sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

O preservativo


Ao contrário do que a maioria das pessoas imaginam, a camisinha é uma invenção bastante antiga. Em 1300 a.C. os egípcios utilizavam um envoltório sobre o órgão reprodutor masculino feito de linho, pele e materiais vegetais. No século II a.C., os romanos começaram a utilizar estes envoltórios produzidos a partir de intestinos de cordeiro e bexigas de cabra para se protegerem de doenças sexualmente transmissíveis. Os romanos acreditavam que tais doenças eram castigos lançados por Vênus, a deusa do amor, que posteriormente teve seu nome dado a essas doenças e hoje conhecemos por “doenças venéreas”. Em 1564, o italiano Gabriel Fallopius inventou um saco de linho, esse era colocado sobre o órgão masculino de seus pacientes para protegê-los de doenças. O anatomista obteve grande êxito com a invenção, pois além de proteger contra as doenças, o saco de linho impedia a gravidez. Este fato o tornou conhecido e sua produção tornou-se popular e bastante usada. Em torno de 1685, o envoltório recebeu o nome de condon na Inglaterra. O condon era feito de intestino de cordeiro e lubrificado com óleo de amêndoas. Em 1700, começaram a produzir este envoltório com intestino de peixe, carneiro e outros animais com o intuito de deixá-las mais finas e menos incômodas.

No início do século XVIII, Londres funda a primeira loja de preservativos. Estes eram feitos de intestino de carneiro ou cordeiro com aromatizantes florais e sob encomenda. Em 1843, os preservativos começaram a ser fabricados com borracha pela Hancock e Goodyear. Eram pouco aderentes, irregulares e caros, o que fazia com que fossem usados várias vezes até que na década de 90 inventou-se o látex que deu ao preservativo um aspecto mais fino e confortável. Em 1960, deixa de ser utilizado por causa da invenção da pílula anticoncepcional, mas retorna em 1990, por causa da grande epidemia de AIDS. (fonte: site brasilescola)

Olá caros leitores, hoje entro no constante polêmico tema que é o uso do preservativo chamado camisinha. Como bem sabemos, temas polêmicos o são por conta de não ser possível um maior consenso a respeito do tema. E como este blog é católico ficarei dentro desta esfera mas aqui colocarei meu ponto de vista a respeito do tema.

Após muito pesquisar e estudar sobre o tema buscando compreender a luz divina essa questão, e isso durou posso afirmar, muitos meses, entendo que é hora de uma humilde contribuição a respeito do assunto.

A igreja é contra todas as formas de métodos contraceptivos dizendo que eles vão contra a natureza criada e desejada por Deus, que é a transmissão da vida através do relacionamento sexual, ato exclusivo dos esposos que faz parte do contexto do sacramento do matrimônio. Por outro lado essa mesma igreja tenta colocar panos quentes sobre o assunto ao afirmar que ela aprova o método natural de planejamento familiar chamado Billings. É aí que começam alguns problemas. Vamos por partes para compreendermos o raciocínio.

Uma linha de pensadores diz que Deus mandou crescermos e multiplicarmos, alegando que o casal deve sempre estar aberto a procriação e que a igreja vê em numerosos filhos uma benção de Deus, fazendo alusão de que antigamente não ter filhos era considerado uma maldição, um castigo. Muito bem, se eu de criança passei a adulto então eu cresci. Isso é uma condição natural do ser humano. Não se trata de uma ordem quanto a natureza das coisas e sim uma condição pois depois Deus diz “multiplicai-vos”. Então primeiro se torne adulto e depois pratique o relacionamento sexual para fins de procriação. Fica fácil compreendermos que Deus espera de nós uma atitude assim dentro do sacramento do matrimônio pois as sagradas escrituras são muito claras a respeito da atividade sexual entre homem e mulher. Continuando dentro da questão do “multiplicai-vos” não podemos cair na tentação dos exageros. Ora, 2x2=4 e 2x50=100, qualquer pessoa que já está alfabetizada irá responder facilmente que as duas expressões se tratam de uma multiplicação. Desta maneira o “multiplicai-vos” de Deus não tem valor infinito, se temos um filho, dois, três ou mais, ocorreu aí uma multiplicação e não foi deixado de cooperar com Ele no seu plano de criação. Seguimos adiante nos aprofundando um pouco mais.


Essa mesma igreja católica admite, como já mencionei linhas acima o método de controle de planejamento familiar Billings, argumentando que o casal fica aberto a possibilidade de ter filhos. Mas a mesma igreja ensina inclusive no catecismo que por razões que não são egoístas o planejamento familiar pode ser adotado. Neste ponto percebo um acerto nessa afirmação. Não posso decidir não ter filhos porque eles irão atrapalhar meus planos pessoais e egoístas pois se assim o for, qualquer método contraceptivo inclusive o natural entrará na esfera do pecado. E tem mais, o método natural que muitos afirmam aproximar o casal também engessa a vontade sexual dos dois e torna-os escravos de tabelas e gráficos. Não se tem relação sexual quando se sente vontade, se tem relação sexual com dia e hora marcada, meio estranho não acham, para não dizer outra coisa. Já o uso da camisinha traz a liberdade das relações sexuais livres do militarismo rígido de horários. E como a eficiência da camisinha e do método natural são muito parecidas e isso é comprovado por várias pesquisas realizadas ao longo de nossa história, permanece o controle nas mãos de Deus. Explico:

Vários são os casos de pessoas que engravidaram usando preservativos. Ou seja, quando Deus quer, Deus pode, Deus faz. Por isso que no altar, na presença de Deus é prometido aceitar e receber os filhos que Deus enviar. Então a camisinha não funcionou? É hora de receber o filho(a) na generosidade de uma paternidade responsável. Continuemos.

