma doutrina.
O próprio pontífice chegou a afirmar que hoje existem oito mil padres pedófilos na Igreja Católica ao redor do mundo, o que corresponderia a 2% dos sacerdotes da denominação".

E para concluirmos este artigo que trata de comprovar como a humanidade cai em tentação e é arrastada por satanás para o lodo do pecado, finalizo com mais uma matéria do blog perigoreligioso15 que também é republicada em outros sites e blogs pela internet, sobre outra pessoa que cedeu aos pecados da luxúria e com isso vai cavando a sua condenação.


"Evangélica faz a igreja estremecer: De dia serve a Deus e noite aos homens. Entenda! A Assembleia de Deus decidiu expulsar a irmã Joana Almeida após descobrir que a loira faz programas sexuais durante o dia e assim que sai do templo no período da noite. Joana Almeida durante a manhã serve a Deus mas a noite serve os homens com seu corpo. A bela gaúcha da cidade de Lajeado Novo adora sensualizar na internet e curtir uma praia.

Os irmãos da igreja juram que a loiraça é uma santa não sabendo eles que é só desembolsar R$ 200,00 que ela faz qualquer um feliz. Um grupo de evangélicos decidiu desmascarar a irmã e publicou na internet. Ela foi afastada da igreja mais aumentou a clientela.

Desempregada, a loira foi colocada no caminho das trevas por uma amiga que mostrou como ganhava dinheiro fácil. Bastava que Joana colocasse no seu Instagram e Facebook fotos sensuais ou peladas para atrair a atenção e desejo dos tarados".

Pois bem, com poucos minutos podemos reviver neste artigo uma realidade amargamente comprovada. Não existe isenção para ninguém neste mundo. A idade não dispensa ninguém da luta contra o mal, já dizia uma anciã que se preparava para a morte em conversa com Santa Maria Faustina Kowalska. Por isso que Jesus disse que quem não tiver pecado que atire a primeira pedra. A luta está aí, é contra os espíritos malignos dispersos pelos ares que é nossa a batalha, nos recorda São Paulo aos Efésios. O pecado é uma realidade da alma. O espírito peca com maior ou menor contribuição do corpo. Não fechemos os olhos e não sucumbamos ao comum que o mundo nos propõe, porque tudo nos é permitido mas nem tudo nos convém e Deus não deu permissão a ninguém para pecar. Portanto rezemos sem cessar, sempre vigilantes, a pedir pela misericórdia de Deus, a conversão de todos os pobres pecadores, pois o castigo virá. O Deus de amor e misericórdia tem o seu pesado braço da ira e justiça divina. Não brinquemos de deus porque assim a perdição eterna nos aguarda.

fonte: Jefferson Roger e demais fontes descritas no texto
Leia Mais ››

Depoimento de uma esposa


Caríssimos leitores, recentemente, como associado que sou da Associação Apostolado do Sagrado Coração de Jesus, recebi por e-mail da Sra. Elza, vice-presidente da associação, pessoa que já mantive contato por telefone, um depoimento autorizado de outra associada em forma de testemunho. Nele, podemos comprovar que a proteção divina para nossas vidas se dá através de tantos meios que Deus sempre tem a nos oferecer. Vamos ao depoimento:

"Minha família estava em grande perigo..."

Foi a frase mais marcante que ouvi da dona Neusa Batista, uma contribuidora de nossas campanhas, com quem conversei por e-mail.

A dona Neusa tinha tudo para ter uma história feliz: ela tinha um bom marido, três filhos estudiosos e boas condições de vida; e eles viviam lá em Vitória (ES).
Acontece que o marido dela, o Dr. Nestor Batista, era um advogado que atuava na área do Direito Penal; e um dia acabou pegando um caso cujo réu era o prefeito de uma cidadezinha do interior do estado.

O cliente do Dr. Nestor estava sendo acusado pelo assassinato da namorada, cujo corpo ainda não havia sido encontrado. Nestor não era assim um grande modelo de virtude, mas buscava fazer o seu trabalho de uma forma idônea, com ética. O cliente garantia sua inocência e Nestor não havia encontrado provas de que ele havia cometido o crime e, por isso, acabou aceitando o caso. Passavam os meses, o caso ia se desenlaçando, e uma após uma, as provas do crime iam aparecendo...

O Dr. Nestor começou a ficar preocupado. Já não tinha a mesma confiança que tinha em seu cliente quando o conheceu. Algo cheirava mal em toda aquela história, e Nestor decidiu inquirir seu cliente: ia colocá-lo contra a parede.

- "Eu preciso saber, ou não poderei mais ter uma noite tranquila de sono".

- "Como eu posso ficar tranquilo, de consciência limpa, se cada vez mais parece que você não é inocente?"

O rotineiro sorriso amarelo daquele prefeito,cliente do Nestor, fechou por completo. Aquele homem que era sempre muito debochado e comunicativo, virou outra pessoa. Seus dentes ficaram cerrados, e com o rosto contorcido como o de um demônio, ele disse:

- "Escute aqui, eu matei sim a desgraçada, e se você quiser eu te dou até o endereço de onde ela está enterrada. Você vai terminar esse caso, vai me tirar dessa, e eu triplico, não... eu quadruplico os seus honorários, e você cala a boca para sempre. Ou... se você preferir... eu posso ir até a sua filha, a Samanta, para perguntar o que ela acha do papai dela "dar uma de herói" e abrir a boca. Eu sei que ela sai de casa todos os dias por volta das 8:45h, almoça num restaurantezinho na Av. Nossa Senhora da Penha, por volta das 13:30; vai para a faculdade sempre às 18:15h e depois volta para casa pela Av. Jerônimo Monteiro. Aliás, que cabelo lindo ela tem, não é? É uma graça, parece muito com a Neusa. Que tal eu mandar uns conhecidos fazerem uma visita a elas?"

Nestor ficou completamente desesperado. Sem chão. Não sabia como poderia sair daquela situação. O que ele podia fazer? Arriscar a vida de sua esposa e de seus filhos? A dona Neusa contou para mim a história dela, até o fim. Nestor contou a ela o que havia acontecido, e por muitos meses, enquanto o caso durava, ela viveu um medo intenso... Ela estava mesmo definhando de medo. Então ela foi até um bom Padre, contou toda sua história, e disse que aquela tristeza, aquele medo de que algo acontecesse aos filhos e ao marido, iam acabar matando ela.

Ele a acalmou explicando que para Deus não existe causa impossível, e deu a ela 5 Medalhas exorcísticas de São Bento - uma para cada integrante de sua família. Todos eles usaram as medalhas, e a Neusa passou a rezar duas vezes por dia a oração de São Bento - conhecida por afastar o demônio e desfazer as suas obras.

Porém, o caso alcançou seu ápice. No dia 02 de abril de 1989 (ano em que toda essa história aconteceu), os especialistas da Polícia Civil acabaram encontrando o corpo da vítima. Com alguns testes, logo descobriram que era ela mesmo... E ainda por cima, as digitais do assassino foram encontradas, além de outras provas irrefutáveis que culpavam o cliente de Nestor. Nestor ficou desesperado... Ele ia perder o caso, e implorava para o assassino não mandar ninguém ir atrás de seus filhos. Enquanto discutiam a sós em uma sala onde podiam conversar na cadeia (porque o assassino estava em prisão preventiva), o criminoso, completamente enfurecido, repetia ao Nestor:

- "Você trate de arrumar uma forma de me tirar dessa!"

Em um ímpeto de fúria, ele segurou violentamente com as duas mãos a gola da camisa de Nestor, e estourou os botões de cima, revelando a Medalha de São Bento que havia sido dada pelo Padre. A mera visão daquela Medalha abençoada paralisou o assassino, o deixou completamente mudo. Ele largou a gola do Nestor, afastou-se lentamente, sentou na cadeira e não falou mais nada. O Nestor não entendeu bem o que aconteceu, ele estava tão desesperado que nem parou para considerar o que podia ter acontecido.

Depois daquele dia, o assassino não falou mais com Nestor, e nem buscou se defender de mais nenhuma acusação nas audiências no tribunal. Enfim, na última audiência, antes do veredito do Juiz, o assassino confessou o crime sem nem consultar o seu advogado, o Nestor. Ele também decidiu não recorrer da pena escolhida pelo Juiz, e a única coisa que disse, e a última coisa que iria dizer ao Nestor, foi:

- "Por caridade, veja se me arruma um Padre; eu preciso de uma Confissão..."

Finalmente, a família do Nestor e Neusa estava em paz. A Medalha de São Bento tem um vasto histórico de milagres na Igreja desde a sua descoberta, há quase quatro séculos! Ela carrega incrustada uma oração que pede a Deus por intercessão de São Bento a proteção contra os males deste mundo e de satanás. Por este sacramental, a Medalha de São Bento, são aniquiladas as insídias do demônio em nossas vidas.

E assim, com este simples testemunho, damos graças a Deus por nos conceder a comunhão dos seus santos e santas, e dos seus anjos, nesta batalha espiritual que irá se encerrar apenas ao final de nossa peregrinação neste vale de lágrimas. Recorramos aos céus sempre pedindo a Deus as suas bençãos através de todos os meios que Ele amorosamente nos concede. Estão aí, a nossa disposição. Não trilhemos nosso caminho sozinhos, sigamos o exemplo de Jesus que nos disse em João 8, 29 - Aquele que me enviou está comigo; ele não me deixou sozinho, porque faço sempre o que é do seu agrado. Que sigamos nós o exemplo de Jesus, fazendo sempre o que é do agrado de Deus para nunca estarmos sozinhos e que o Sagrado Coração de Jesus proteja nossas famílias do demônio e de todos os seus aliados, amém.

Em Jesus, Maria e José.


fonte: Jefferson Roger e aascj.org.br
Leia Mais ››

A ilusão da presença de Deus


Olá caros leitores assíduos e casuais, hoje transcrevo para meu blog, uma matéria encontrada no site "www.pointofinquiry.org" e inicialmente transcrita pelo site www.paulopes.com.br, onde um cientista entrevistado conta em seu livro publicado que a presença de Deus é uma ilusão. Para mim, que me esforço a cada dia para me tornar cada vez mais um bom e autêntico católico, vivendo segundo a vontade e o agrado de Deus, pedindo e suplicando sempre o auxílio celeste, quando li a matéria, vi uma ótima oportunidade de colocar aqui, mais um exemplo daquilo que vai de encontro com as verdades celestes. Vamos ver algumas delas?
Livro de Judite 9,16 - os soberbos nunca vos agradaram, mas sempre vos foram aceitas as preces dos mansos e humildes.

Livro do Eclesiástico 3,30 - Não há nenhuma cura para a assembléia dos soberbos, pois, sem que o saibam, o caule do pecado se enraíza neles.

Livro do Eclesiástico 11,32 - Assim como sai um hálito fétido de um estômago estragado, assim é o coração dos soberbos.

Livro dos Provérbios 16,19 - Mais vale ser modesto com os humildes que repartir o despojo com os soberbos.

Livro dos Salmos 118,21,51,69 - Repreendestes os soberbos, malditos os que se apartam de vossos mandamentos. De sarcasmos cumulam-me os soberbos, mas de vossa lei não me afasto. Contra mim os soberbos maquinam caluniosamente, mas eu, de todo o coração, fico fiel aos vossos preceitos.

Livro de Malaquias 3,19 - Porque eis que vem o dia, ardente como uma fornalha. E todos os soberbos, todos os que cometem o mal serão como a palha; este dia que vai vir os queimará - diz o Senhor dos exércitos - e nada ficará: nem raiz, nem ramos.

Primeira Carta de São Pedro 5,5 - Todos vós, em vosso mútuo tratamento, revesti-vos de humildade; porque Deus resiste aos soberbos, mas dá a sua graça aos humildes.

Segundo livro de Samuel 22,28 - Aos humildes salvais; os semblantes soberbos humilhais.

São Mateus 11,25 - Por aquele tempo, Jesus pronunciou estas palavras: Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequenos.

Começo a publicação com algumas citações da bíblia porque a matéria exige aqui neste blog uma reflexão a respeito desse tipo de atitude e postura que muitas pessoas no mundo adotam e praticam. Vamos a ela: "O biólogo e neurocentista John Wathey (foto) pesquisou a sensação intuitiva que pessoas das diversas religiões e culturas têm da presença de Deus e chegou a uma conclusão: trata-se de uma sequela do cérebro infantil.

Ele escreveu um livro explicando que os circuitos neurais evoluíram para promover um forte vínculo entre mãe e filho.

E esse ser amoroso que responde às necessidades infantis acaba sendo substituído quando a criança se torna adulta pela figura protetora de Deus, transferindo um sentimento inato para o campo da religião".

Até aqui pessoal, não me parece tão desastroso o fato de se comprovar cientificamente que existe um sentimento inato que promove a busca das necessidades que permanece desde a infância e por toda a vida. Mas vamos adiante que vai piorar.
"Assim, para ele, Deus pode ser interpretado cientificamente como “estímulos ilusórios que enchem um vácuo emocional e cognitivo que sobraram da infância”.

Puxa vida, daqui para a frente começam os tropeços que os soberbos dão pela vida. Dizer que Deus, o criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis, e isso inclui o que o cientista chamou de sentimento inato, pode ser interpretado? Deus não pode ser interpretado, Ele deve ser amado, com um amor sem explicação e puro, que não espera recompensa, assim como é o amor Dele para conosco, pois foi Ele quem nos amou primeiro. Como criaturas de Deus, não somos capazes de compreender toda a sua plentitude, isso será revelado no céu. Estas expressões técnicas usadas pelo cientista só revelam uma preocupação em se autoafirmar e querer convencer os outros de que Deus, ou melhor, a sensação de sua presença, como vemos na reportagem, é mais um assunto a ser abordado e estudado. Essa é de lascar! Vemos aqui que o entrevistado não se declara ateu, pelo menos não abertamente, está apenas tentando colocar Deus no seu devido lugar segundo o seu entendimento. Grande erro que progride ladeira abaixo. Sigamos com a matéria.

"Wathey disse que resolveu escrever The Illusion of God's Presence: The Biological Origins of Spiritual Longing ["A Ilusão da presença de Deus: as origens biológicas de anseio espiritual"] ao perceber que a religião tem características infantis. Isso é algo que merece ser destacado, diz o cientista.

O neurocentista argumentou que essa pode ser a explicação, entre outras atitudes, das obsessões religiosas por sexo, do fascínio por cultos e da misteriosa compulsão por orar".

Espere aí um pouquinho, tenho que intervir em nome de Jesus e por Maria. Dizer que a religião tem características infantis tem a sua verdade. Jesus disse que quem quiser se salvar que seja como as criancinhas. Ele também disse, deixai vir a mim as criancinhas. Disse também que o que fizermos aos pequeninos é a Ele que fazemos e tantas outros ensinamentos que comprovam a pureza dos ensinamentos pregados por Jesus. Agora dentro do contexto proposto pelo autor do livro, ele destaca que a origem do anseio espiritual tem raízes biológicas. Acho que ele não percebeu e não sabe, Santo Agostinho nos disse que nossa alma e nosso coração não descansará enquanto não retornar para Deus, porque fomos feitos par Ele. Que brilhante. Deus plantou a sementinha em nossa alma e nosso coração, a parte biológica comprova essa verdade. Não tem novidade nenhuma nisso que o cientista está alardeando. Mas tem mais; ele disse ainda que outras atitudes também residem nessa origem biológica. Parabéns, será que ele demorou para descobrir isso? Se demorou perdeu tempo porque tanto o antigo como o novo testamento ensinam claramente que o que brota do coração é o que salva o homem assim como todas as coisas que não são boas nascem dentro dele. Bastaria se dedicar a um estudo sério da bíblia para comprovar o que sempre foi assim. Brotam no coração, se instalam na mente e se transformam em atitudes, após nossas escolhas. Vamos em frente.


“A oração é quase universal em quase todas as religiões, mas é bastante óbvio que a ela é inútil”, disse.

Caros leitores, essa é quase a gota d´água. Afirmar que uma realidade quase universal como a oração é obviamente inútil é cuspir na cara de Jesus e chamá-lo de mentiroso. Pois foi nosso salvador Jesus Cristo quem disse, vigiai e orai para não cair em tentação. Em outra parte também diz vigiai e orai sem cessar porque na verdade o espírito está pronto mas a carne é fraca. E ademais não só nos exortou a isso, como nos ensinou como orar através da oração do senhor, o Pai Nosso e Ele mesmo, em várias passagens bíblicas da exemplo de que a vida precisa ser pautada pela oração pois assim fazia Jesus. Então para uma pessoa que até aqui não se declarou ateu abertamente, pois admite a existência de Deus, se enquadra na classe das pessoas que acreditam que existe um Deus, mas escolhem viver sem suas regras. São pessoas que reconhecem que existe um Deus, conhecem seus preceitos mas por soberba escolhem um caminho diferente. Se vocês viram alguma semelhança com satanás é porque existe mesmo. Adiante...

“Deus sabe o que queremos, e então qual é o propósito de pedir favores a Ele?”

Vemos aqui caros leitores uma pergunta com um fundo de desilusão. E posso dizer assim porque muitas pessoas que se rebelam contra Deus e escolhem desobedece-lo o fazem porque Deus não quis aceitar os seus pedidos caprichosos e egoístas. Fazem da oração uma moeda de troca e negociação. Conversam com Deus para reclamar Dele, das coisas que ele faz que não se gosta e por aí vai. E a coisa pode se complicar ainda mais se lembrarmos da passagem bíblica que diz que Deus sabe de tudo que precisamos antes mesmo de pedirmos. E em outra passagem das escrituras está escrito que o Espírito Santo intercede por nós com gemidos inefáveis porque nem sabemos pedir como convém. A questão é tão simples, não sei porque os que se dizem inteligentes fazem esse auê todo, ai deles, são meio tontinhos. Deus quer que peçamos tudo a Ele pois assim como um pai amoroso se agrada em atender os anseios e desejos dos filhos, corrigindo-os e ensinando-os através de seu consentimento ou negação em atender os pedidos, assim o faz Deus. A natureza humana imita a divina. Assim fazem os pais terrestres e assim sempre o fez o Deus da vida. Ele está a nos ensinar a como nos comportarmos como seus filhos. Está sempre a ensinar valores que precisam fazer parte de nós. Pedir, ser humilde e reconhecer nossa plena necessidade da provisão divina estão entre seus ensinamentos. Ora, não fazem isso os pais para com seus filhos aqui na terra? Não estão sempre a educar as crianças por toda a vida? Sabem muito bem que precisam alimentar os filhos, colocar na escola, dar as vacinas, ensinar a higiene e precisam os filhos pedir por isso? Claro que não, se são bons pais sabem de tudo isso antes mesmo dos filhos, mas como bons pais ouvem todos os seus pedidos, se alegram com eles porque enxergam a confiança filial e lhes concedem por amor o que lhes convém. Nada mais fazemos que fazer como Deus faz. Se este cientista pergunta abertamente qual o propósito é porque anda ele por caminhos bem desvairados. Espero que a vida o conduza a fazer uma experiência de Deus para "cair a ficha" e o Sr. Wathey compreenda que o buraco é mais embaixo. Sigamos...

"No entendimento de Wathey, a oração é um fenômeno biológico.

Eu acho que se trata de um instinto dos humanos que, na infância, choram para despertar a atenção da mãe, já que os bebês são completamente indefesos.

O neurocientista afirmou que essa extrema dependência do bebê pela mãe (ou de Deus, por parte do adulto) fez sentido nos primórdios da humanidade, quando nossa espécie tinha poucos indivíduos em relação à extensão da Terra e corria o risco de ser extinta.

Nos atuais dias, disse, levando em conta a superpopulação, esse sentimento de dependência é um legado inútil, e a evolução tende a aboli-lo.

Com informação do site Point of Inquiry, da resenha do livro e de outras fontes e com fotos de divulgação".

Caros leitores, barbaridade das barbaridades. O neurocientista, termina sua entrevista dizendo que a extrema dependência de Deus por parte do adulto, ou seja, das pessoas fez sentido no passado mas agora é inútil. Sem sobra de dúvidas afirmações assim só demonstram como andam os princípios do mundo. Claro, um mundo que quer viver sem Deus, fazendo desta terra uma paraíso sem Deus, só pode pregar essas imundícies. Quem crer e for batizado será salvo. Quem comer a minha carne e beber o meu sangue permanece em mim e eu nele e terá a vida eterna, disse Jesus. Quem afirma que as coisas de Deus ou relacionadas a Deus são inúteis das duas uma: ou ainda é ignorante ou já se decidiu em abraçar a catequese do mundo que diga-se de passagem é a catequese de satanás. O príncipe do mundo, o qual Jesus não tem parte com ele está com autoridade para varrer com sua calda a humanidade. Como é triste perceber que é crescente o número de pessoas que se convencem a cada dia que é possível viver sem Deus e sem sua lei e suas promessas. E pior: sem o seu amor!

Verdade; é possível, mas é certo? É o que de melhor podemos fazer? Se acreditamos que existe um Deus, e que este Deus nos criou por seu amor, e de que temos apenas uma alma, e uma só vida para salvá-la, não podemos levar na brincadeira esse desafio de ser cristão católico. Peçamos a Deus, a esse Deus tão ofendido todos os dias por tantos pecadores que nem se acham mais pecadores, por tantas pessoas que pecam achando que não pecam, por todas as pessoas que se esforçam para não pecar mas caem na tentação e pecam, e por aqueles que deliberadamente pecam virando as costas para Deus, que nos conceda a graça de termos um coração semelhante ao coração misericordioso de Jesus, incapaz de transgredir o menor desejo dos céus. Que nosso coração, de onde brotam todas as coisas seja capaz de perdoar sempre, de sempre amar, de sempre se manter fiel ao evangelho daquele que por amor nos resgatou na cruz a preço de sangue, amém.


fonte: Jefferson Roger e demais fontes descritas no texto
Leia Mais ››

Pornografia em 2015


4.392.486.580 é o número de horas que foram gastas com pornografia no ano de 2015. Isto significa que em um ano, internautas do mundo todo passaram 501.425 anos assistindo pornografia em algum site pornô. Em apenas um site, os acessos chegaram a escandalosos 87.849.731.608 — ou seja, para cada uma pessoa no planeta, 12 vídeos pornôs foram vistos. Os dados são do LifeSiteNews.com.

O fascínio pelo sexo explícito é antigo. Mesmo para algumas religiões de rígida moral, o paraíso é descrito como um lugar de sortilégio. Os muçulmanos, por exemplo, creem em um Céu cheio de virgens para eles. Na antiga Grécia, o sexo era venerado como um deus: estátuas fálicas decoravam as casas e partes da grande Atenas, onde surgiu a palavra "pornografia" para definir os escritos sobre prostitutas da época. Com o tempo, o termo passou a designar "tudo o que descrevia as relações sexuais sem amor", como explica o historiador francês Sarane Alexandrian.

Na Idade Média, a influência do cristianismo ordenou a sexualidade para a vida conjugal, sacralizando-a no matrimônio. Isto desenvolveu uma nova visão acerca do corpo humano. Ele deixou de ser idolatrado como um objeto de prazer para converter-se no Templo do Espírito Santo. Com a purificação da sexualidade, não mais governada pela concupiscência, homem e mulher passaram a tratar-se como uma só carne, dois indivíduos unidos definitivamente pelos laços matrimoniais. Foi apenas com o Renascimento que a sexualidade voltou a ser banalizada como nos tempos da Grécia e de Roma.

A nossa era assiste a uma onda pornográfica inigualável. O que antes estava restrito às salas discretas das locadoras e das bancas de jornais, tornou-se agora acessível a todos os públicos pela democratização da internet. Desde a mais tenra idade, os jovens já são expostos à pornografia. Embora haja quem considere isso um progresso, inúmeros estudos têm classificado a pornografia como uma nova espécie de droga, tendo como um de seus efeitos mais malignos o aumento da agressividade. Eis o que nos diz este estudo publicado no Journal of Communication:

[...] 22 estudos de sete diferentes países foram analisados. O consumo (de pornografia) foi associado com agressão sexual nos Estados Unidos e internacionalmente, entre homens e mulheres [...] Associações foram mais fortes para agressões sexuais verbais do que para físicas, apesar de ambas serem significantes.

Sejamos francos: esses resultados não são nenhuma novidade. Quando se cresce em uma cultura que não valoriza a sexualidade em todas as suas dimensões, mas, ao contrário, defende a ideia de que o corpo humano seja apenas um instrumento do qual se pode obter prazer incontrolável, não deveríamos nos assustar com o aumento de estupros, gravidezes indesejadas, violência doméstica etc. Na verdade, essas coisas nada mais são do que a consequência mais grave de uma mentalidade que, como dizia Bento XVI na encíclica Deus Caritas Est, ensina o homem a considerar "o corpo e a sexualidade como a parte meramente material de si mesmo a usar e explorar com proveito". O ser humano se torna uma mercadoria, "uma 'coisa' que se pode comprar e vender" (n. 5).

A crítica que geralmente fazemos aos movimentos feministas deve-se justamente ao que expusemos acima. A "cultura do estupro", como dizem, não é gerada pelo patriarcalismo cristão e europeu. Sociólogos não religiosos admitem a contribuição imprescindível do cristianismo, em especial, da Igreja Católica, para a emancipação feminina. A "cultura do estupro" tem a ver como uma noção deturpada a respeito do homem e da mulher, que encontrou eco na chamada Revolução Sexual e se propaga por meio da pornografia. Trata-se de uma noção que reduz a intimidade do casal a apenas uma noite de prazer e nada mais. E as feministas que defendem esse tipo de mentalidade alimentam o monstro que pretendem combater.

O machismo nunca será vencido com "Marchas de Vadias". Embora não queiram aceitar, a melhor maneira de domar a fera dentro do homem é ensinando-o a viver a continência pré-matrimonial. A castidade não é simplesmente não fazer sexo, como pensam as mentes vulgares desta época, mas enxergar a pessoa humana como uma criatura amada por Deus. Os pais têm o dever de inculcar isso na mente dos filhos para que a sedução do sexo fácil não os escravize. Os pais precisam tornar-se amigos de seus filhos, companheiros de jornada, agindo com paciência, compreensão, sem medo de perguntas embaraçosas, para que os jovens não busquem na pornografia aquilo que eles poderiam aprender corretamente em casa. Este é o caminho: educar para o Céu.


fonte: padrepauloricardo.org/blog
Leia Mais ››

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Se entregar pelo outro


Já dizia Jesus que não existe amor maior do que aquele que dá a vida pelo irmão. Amar é fazer aquilo que é bom para o outro. Gostar é fazer aquilo que é bom para si próprio. Por isso no curso de nossas vidas encontramos tantas pessoas gostando demais e amando de menos. Gostar tem raízes egoístas. Através do dom da sabedoria, recebido pelo Espírito Santo, passamos a amar o próximo como a nós mesmos, mas por amor a Deus. Essa atitude que fica em completa sintonia com os mandamentos do amor faz a pessoa se colocar a serviço do próximo, seja esse próximo quem for.

Aqui neste artigo, iremos exemplificar com uma matéria publicada no portal r7 que trata justamente deste tema: Fazer pelo outro, na gratuidade.

Mães fazem de tudo para proteger seus filhos, mas Fernanda e o marido Rafael dedicam suas vidas para proteger o filho Bernardo, de dois anos, que tem um nível de alergia ameaçador, tanto que é preciso andar com uma caneta de adrenalina sempre para evitar uma tragédia.

O pequeno Bernardo tem alergia a uma série de alimentos: leite, soja, banana, ovo, carne de vaca, corante vermelho, castanhas, pistache e todas as oleaginosas. Se fizer contato com algum destes alimentos, surgem manchas na pele do menino, vômitos e até diarreia com sangue.
A mãe conta que descobriu a doença do filho logo que ele nasceu.

— Meu obstetra me disse: "Corta o leite porque dá muita cólica", aí eu cortei, mas continuei com o queijo, a soja, mas isso tudo eu consumindo. E o Bernardo era uma criança estranha. Ele chorava muito, vomitava o tempo inteiro e o refluxo dele era daqueles que voava longe, e também tinha umas brotoejas na pele. Quando eu levava no pediatra, diziam que brotoejas eram de calor, o refluxo porque ele era pequeno e o choro normal. Como mãe de primeira viagem, pensava: "Tudo é normal mesmo"

— Quando ele fez três meses, voltei a tomar leite e tive que interná-lo no hospital horas depois. Ele teve uma diarreia, vômito excessivo, tanto que chegou no hospital com desidratação. No caminho, lembro que ele estava tão desidratado que estava desfalecendo no meu colo. Chegando lá, contei a história para uma gastropediatra e ela logo descobriu que ele era alérgico a leite. Neste período também, nós fomos ao mercado e o Rafael comeu um salgadinho de queijo e deu um beijo nele, logo subiu uma placa vermelha no rosto. Foi aí que descobrimos. Ele tem reações que envolvem as células do sistema imunológico e podem levá-lo a ter um choque anafilático.

O casal mudou completamente a alimentação, tanto que Rafael emagreceu mais de 30 kg e Fernanda pouco mais de 15 kg. Fernanda se emociona ao falar sobre a vida social que perderam para cuidar de Bernardo.

— As pessoas não acreditam na alergia dele. Se eu vou em algum lugar e peço para a pessoa não pegá-lo e explicou o motivo, já torcem o nariz. Um dia, meu filho quis abraçar uma criança e a criança também quis abraçar ele, então a gente pediu para a mãe trocar a camiseta porque se tivesse algum farelo prejudicaria, ela disse: "Não. Ele que olhe de longe". De tudo que passou, foi o que mais doeu. Cheguei em casa e chorei muito.

Depois, enxuguei o rosto e disse: "Não vou mais chorar porque meu filho é perfeito. Ele não tem nada e, de hoje em diante, vou lutar para a vida dele ser a melhor possível. E é. Se algum dia alguém não quiser abraçá-lo, não tem problema, porque ele tem abraço em casa.
Para evitar tragédias, sempre que sai com Bernardo, Fernanda leva uma injeção de adrenalina, pois se o pequeno tiver um choque anafilático, é apenas essa medicação que pode salvá-lo. Os pais fazem de tudo para que Bernardo não se sinta sozinho.

— Quando a gente anda na rua, se ele vê uma criança, ele quer soltar da minha mão e abraçar. Como mãe, faço o que posso. Meu marido até diz que sou mais moleque que ele.

Completamente apaixonada por Bernardo, Fernanda afirma que abriria mão de sua vida para fazer seu filho feliz.

— Nada que eu faça pelo Bernardo é demais. Ele é meu filho, meu melhor amigo, é um presente que Deus deu para mim.


fonte: portal r7
Leia Mais ››

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Sou o Senhor e não mudo


Malaquias 3,6 – “Sou o Senhor e não mudo”. Pois é caros leitores, lá vamos nós. O ser humano está sempre a insistir que é dono de sua vida e livre para fazer o que quiser. Diz que a vida é curta e que é preciso aproveitá-la. Muitos também, em algum momento de suas vidas acabam passando pela tentação do desânimo. Alguns exemplos. “Me esforço tanto e a vida é tão difícil ao passo que aquela pessoa, que nem é tão boa, para ela tudo é tão fácil na vida... Ou ainda, aquela pessoa não passa dificuldades nenhuma e tudo se ajeita para ela enquanto que para mim as coisas não vão para frente... Nem precisamos continuar. A lista de exemplos ficaria muito grande. Já ouvimos e algumas vezes na vida até agimos assim.

E quando batemos de frente com a realidade e enxergamos nossa condição de criaturas de Deus, para muitos a revolta preenche o coração. Deus se transforma num desmancha prazeres. Ahhh, temos a solução! Se Deus faz parte dos meus problemas ou se é causador deles, ora vamos deixar Deus de lado, vamos nos tornar ateus. Resolvido.

Porém, ser ateu também é difícil. Para mim, que sou católico de berço, não consigo compreender como uma pessoa pode acreditar que ela era um nada, passou a existência e depois quando morrer passará ao nada, deixando de existir para todo o sempre. Eu não entendo caros leitores. Existe ainda, aqueles que são meio ateus. Acreditam que não é obra de Deus todas as coisas, inclusive eles, mas acreditam que existe alguma coisa depois da morte. Alguma energia cósmica superior que os envolverá e os acolherá vivendo a partir de então numa consciência cósmica coletiva. O que é isso? Não posso, no entanto, dizer que piorou porque quem pensa assim sente que existe uma supremacia além desta vida. Quem sabe pessoas assim acabarão se rendendo a verdade divina e abraçando os planos de Deus.

E isto é exatamente o que Deus quer de nós. Por isso nos concedeu o dom da fé, que é a certeza sobre aquilo que não se vê. Sobre a fé é importante ler o capítulo 11 da carta aos Hebreus. Alguns ainda podem argumentar dizendo que não é uma escolha justa porque como escolher entre duas coisas sem atestá-las primeiro? Repito: recebemos de Deus inicialmente o dom da fé. Vamos parar de rotular a Deus como definições mundanas.

O mundo prega ver para crer, os céus pregam crer para ver. Façamos nossa escolha.

“Sou o Senhor e não mudo”. Este trecho que encontramos no livro do profeta Malaquias 3,6 ilustra de forma categórica o perfil de nosso criador. Ou seja, Deus vai agir como Ele quer e não como nós gostaríamos que agisse. Ele não irá nos mimar para que nos percamos no inferno. E quando Ele age nos concedendo o que pedimos é porque isso está conforme a sua vontade e irá contribuir para nossa salvação. Do contrário, não nos enganemos, o “não” que muitas vezes recebemos de Deus tem caráter salvífico porque Ele sabe de tudo que precisamos e o que é melhor para nós.

Ou nos configuramos a sua vontade, ao seu projeto e plano ou não vai dar certo. Está claro, Ele não muda. Jesus nos ensinou na oração do Pai Nosso; seja feita a vossa vontade, assim na terra como nos céus. Nossa revolta, rebeldia e desobediência, nos comportando como alguns dizem de gênio duro e difícil de lidar, não irá gerar muitos frutos. E vamos ser mais francos ainda? Não irá gerar nenhum fruto, pelo menos nenhum bom fruto. Na carta aos Hebreus 6,12 aprendemos do apóstolo a sermos imitadores daqueles que pela fé e paciência se tornaram herdeiros das promessas. E a isso soma-se o ensinamento de Jesus que nos ensina que existe uma virtude entre tantas que será recompensada. Ele diz: “aquele que perseverar até o fim, este será salvo”.

O criado do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis nos concede através do batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, a condição de nos tornarmos seus filhos, membros da igreja de Cristo, herdeiros de suas promessas. Acolhamos a salvação paga a preço de sangue na cruz, vivamos o desafio diário de sermos católicos, até o fim, na perseverança que pode nos cobrar por amor a Jesus, até nosso último suspiro, como aconteceu com muitos santos e santas.

Que também nós, façamos a experiência de Deus, nos convertamos, abracemos as verdades que não passam e passemos por nossa peregrinação aqui na terra não dando desgosto aquele que nos amou primeiro.


fonte: Jefferson Roger
Leia Mais ››

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Efeitos da pornografia na alma


Retomando uma longa tradição ascética, formada por autores como Evágrio Pôntico, São João Cassiano e São João Damasceno, Santo Tomás de Aquino define a acídia (ακηδία, em grego) como um tipo de tristeza. Esta é a reação do ser humano ao mal presente. O que especifica a acídia é que se trata de "uma tristeza proveniente de um bem espiritual". A pessoa acometida por essa doença interpreta o bem que Deus tem para ela como um mal e, por isso, fica triste.

Mas, o que Deus tem para o ser humano? Ora, o homem foi colocado na Terra para amar – não o simples amor natural, entre homem e mulher, mas a caridade, o amor divino. Para que essa criatura miserável, marcada pelo pecado original, possa amar a Deus, no entanto, é preciso que Este venha, com Sua graça, transformá-lo, matar o "homem velho" e fazer surgir um novo homem, ressuscitado e capaz da experiência do amor sobrenatural. Essa é a vocação do ser humano e a única forma que ele tem de encontrar a plena felicidade.

O acidioso, porém, vê tudo isso como um mal. Ao contemplar a santidade, que é o grande chamado de Deus para a sua vida, ele se entristece. O relato de Santo Agostinho, antes de decidir-se de vez por sua conversão, ilustra bem esse comportamento: "Mantinham-me preso umas tantas bagatelas, umas vaidades de vaidades, antigas amigas minhas, que me puxavam por minhas vestes carnais, murmurando: 'Então, nos abandonas? De agora em diante nunca mais estaremos contigo? Desde este momento nunca mais te será lícito isto ou aquilo?'". Apodera-se, então, da pessoa uma tristeza profunda, que tem dois efeitos:

O ressentimento com Deus – que seria visto como uma espécie de "desmancha-prazeres";

Uma inquietação, que pode se traduzir tanto em morosidade quanto em um malfadado "ativismo", no qual a pessoa se enche de afazeres só para fugir de seus deveres, mormente os espirituais. Ela faz um monte de coisas só para não fazer aquela coisa, que é rezar e amar a Deus. No vício da pornografia, ela vai abrindo páginas e mais páginas, gastando o tempo que tinha para amar a Deus em futilidades e ninharias.

O povo de Israel perambulando por quarenta anos no deserto é uma imagem muito apropriada da doença espiritual da acídia. Depois de serem libertos da escravidão do Egito, os israelitas chegaram bem depressa às portas da Terra Prometida. Por medo e covardia, no entanto, não quiseram atravessar e conquistar a terra que Deus tinha preparado para eles: "O povo que vive nessa terra é muito forte. As cidades são fortificadas e enormes. (...) Não podemos enfrentar esse povo, porque é mais forte do que nós" ( Nm 13, 28.31). Ao contrário, até começaram a planejar uma volta para o Egito: "Por que nos leva o Senhor para esta terra? A fim de cairmos ao fio da espada, e para que nossas mulheres e nossos filhos sejam reduzidos ao cativeiro? (...) Vamos escolher um chefe e voltar para o Egito" (Nm 14, 3-4). Como castigo por sua infidelidade, o Senhor entregou-os às suas vontades e deixou que ficassem quarenta anos no deserto: "Não entrarão no meu repouso prometido" (Sl 94, 11; cf. Nm 14, 20-38).

O acidioso, como o povo de Israel, tem a Terra Prometida diante de si, mas não quer entrar. Ele vê o grande projeto para o qual é chamado – a santidade –, mas resiste em dar o passo do amor. Por isso, fica perambulando no deserto, de clique em clique, de pecado em pecado, sem avançar. Muitas pessoas não largam o vício da pornografia porque, ainda que reconheçam a sua maldade e queiram sair, não estão dispostas a pagar o preço de sua escolha. Estão sempre negociando com Deus: ao invés de deixar tudo e progredir na vida espiritual, querem manter um pouco do homem velho, desfrutando de alguns "prazerzinhos" aqui e acolá.

Outra imagem bíblica que reflete essa tristeza espiritual é a da mulher de Lot. Deus separa Lot, sua mulher e suas duas filhas para escapar da destruição de Sodoma e Gomorra, faz eles saírem do lugar, mas "a mulher de Lot", com saudades da miséria, "olhou para trás e tornou-se uma estátua de sal" ( Gn 19, 26). O acidioso está a todo momento olhando para trás, para a sua vida passada, sem querer seguir decididamente o projeto de santidade e tomar de assalto a própria vida espiritual.

Como indica Nosso Senhor, "o Reino dos céus é dos violentos" ( Mt 11, 12). Para sair da pornografia, a pessoa não se pode contentar com um ideal baixo, com simplesmente "ser boazinha". Essa atitude mesquinha torna muito mais árduo o caminho da restauração. O povo de Israel, por exemplo, quando estava no deserto, começou a sentir saudades do Egito: "Estamos lembrados dos peixes que comíamos de graça no Egito, dos pepinos, melões, verduras, cebolas e alhos!" (Nm 11, 5). Do mesmo modo, quando se sai do pecado da pornografia e da masturbação e se entra na fase da abstinência, alguém pode se sentir tentado a recordar as "cebolas e alhos" que ganhava na escravidão. Sem "fome e sede de justiça" – a bem-aventurança que, com razão, é apontada como oposta da acídia (cf. Mt 5, 6) –, é muito fácil voltar atrás e desistir de tudo. É preciso, pois, querer, com determinação, que Deus aja em si e o transforme interiormente em um novo homem.

Rebecca DeYoung aponta mui claramente que, para Santo Tomás, o problema do acidioso – e a pornografia se encaixa perfeitamente neste exemplo – é buscar uma alternativa de amor em que não se tem que pagar o preço da aliança. O adicto só quer usar e ser usado. Por isso, é uma grande erro associar o sexo desregrado ao amor. Amar, a nível humano, é contrariar-se por causa do outro, e, a nível sobrenatural, é deixar-se modelar por Deus, purificando-se até o sacrifício de si mesmo. Afinal, " sine effusione sanguinis non fit redemptio – sem derramamento de sangue, não há redenção".

Muito mais do que a luxúria, então, o mal que acomete quem se entrega à pornografia e à masturbação chama-se acídia. A tristeza e inquietação de quem vive no pecado são um sinal de que o homem foi feito para Deus e inquieto está o seu coração enquanto não repousar n'Ele.


fonte: padrepauloricardo.org/blog
Leia Mais ››

Pornografia


Tomografias computadorizadas atestam: a pornografia e a masturbação alteram o funcionamento do cérebro humano e podem causar dependência. Não é exagero. A pornografia é realmente um novo tipo de droga, tanto quanto a cocaína ou a heroína.

As descobertas obtidas neste campo são bem recentes – começaram nos últimos 15 anos –, seja porque as alterações identificadas no cérebro são sutis, seja porque o fenômeno da Internet de alta velocidade – que fez espalhar a pornografia com muito mais força – também é algo relativamente novo. De fato, com esta ferramenta em mãos, um jovem é capaz de assistir, durante uma hora, a mais cenas de sexo do que os nossos antepassados podiam ter acesso durante toda a sua vida.

O problema é que Deus não criou o ser humano para isso. É fora de dúvida que o sexo é uma realidade boa, mas aquilo que se vê na pornografia, além de ser um simulacro, uma montagem, deixa profundas impressões no cérebro das pessoas, causando nelas feridas tão ou até mais danosas que as deixadas pelas drogas. Mas, como isso acontece?

O nosso cérebro – que é basicamente o mesmo que tinham os nossos ancestrais – funciona de forma a garantir a nossa sobrevivência. Pense, por exemplo, no chamado "homem da caverna", que, debaixo do forte calor das savanas da África, tinha que caçar, talvez por muito tempo, até encontrar algo para se alimentar. Quando ele finalmente podia desfrutar de sua refeição, era recompensado. Na base de seu cérebro, um neurotransmissor chamado dopamina era liberado, dando-lhe uma sensação de prazer e satisfação. Este mecanismo, que pode ser chamado de "circuito da recompensa", atua da mesma forma quando, hoje, um jovem vai ao McDonald's e devora um sanduíche hipercalórico. Trata-se de um prazer associado a uma função vital do ser humano.

Também o prazer venéreo está associado a uma função humana vital, que é a perpetuação da espécie. No entanto, a carga de dopamina lançada no cérebro em uma relação sexual é muito maior que a liberada durante uma refeição. Assim, se as pessoas são capazes de desenvolver um verdadeiro vício com a comida – chegando a ter problemas de obesidade –, que dizer do compulsivo "sexo virtual" estampado pela pornografia?

Na "caçada virtual" – a qual exige muito menos esforço para ganhar uma recompensa muito mais satisfatória –, a cada clique, a cada janela aberta, a cada vídeo a que se assiste, uma alta quantidade de dopamina é jogada no cérebro. Da base, passando pelo núcleo accumbens, até o lobo frontal, quanto mais se consome, mais se quer. Porém, assim como no consumo da cocaína, as outras descargas de dopamina nunca são iguais ao "primeiro pico". Por que isso acontece?

Porque o cérebro está tentando se proteger. Quando uma pessoa começa a liberar dopamina em excesso, os receptores dos neurônios identificam o perigo e começam a bloquear a passagem do neurotransmissor. Com as "janelas" dos neurônios fechadas, passa menos substância e, portanto, menor é o prazer. É por isso que quem consome cocaína – assim como quem consome pornografia – não consegue mais atingir o prazer que alcançou no início. Ora, fica claro que o ser humano, definitivamente, não foi feito para consumir sexo a esse ritmo frenético e obsessivo.

São visíveis, no dia a dia, as consequências desse vício. Aquelas atividades comuns e prazerosas que fazem parte do cotidiano – como encontrar um amigo, rezar, comer, estar com a família, contemplar uma obra de arte etc. – começam a ficar sem graça. Com os receptores bloqueando a passagem de dopamina, nem as suas menores quantidades são capazes de animar ou levantar a pessoa, para a qual tudo se torna chato, entediante e depressivo. E, no entanto, toda essa situação poderia ter sido evitada, se, desde o começo, o jovem agora dependente tivesse se decidido pela castidade.

Outra descoberta também recente e importante do mundo da ciência é a chamada "plasticidade neuronal". Estudos descobriram que estímulos direcionados tendem a fazer como que uma "trilha" no cérebro: o órgão aprende caminhos que vão se repetindo e, pouco a pouco, alteram a própria forma que o indivíduo tem de enxergar os outros. Isso explica o fato de muitos não conseguirem lidar com as pessoas senão sob o aspecto sexual. Explica também o curioso fenômeno de disfunção erétil entre jovens nos Estados Unidos. Acostumados com estímulos visuais, os adictos em pornografia modelaram o seu cérebro para o sexo tal como retratado nos vídeos pornô. Como consequência, não conseguem sequer ter uma ereção em um relacionamento sexual de verdade – no qual contam coisas muito mais importantes que o sentido da visão.

Novos estudos também mostram como é cada vez mais precoce a exposição à pornografia. Nos Estados Unidos, por exemplo, a média de idade com que se entra em contato com o mundo pornográfico é de 11 anos. Nessa faixa etária, o cérebro humano é extremamente moldável e a sua alta "plasticidade" torna os jovens reféns das mentiras exibidas nos vídeos pornô. Como consequência, acontecem as tragédias. No site Your Brain On Porn ["Seu Cérebro na Pornografia"], são inúmeros os testemunhos de adolescentes falando de problemas como impotência sexual, depressão, pensamentos suicidas, síndrome do pânico, déficit de atenção etc.

Para quem já está assustado com todas as consequências desta droga, importa identificar os principais sintomas do vício em pornografia. São três:

O adicto já tentou parar e não conseguiu;
O adicto já está começando a ter dificuldades com isso (no emprego, na escola ou na faculdade, por exemplo);
O adicto gasta um tempo enorme com esse tipo de material.

Constatada a adição, o que fazer? Uma boa notícia é que a neuroplasticidade é reversível. A readequação do cérebro, no entanto, leva tempo, e o caminho para sair do vício é praticamente o mesmo dos ex-usuários de drogas, incluindo as suas síndromes de abstinência.

O primeiro passo a ser dado, todavia, é reconhecer a própria dependência, a escravidão para a qual essa droga o arrastou. Na recuperação, não vale ceder a falsas consolações, alegando que, em matéria de pornografia e masturbação, "todo o mundo faz". (Infelizmente, é verdade, todos fazem mesmo: um grupo de pesquisadores canadenses quis procurar os efeitos da pornografia em jovens universitários, mas, na falta de um grupo de controle – isto é, de jovens que não assistiam a material pornográfico –, não conseguiu realizar a pesquisa, tão grave está a situação da humanidade. Ou seja, ninguém sabe mais como é um ser humano normal, porque a vida dos jovens é uma constante busca de recompensas venéreas, e o sexo, que deveria gerar a vida, está gerando a morte.) Todavia, embora o consumo dessas drogas seja comum, não é algo normal, o ser humano não foi feito para isso.

A oxitocina, um dos hormônios presentes na relação sexual, responsável por criar empatia e união entre as pessoas, mostra que o ser humano foi feito para amar, para estar com os outros, não para viver na solidão, em frente a uma tela de computador. Por isso, quem quer se libertar do vício da pornografia e da masturbação, além de mudar radicalmente o seu estilo de vida, precisa entrar em contato com as pessoas e buscar ajuda, verdadeiramente. Nesta caminhada de autêntica desintoxicação, ninguém está sozinho. Com a ajuda da Trindade, da Virgem Maria, dos santos e dos cristãos que combatem nesta Terra, todos podem restaurar a sua integridade.


fonte: padrepauloricardo.org/blog
Leia Mais ››

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Cuida das mentiras


“Cuida-te para não dizeres mentira alguma, pois o costume de mentir é coisa má”. Este versículo caros leitores é o versículo 14, retirado do capítulo 7 do livro do Eclesiástico. Assim como o livro dos Provérbios, este livro possui grandes ensinamentos encontrados em toda a sagrada escritura e com o versículo em questão que estamos a meditar, não poderia ser diferente. Mesmo que não fosse contextualizado facilmente uma pequena educação apoiada em bons, sensatos e honestos princípios poderia e pode apontar que, esse negócio de mentir não é coisa boa.

Indo um pouco mais além, podemos compreender que como tudo se relaciona com a eterna batalha do bem contra o mal, da mesma forma a verdade contrapõe-se a mentira. Como nos diz o versículo, essa atitude que é má, principalmente é porque ela se contrapõe ao pai de todas as verdades: Jesus. Foi Ele quem nos disse que é a verdade. Então, não importa em que grau iremos mentir. Não existe isso de que é uma mentirinha, ou que é uma mentirinha branca, uma mentirinha branda. De que essas pequenas mentiras ajudam a resolver alguns probleminhas. Nada disso, assim como não existe esse negócio de que vamos mentir só um pouquinho e que não vai fazer mal algum pois a intenção é boa.... e por aí vai. Dá para ficar aqui relacionando uma série de malabarismos que as pessoas fazem em suas mentes na tentativa de acalmar a consciência perante um ato que no fundo sabem que está errado.

É o mesmo caso das pessoas que são multadas no trânsito. Elas vão fazendo, vão fazendo, vão se arriscando e não vão sendo pegas. Não são vistas cometendo seus erros até que quando, por exemplo, são flagradas, dão suas desculpas esfarrapadas, muitas vezes irritadas argumentando que tantas pessoas fazem assim e porque não penalizar a todos? São pegas e a primeira reação do infrator ao erro é o ódio.

Isso já foi dito pelos santos da igreja católica, por Santo Agostinho e São Tomás de Aquino. A primeira reação do pecador frente a verdade é o ódio. Pois bem, se mentir é um erro e não existe uma mentira que seja verdadeira pois não se coadunam verdades com mentiras será que existe graus de mentira? Vamos refletir.

Com certeza podemos afirmar que sim. Vamos a um simples exemplo para elucidar. Se não sou conhecedor da verdade a respeito de um assunto e aprendo sobre ele algo que é mentira passando a divulgar essa mentira como se fosse verdade, estou a cometer um erro, que tem sua parcela de gravidade estando eu em ignorância vencível. Para elucidar, ignorância vencível é a falta de conhecimento que podemos resolver, indo por iniciativa própria em busca da verdadeira verdade. Por outro lado, se sou conhecedor de uma mentira, sabendo que esta é de fato mentira, e me levanto em defesa dessa mentira, conscientemente, já aqui existe um agravante pois por livre arbítrio optei pelo que me convém, pela verdade que não é a verdade.

Vamos resumir até aqui? Mentir sem saber é uma coisa, mentir sabendo é outra. E para relembrar, mentir é desobedecer o oitavo mandamento da lei de Deus. Se não lembra lá vai ele: "Não levantar falso testemunho". Bem, continuemos. Transformando a questão para a realidade do pecado, este poderá ser venial ou mortal. E tem mais, assim como não se pode e não se deve ter uma fé percentual, não se pode compactuar com a mentira, que é falsa. No dia de nosso juízo particular não poderemos dizer a Jesus que fizemos isso, isso e aquilo de bom, mas para resolver alguns probleminhas de ordem pessoal e egoísta dissemos essa, essa e aquela mentirinha.

Tomemos cuidado, pode ser que algumas mentirinhas apenas nos coloquem no purgatório, mas uma quantidade de mentirinhas podem se somar e nos levar ao passo derradeiro do abismo, nos condenando ao inferno. Não se peca grave e mortalmente de uma hora para outra. As tentações vão nos fazendo cair aos poucos até que enfim damos o passo final na rampa da condenação. Por isso que a bíblia nos ensina a tomarmos cuidado. Santo Agostinho já dizia sobre os pecados veniais: “se não teme ao cometê-los, treme ao conta-los.


fonte: Jefferson Roger
Leia Mais ››

Cuida do seu povo e da sua religião


De grande valor histórico, o livro de Macabeus, integrante dos deuterocanônicos da bíblia, narra a história de um povo que luta pela liberdade política e religiosa, comandados, podemos dizer assim, pela família dos Macabeus, na pessoa de Judas Macabeus. Feito esta pequena introdução muitíssimo resumida, pois o objetivo deste artigo não é fazer um estudo a respeito dos livros de Macabeus, presentes no antigo testamento e sim colocar um norte a respeito do que iremos refletir nesta postagem.

1 Macabeus 3,43 – Levantemos nossa pátria de seu abatimento e lutemos por nosso povo e nossa religião.

Pois bem, como membros do corpo de Cristo, a igreja, Ele, Jesus, como cabeça nos convida a trabalharmos pela instauração de seu reino já aqui na terra. Muitos podem pensar: puxa vida, aprendi que este mundo irá passar e a Nova Jerusalém Celeste irá descer e iniciaremos a vida eterna na felicidade junto a Deus Pai. Ora, não morrerei e por causa de minhas obras e minha conduta irei herdar o prêmio eterno ou a condenação eterna, indo ao céu ou ao inferno? Ou seja, não deixarei este mundo? Por que então trabalhar nele para a instauração do reino de Deus pois o reino já não existe? Já não está lá em cima, no céu, onde fica o paraíso e de onde houve a queda de lúcifer e seus anjos seguidores? Muitas vezes são perguntas um tanto válidas por causa da ignorância das pessoas, embora uma ignorância vencível que não se supera por preguiça. E aqui a preguiça, que é um dos pecados capitais tem influência muito perigosa pois a salvação das almas entra em jogo.

O livro do apocalipse é bem claro: vi novos céus e nova terra, o mar já não existe mais. Então, para podermos bem compreender o sentido das coisas é preciso olhos e ouvidos atentos. Lutar pelo nosso povo e nossa religião é uma condição, um dever que começa dentro de nossa própria casa, a igreja doméstica. As pessoas que estão próximas a nós, são as que devemos evangelizar e são as que irão nos evangelizar. O ide e pregai o evangelho a todos começa entre quatro paredes e sob o teto de nossa morada. E essa missão se estende a medida em que nosso horizonte na caminhada aumenta. Começamos em casa, continuamos com os conhecidos, os amigos, os parentes, a comunidade em que vivemos, o bairro, a cidade e por aí vai. Este é o verdadeiro sentido do que devemos fazer. E compreendendo isso fica também fácil perceber que assim o fazemos pelo que falamos, através de nosso comportamento e atitudes. Exatamente como Jesus fazia. Que ensinamento perfeito porque assim, por exemplo, se uma pessoa não fala conosco, por se achar nossa inimiga, nós, pelo contrário “falamos” com ela através de nossos exemplos, atitudes e comportamentos. Dessa forma, o falar e o agir, darão sempre testemunhos da nossa fé e nos mostrarão o tipo de cristão católico que somos.

Certa vez, Jesus em uma de suas aparições a Santa Maria Faustina Kowalska disse a ela que lhe é muito agradável quando rezamos pedindo pela misericórdia de Jesus, a conversão de todos os pobres pecadores. Nem poderia ser diferente não é mesmo pois este pedido que tanto agrada a Jesus é um pedido que coloca de lado qualquer desejo egoísta. Assim como Deus faz chover e nascer o sol sobre justos e injustos, nossa perfeição enquanto filhos de Deus é seguir os ensinamentos da trindade. Afinal, não seremos nós que estaremos sentados a direita do Pai, para julgar os vivos e os mortos. Não cabe a cada um de nós decidir quem irá entrar no reino dos céus, cabe a nós rezar a Deus pedindo que cada um se converta e siga pelo vale de lágrimas peregrinando por suas tribulações para alcançar a porta estreita. Nosso falar e agir consiste em fazer a vontade do Pai, que não quer que nenhum daqueles que confiou a Jesus se perca, mas que tenha a vida eterna.

Portanto, é preciso sim trabalhar pelo reino de Deus, porque Jesus subiu aos céus e está a preparar um lugar para nós, e virá nos buscar. Como na parábola das noivas prudentes estejamos atentos porque o noivo virá, e como um ladrão que não avisa a hora, nossa morte marcará o fim da oportunidade de fazer amanhã o que já deveríamos estar fazendo hoje e já deveríamos estar fazendo desde ontem: cuidando do nosso povo e da nossa religião hoje, pois o amanhã não existe ainda, o ontem não existe mais, Deus nos concede o hoje para trabalharmos pelo seu reino formando um povo santo, para que quando este mundo passar, os céus sejam povoados de filhos e filhas do Altíssimo que nós, com o nosso trabalho e aceitação total, contribuímos e colaboramos para os desígnios divinos.


fonte: Jefferson Roger
Leia Mais ››

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Um grande testemunho sobre a Eucaristia


Alguns meses antes de sua morte, o Bispo Fulton J. Sheen foi entrevistado pela rede nacional de televisão: “Bispo Sheen, milhares de pessoas em todo o mundo inspiram-se em você. Em quem você se inspirou? Foi por acaso em algum Papa?”.

O Bispo Sheen respondeu que sua maior inspiração não foi um Papa, um Cardeal, ou outro Bispo, sequer um sacerdote ou freira. Foi uma menina chinesa de onze anos de idade.

Explicou que quando os comunistas apoderaram-se da China, prenderam um sacerdote em sua própria reitoria, próximo à Igreja. O sacerdote observou assustado, de sua janela, como os comunistas invadiram o templo e dirigiram-se ao santuário. Cheios de ódio profanaram o tabernáculo, pegaram o cálice e, atirando-o ao chão, espalharam-se as hóstias consagradas.

Eram tempos de perseguição e o sacerdote sabia exatamente quantas hóstias havia no cálice: trinta e duas.

Quando os comunistas retiraram-se, talvez não tivessem percebido, ou não prestaram atenção, a uma menininha, que rezando na parte detrás da igreja, viu tudo o que ocorreu. À noite, a pequena regressou e, escapando da guarda posta na reitoria, entrou no templo. Ali, fez uma hora santa de oração, um ato de amor para reparar o ato de ódio. Depois de sua hora santa, entrou no santuário, ajoelhou-se, e inclinando-se para frente, com sua língua recebeu Jesus na Sagrada Comunhão.

A pequena continuou regressando a cada noite, fazendo sua hora santa e recebendo Jesus Eucarístico na língua. Na trigésima noite, depois de haver consumido a última hóstia, acidentalmente fez um barulho que despertou o guarda. Este correu atrás dela, agarrou-a, e golpeou-a até mata-la com a parte posterior de sua arma.

Este ato de martírio heroico foi presenciado pelo sacerdote enquanto, profundamente abatido, olhava da janela de seu quarto convertido em cela.

Quando o Bispo Sheen escutou o relato, inspirou-se de tal maneira que prometeu a Deus que faria uma hora santa de oração diante de Jesus Sacramentado todos os dias, pelo resto de sua vida. Se aquela pequena pôde dar testemunho com sua vida da real e bela Presença do seu Salvador no Santíssimo Sacramento então, o bispo via-se obrigado ao mesmo. Seu único desejo desde então seria atrair o mundo ao Coração ardente de Jesus no Santíssimo Sacramento.

A pequena ensinou ao Bispo o verdadeiro valor e zelo que se deve ter pela Eucaristia; como a fé pode sobrepor-se a todo medo e como o verdadeiro amor a Jesus na Eucaristia deve transcender a própria vida.


fonte: aleteia.org
Leia Mais ››

Verdadeiros Sacerdotes?


Caros leitores, mais uma vez estamos aqui a defender tudo aquilo que sempre nos pediu Jesus que nunca alterou aquilo que pediu. Inicio este artigo assim para bater de frente na questão de que muitos argumentam que “isso não é mais pecado” ou ainda que “isso é um processo da evolução da humanidade, algo inevitável”. Mas que coisa, chega a cansar os ouvidos de tanto escutarmos as baboseiras dos adeptos do relativismo, ateísmo e dos seguidores do mundo e de satanás.

Vamos ser bem simples e diretos. Jesus disse que quem não está com Ele está contra Ele. E ponto final. Essa atitude, essa decisão, essa escolha é feita individualmente como muito bem sabemos. Ou escolhemos seguir Jesus plenamente e ficar com Ele, ou escolhemos seguir outra coisa e ficar sem Ele. Ficar em cima do muro, nem quente e nem frio, em estado morno é pedir para ser vomitado pelo salvador. Esse ensinamento quem nos passa é Jesus no livro do Apocalipse 3. Ou seja, não se pode criar a própria religião ou adaptá-la as necessidades próprias ou aos tempos modernos e suas modas, ou ainda querer abraçar a causa do evangelho e sua cruz sem deixar de lado os desejos e prazeres.

Isso vale para todas as pessoas. Para leigos, sacerdotes e religiosos, vale para todos. E além de termos esse ensinamento retratado nas sagradas escrituras, tamanha é sua gravidade que o próprio salvador ao longo da história da humanidade confirmou essa verdade em algumas aparições aos seus santos e santas. Aqui transcrevo um trecho de um diálogo feito entre Jesus e Santa Angela de Foligno no século XIII. Percebam que o descaso vem de longa data.

E disse Jesus: “Ai, ai, ai! De todos aqueles sacerdotes que temem, ou não querem proibir que se espezinhem e profanem os Meus templos, com a nudez das modas. Muitos deles, deixaram-se seduzir pela sua presença e não querem ser rigorosos no cumprimento dos seus deveres. Eu fui atraiçoado por um falso apóstolo. E hoje, há falsos sacerdotes, religiosos e leigos, que, de forma clandestina, estão trabalhando para destruir a Minha Igreja. Falseiam a Minha Doutrina, permitindo tudo e criando um cristianismo fácil...”

Pois bem, caros leitores, basta este pequeno exemplo, pois poderíamos colher tantos outros. O fato é que para os sacerdotes que receberam da boca de Jesus a missão de apascentar as suas ovelhas, este enorme presente que Deus nos deu, os sacerdotes, recebem sobre si uma tarefa que antes de ser magnífica é digna da gloria dos céus. Nossa Senhora em algumas aparições nos pede para rezarmos por todos eles e confirma que são um presente de Deus. Diz que agora não compreenderemos, mas no céu entenderemos. Com certeza no pedido Dela está incluído essa multidão de padres que de padres tem muito pouco.

Não são somente padres, são qualquer outra coisa e também atuam como padre, como se o fizessem por hobby ou nos horários vagos. O papa Bento XVI e o papa João Paulo II em várias ocasiões exortaram os sacerdotes a seguirem o exemplo de sacerdócio de São João Maria Vianney e de São Pio de Pietrelcina. Sacerdotes de altar e confessionário. Se estudarmos por pouco tempo a vida sacerdotal destes dois grandes santos e seus exemplos como cristãos, rapidamente perceberemos que o que atraía multidões para suas igrejas e paróquias era que eles transmitiam Jesus e tudo o que vinha dele. Eles eram apenas padres, enraizados profundamente nessa vocação.


Hoje em dia, infelizmente não é mais assim. Existem tantos sacerdotes que não merecem ser chamados de padres. Promovem tantos abusos litúrgicos, pregam tantas heresias, tantas contradições, são tão maleáveis na condução das paróquias que chega a desanimar as vezes de tão difícil que é assistir a uma missa não corrompida e a receber uma boa direção espiritual e uma boa confissão. Os verdadeiros católicos, comprometidos com a causa do evangelho e falo aqui daqueles católicos que sabem reconhecer a fumaça de satanás dentro da igreja, palavras do papa Paulo VI, são obedientes primeiro a Jesus, não se enganam jamais e professam vigorosamente e fervorosamente, com convicção sua fé em Jesus Cristo; estes, não cedem jamais a ensinamentos que ferem o que nos ensinou o salvador. Ora, isso é uma verdade bíblica. Está em tantas passagens das escrituras, mas destaco aqui o livro dos Atos dos Apóstolos 5,29 - importa antes obedecer a Deus do que aos homens e também em Jeremias 17,5 - maldito o homem que coloca sua confiança no homem. Fim da discussão. É por isso que Jesus disse que se possível fosse, até os eleitos seriam enganados. Voltemos ao Padre Pio, modelo de sacerdócio apontado pelos papas. Padre Pio era perseguido pela própria igreja, chegando a ser proibido de exercer seu ofício. Ele, que era eleito e seguia Jesus e recebeu graças extraordinárias vindas do céu causou rebuliço no clero da igreja. Ué! Por quê? Todo mundo não seguia Jesus na época em que o padre Pio era vivo? O que aconteceu? Sabemos bem não é mesmo. Padre Pio não era morno e como João Batista se diminuía para que Jesus aparecesse. Por isso as pessoas reconheciam na pessoa do padre a pessoa de Jesus.

Antigamente se reconhecia um padre na rua. Hoje em dia não é mais assim. Vide a primeira foto deste artigo, retirada da internet, onde esse padre está a acolher seus fãs no norte do Brasil. Trata-se do padre Reginaldo Manzotti chegando ao norte do Brasil para promover seu show em Juazeiro do Norte no Ceará. Ou então da segunda foto onde temos o padre Fabio de Melo em uma capa de cd musical. Vejam bem amigos leitores, não estamos aqui a denunciar este ou aquele sacerdote. Estamos colocando apenas alguns exemplos de muitos casos evidentes que, infelizmente, ocorrem pelo mundo afora e são, sempre, todos condenados por Jesus.

Padres como estes e outros, parecem ter se esquecido da missão recebida no dia em que suas mãos foram ungidas pelo bispo.


fonte: Jefferson Roger
Leia Mais ››

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Advertir o irmão


Ezequiel 3,18-20

18 Se digo ao malévolo que ele vai morrer, e tu não o prevines e não lhe falas para pô-lo de sobreaviso devido ao seu péssimo proceder, de modo que ele possa viver, ele há de perecer por causa de seu delito, mas é a ti que pedirei conta do seu sangue.
19 Contudo, se depois de advertido por ti, não se corrigir da malícia e perversidade, ele perecerá por causa de seu pecado, enquanto tu hás de salvar a tua vida.
20 E, quando um justo abandonar a sua justiça para praticar o mal, e eu permitir diante dele algum tropeço, ele perecerá. Se não o advertires, ele morrerá por causa do seu delito, sem que sejam tomadas em conta as boas obras que anteriormente praticou, e é a ti que pedirei conta do seu sangue.
21 Ao contrário, se advertires ao justo que se abstenha do pecado, e ele não pecar, então ele viverá, graças à tua advertência, e tu, assim, terás salvo a tua vida.
Caros leitores, neste artigo iremos refletir um pouco sobre o comportamento desaprovado por Deus que resulta no pecado da omissão. Entre tantos trechos das sagradas escrituras que nos ensinam essa verdade, separamos aqui essa passagem do livro do profeta Ezequiel. Nele, Deus é muito claro em afirmar que irá pedir conta pela perdição do irmão que deixamos de advertir. Porém da mesma forma é claro em afirmar que a atitude de querer salvar uma alma, ato de caridade, nos trará a recompensa da vida eterna. Recordo-me aqui de uma passagem do livro do Eclesiástico que diz que a caridade apaga uma multidão de pecados.

Oba, muitos podem pensar. Achei o pote de ouro. Vamos sair por aí fazendo um monte de caridade e controlando a balança da quantidade de pecados que eu cometo versus a quantidade de caridade que faço. Assim posso viver a boa vida dos prazeres terrenos e passageiros, pecar a vontade só me bastando tomar cuidado em fazer obras de caridade suficientes para apagar minha multidão de pecados. Ora, afinal está escrito na bíblia não é mesmo, se está lá então vale e baseado nisso garanto minha salvação. Quantos pensam assim, quantos cometem o triste e grave erro de colocar um texto fora do contexto e com isso caminhar rumo a rampa da perdição.

Vamos por etapas, como sempre gosto de dizer. Jesus disse que tudo se resume aos dois mandamentos do amor. Se não lembra caro leitor de uma olhada em Mateus 22,36-40 para reavivar no seu coração e mente os ensinamentos do mestre. Partindo deste ponto este trecho comentado do livro do Eclesiástico fica ligado da seguinte maneira. Quando Jesus diz para amarmos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos significa que, por amor a Deus, que me amou primeiro, eu amo o próximo e faço a ele o que gostaria que fizessem a mim. Outro ensinamento de Jesus e este podemos conferir no sermão da montanha, Mateus capítulo 5, 6 e 7.

Dessa forma a mensagem do evangelho e do antigo testamento convergem para uma realidade que nos mostra que o egoísmo precisa ser completamente descartado de nossas vidas. Não podemos querer sermos salvos e apenas isso, ou querermos ser salvos nós e nossos familiares e pessoas que gostamos. Nada disso, Jesus quer que rezemos pelos nossos inimigos e pela conversão de todos os pecadores. Ele mesmo disse que não existe recompensa em fazer como os pagãos fazem: “Que recompensa recebereis?” – palavras do nosso salvador.

Da mesma forma o raciocínio se deve aplicar a outras práticas católicas. Ser pecador e querer enrolar Jesus com obras de caridade não vai funcionar. Certa vez Deus Pai numa aparição a Santa Catarina de Sena disse que “o pecador que peca com intenção de pedir perdão, não espere de mim, nem o perdão e nem a misericórdia”. Ao lermos isso podemos ser acometidos de um breve susto. Ué, vou pedir perdão e Deus não vai me conceder? Sim e não. Explico.

É muito simples. O perdão existe para quem está arrependido. O sacramento da confissão concede através do sacerdote, instrumento de Cristo, que atua “in persona Christi”, o perdão dos pecados quanto a sua culpa, ficando a reparação temporal pela sua consequência. Ir se confessar por mera formalidade sem arrependimento é gravíssimo pois se trata de sacrilégio cometido intencionalmente e descaradamente. E se a vida for continuando nessa linha, nossa multidão de pecados ao contrário não será apagada, será multiplicada.

Peçamos sempre em nossas orações a graça de termos um coração contrito, cientes da nossa condição de pecadores e necessitados da graça de Deus, para podermos chegar por Jesus e com o auxílio de Maria Santíssima a pátria celeste, nossa eterna morada, nos comportando como é do agrado do criador e dando testemunho da fé que professamos.


fonte: Jefferson Roger
Leia Mais ››

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Como filhos e com os filhos


Caros leitores, neste artigo vamos refletir um pouco sobre nossa conduta enquanto filhos e filhas e com nossos filhos e filhas, nos fazendo valer de alguns ensinamentos tirados das sagradas escrituras, contidas no livro do Eclesiástico.

Ouvi, meus filhos, os conselhos de vosso pai, segui-os de tal modo que sejais salvos. Pois Deus quis honrar os pais pelos filhos, e cuidadosamente fortaleceu a autoridade da mãe sobre eles.

Quem honra sua mãe é semelhante àquele que acumula um tesouro. Quem honra seu pai achará alegria em seus filhos, será ouvido no dia da oração. Quem teme ao Senhor honra pai e mãe. Servirá aqueles que lhe deram a vida como a seus senhores. Honra teu pai por teus atos, tuas palavras, tua paciência, a fim de que ele te dê sua bênção, e que esta permaneça em ti até o teu último dia.

A bênção paterna fortalece a casa de seus filhos, a maldição de uma mãe a arrasa até os alicerces. Não te glories do que desonra teu pai, pois a vergonha dele não poderia ser glória para ti, pois um homem adquire glória com a honra de seu pai, e um pai sem honra é a vergonha do filho.

Meu filho, ajuda a velhice de teu pai, não o desgostes durante a sua vida. Se seu espírito desfalecer, sê indulgente, não o desprezes porque te sentes forte, pois tua caridade para com teu pai não será esquecida, e, por teres suportado os defeitos de tua mãe, ser-te-á dada uma recompensa; tua casa tornar-se-á próspera na justiça. Lembrar-se-ão de ti no dia da aflição, e teus pecados dissolver-se-ão como o gelo ao sol forte.

Como é infame aquele que abandona seu pai, como é amaldiçoado por Deus aquele que irrita sua mãe! Meu filho, faze o que fazes com doçura, e mais do que a estima dos homens, ganharás o afeto deles.

Tens filhos? Educa-os, e curva-os à obediência desde a infância. Tens filhas? Vela pela integridade de seus corpos, não lhes mostres um rosto por demais jovial. Casa tua filha, e terás feito um grande negócio; dá-a a um homem sensato. Se tiveres mulher conforme teu coração, não a repudies, e não confies na que é odiosa.

Honra teu pai de todo o coração, não esqueças os gemidos de tua mãe; lembra-te de que sem eles não terias nascido, e faze por eles o que fizeram por ti.

Não louves a homem algum antes de sua morte, pois é em seus filhos que se reconhece um homem.

Feliz o homem que persevera na sabedoria, que se exercita na prática da justiça, e que, em seu coração, pensa no olhar de Deus que tudo vê; sob esse abrigo ele estabelece os seus filhos, e ele mesmo residirá debaixo dos seus ramos.

Os olhos do Senhor estão sobre os que o temem, e ele conhece todo o comportamento dos homens. Ele não deu ordem a ninguém para fazer o mal, e a ninguém deu licença para pecar; pois não deseja uma multidão de filhos infiéis e inúteis.

Não te regozijes de ter muitos filhos se são maus, nem ponhas neles a tua alegria, se não tiverem o temor de Deus. Não confies na sua vida, nem voltes os teus olhares para os seus trabalhos; pois um único filho temente a Deus vale mais do que mil filhos ímpios. Há mais vantagens em morrer sem filhos, que em deixar após si filhos ímpios.

Assim também perecerá toda mulher que deixar seu marido, e lhe der como herdeiro um filho adulterino, porque primeiramente ela foi desobediente à lei do Altíssimo, em segundo lugar pecou contra o seu marido, cometendo assim um adultério, dando-se a si filhos de outro homem. Essa mulher será trazida perante a assembléia, e seus filhos serão vigiados. Seus filhos não pegarão raízes; seus ramos não darão frutos. Ela deixará uma memória maldita, e sua desonra jamais se apagará. E todos aqueles que lhe sobreviverem reconhecerão que nada é melhor do que o temor a Deus, e nada mais suave que guardar os seus preceitos. É uma grande glória seguir o Senhor, pois é ele quem dá vida longa.

Aquele que estraga seus filhos com mimos terá que lhes pensar as feridas; a cada palavra suas entranhas se comoverão.

Ao teu filho, à tua mulher, ao teu irmão, ao teu amigo, não concedas autoridade sobre ti durante tua vida. Não dês teus bens a outrem, para não te arrependeres e teres de tornar a pedi-los. Enquanto viveres e respirares, que ninguém te faça mudar a esse respeito, porque é melhor que os teus filhos te peçam, do que estares tu olhando para as mãos de teus filhos. Em tudo o que fizeres conserva a tua autoridade; não manches o teu bom nome.


fonte: sagradas escrituras
Leia Mais ››

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Viver sem Deus e religião


O mundo investe cada vez mais em seus atrativos. Com uma avalanche de coisas para se fazer e viver na atualidade não é de se admirar que cada vez mais muitas pessoas estão se enfileirando atrás de tudo que a catequese do príncipe do mundo apregoa por todos os cantos do planeta. Quando alguém, que transformou sua cruz, dada por Jesus para se alcançar a salvação, em fardo muito pesado é quase que questão de tempo para ou se converterem e fazerem realmente uma experiência de Deus ou então sucumbirem e abraçarem as soluções do mundo. Como um anestésico satanás apresenta justamente o que você quer, do jeitinho que você quer, quando e como quer e esse anestésico embota a mente fazendo com que a maluquice que é pecar gravemente ofendendo a Deus se torne algo nebuloso, facilmente substituído por uma nova verdade que liberta e faz prosperar. Valha-me Jesus misericordioso!

Entre tantos exemplos do que estamos a falar, facilmente qualquer católico comprometido com sua salvação e a do próximo poderia falar de algumas situações e fatos que comprovam o que estamos aqui a refletir. O mundo está cheio de exemplos e não se cansa de apresentar o seu leque de pecados e ofensas contra Deus em pratos saborosos. É claro, satanás sabe que não convém uma abordagem frontal com tiros a queima roupa. Como sabemos da história cristã e vida dos santos, esse comportamento ele pratica quando Deus permite uma ação extraordinária dele junto aos Seus santos e santas, os eleitos, herdeiros das promessas que pela fé e paciência conquistaram a difícil entrada no reino dos céus, conforme nos ensina Jesus e nos recorda São Paulo na carta aos Hebreus.

Pois bem, trago aqui minha contribuição concreta de mais uma evidência desse tipo de investida do inimigo. Nos EUA existe uma organização criada a pouco mais de 3 anos que prega que é possível viver feliz sem religião. Me dei o trabalho de acessar o site deles, ler tudo que tinha lá e, graças a Deus, o meu teor católico me mantém vacinado contra essas baboseiras mundanas e pagãs que infelizmente para muitos é o achado de suas vidas.

O site oferece algumas explicações, e olha que eles se esforçam, para responder com bastante argumentos e jogos de palavras, que é possível sim viver feliz aqui na terra sem Deus. Porém uma coisa que percebi nesta instituição, que tem espaço no site para doações é claro não é mesmo, é que ela faz de tudo para recrutar as pessoas oferecendo uma doutrina de pensamentos e ideias que promovem o bem-estar intelectual das pessoas desapegando-as do seu convívio com Deus e a religião. Colocando suas propagandas inclusive em estações de metrô.


Esta instituição ainda procura comprovar seus argumentos apresentando gráficos onde se mostra a porcentagem das pessoas que não estão ligadas a Deus e a religião. Traduzindo, eles querem dizer que, se você não quer saber de Deus, não se preocupe, você pode ser feliz sem Ele. Olha caros leitores quando li todas as asneiras que escreveram, inclusive os testemunhos onde as pessoas explicam onde encontraram a felicidade pude perceber até um ar de histeria coletiva e tanto é verdade que eles até possuem comunidades setorizadas pelo país. É como se fosse um clube do bolinha ou clube da luluzinha, ou um clube maçom, no fim da tudo na mesma. A seguir coloco uma tradução de um dos testemunhos que o site apresenta, vamos a ele.


"Eu encontrei a minha felicidade vendo meus filhos e netos crescerem e se tornarem belas pessoas que contribuem para o mundo de uma forma positiva, em levantar-se de manhã olhando para a beleza das árvores e do céu e pensando sobre as maravilhas da natureza, nas descobertas científicas que tornam a vida melhor para todos nós, no progesso da justiça social que torna os nossos documentos mais que 'notas promissórias, "em bons amigos e comunidade, na boa saúde e atividade, e em aprender coisas novas todos os dias. Eu encontro o meu propósito e significado na vida, tentando na minha pequena maneira ajudar a fazer com que essas coisas aconteçam ". (Reba Boyd Wooden)

Ai iai o que podemos concluir disso tudo? Quanta cegueira ou faz de conta hein! Bom, vamos começar relembrando que se Deus é por nós quem será contra nós. Já dizia Santo Agostinho que satanás é como um cão raivoso que está amarrado, não nos aproximemos dele pois seremos mordidos. Outro sacerdote chamado Padre Duarte Sousa Lara, muito católico nos afirma que é preciso não termos romance com o pecado. Quem rege nossa vida é Deus, pronto e acabou. Esta coisa de ficarmos procurando alternativas e gastando nosso tempo com coisas que não irão nos edificar e santificar é pura perda de tempo. E as vezes isso se agrava tanto que acaba se tornando pura perda de tempo nossa e de pessoas que envolvemos nesse lamaçal do pecado.

Concluo com os dizeres do primeiro mandamento da lei de Deus: “Amar a Deus sobre todas as coisas, com todo o teu coração, alma e entendimento”. Não existe plano B, não existe outra forma de felicidade diferente daquela que Nossa Senhora prometeu a Santa Bernadete quando disse: “Não te prometo a felicidade aqui neste mundo mas sim no céu. Esta felicidade não é a mesma que o mundo prega. Mais uma vez, estamos diante de uma escolha. Vamos escolher recebermos nossa recompensa já aqui na terra, entregando Deus as nossas paixões como nos ensina São Paulo na carta aos Romanos, ou vamos, como servos inúteis, criaturas de Deus, crermos, adorarmos, esperarmos e amarvos sobre todas as coisas e como seus filhos, herdeiros por direito através do batismo recebermos a gloria eterna? A escolha parece fácil e é por isso que os santos dizem que quem peca, escolhendo seu salário, que é a morte, é um louco. Peçamos pois a Jesus Misericordioso e sua Mãe, a Virgem Santíssima, Nossa Senhora, que seus Corações Santíssimos pela ação do Espírito Santo de Deus nos livrem de todas as coisas que passam e nos afastam de nossa salvação, não nos deixando cair em tentação e livrando-nos do mal, amém.


fonte: Jefferson Roger
Leia Mais ››

Postagens mais visitadas