Deus, que é amor e nos quer no céu, com certeza não se agrada com nossa infelicidade e nos ouve sempre que a Ele recorremos em oração. Longe de ser um carrasco, um masoquista que nos quer ver sofrermos pensando que se Jesus sofreu também nós devemos sofrer, sofrer e sofrer. Nos parece que não é assim. Como a bíblia nos ensina Deus sabe de nossas necessidades antes mesmo de nós e nos envia as cruzes do dia a dia de acordo com nossas possibilidades. Portanto, não iremos com certeza sofrer além do que Deus tem a nos conceder. E lembremos que isso tem características pessoais pois facilmente percebemos no mundo pessoas a sofrer em graus diferentes.

Dito isso podemos também abrir um parêntese. Laqueadura e Vasectomia são realidades bem diferentes pois alteram a natureza do corpo humano fazendo aquilo que funciona bem, passar a funcionar mal, assim como os anticoncepcionais combinados. Combinados porque possui duas funções: coibir a ovulação e caso não coíba impedir que o óvulo fecundado já concebido se implante no útero vindo a causar um micro aborto de uma vida que já existe. Sobre isso basta uma leitura atenta à bula dos medicamentos para confirmar este comentário. No passado não era assim, eles apenas impediam a ovulação, mas ao custo de muitos efeitos colaterais. Por isso modificou-se tristemente sua natureza criando o chamado plano B, caso ocorra a ovulação e fecundação o óvulo será abortado porque não será possível para ele implantar-se no útero.

Para concluirmos o artigo vamos lembrar do que o Papa Paulo VI disse: “a fumaça de satanás entrou na igreja”. Ele não poderia estar mais correto em sua afirmação. Na história da igreja que é santa, mas comandada por membros pecadores assistimos a muitas mudanças que ao invés de fortalecerem os fiéis na fé que professam nada mais fazem que promover sentimentos muitas vezes quase que de traição ao que propõe Jesus Cristo. Não entrarei a fundo aqui para não aumentar o artigo. Sobre isso em postagens futuras escreverei. Mas o que quero aqui é ilustrar que a igreja age também, infelizmente, de acordo com suas conveniências e com isso não transmite 100% de credibilidade. Hora ela é tradicionalista, hora modernista, hora neutra, hora ecumênica e ainda falando aos ventos que proclama o evangelho de Jesus. Que pena, não proclama não, não em 100%, talvez não consiga, talvez não queira, isso nos será revelado na eternidade. O fato é, como diz São Paulo, na primeira carta aos Coríntios 11,23-31, é preciso fazermos um constante exame de consciência e seguirmos Jesus. Ele é o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai senão por Ele. Muitos dizem que preferem errar com a igreja do que acertar sem ela. Pode uma coisa dessas? Eu não compreendo. Como católico que sou e muito estudioso dessa religião, já me peguei com alguns sacerdotes que considero em questões doutrinárias e nenhum conseguiu me convencer sobre alguns temas discutidos. Isso porque meus argumentos não são opiniões pessoais. No mesmo trecho da bíblia que mencionei acima, está a dica do nosso proceder. Versículo 23: “Eu recebi do Senhor o que vos transmiti”. Muitas vezes nos parece que o clero fica procurando o que fazer, melhorar, adaptar e outras coisas.

Isso vai tirando a confiança do povo de Deus, que deveria ser apascentado como diz Jesus a Pedro e isso não acontece, mais confusão é semeada na cabeça do povo. É preciso sim, não ser ignorante, não seguir o mundo em seus ensinamentos. É preciso em tudo rezar ao Espírito Santo como nos ensinam as cartas paulinas. Certa vez Jesus, em uma de suas aparições disse que “esta” ordem da igreja não foi dada pelo céu e aqui caro leitor o “esta” tem várias facetas. Comunhão na mão, Ministros Extraordinários, Pessoas indevidas no altar só para exemplificar alguns dos “esta” que Jesus se refere. A própria bíblia nos ensina que tudo nos é permitido mas nem tudo nos convém. Portanto você pode se atirar de uma ponte em direção ao precipício, mas isso não convém. Você pode utilizar o preservativo em santo matrimônio, mas não pode usá-lo fora do casamento adulterando com alguém, pois isso não convém. Deus que enxerga no oculto e vê o que se passa no coração irá nos julgar com seus critérios e não com o que o mundo diz que é certo. O comum não é certo muitas vezes. Enfim a polêmica sempre vai existir, nesta e em tantas outras questões. É preciso orar ao Espírito Santo, pedir seus conselhos, abrir nossos corações para a ação misericordiosa de Jesus e nos deixarmos guiar por Ele. Muitas coisas que existem podem ser usadas para o bem ou para o mal. Nossas escolhas irão assinalar nossa intenção, que nunca deverá ser a de desagradar a Deus pois estas escolhas, junto com nossas atitudes e obras nos trarão a glória eterna ou a condenação.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas