segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Viver sem Deus e religião


O mundo investe cada vez mais em seus atrativos. Com uma avalanche de coisas para se fazer e viver na atualidade não é de se admirar que cada vez mais muitas pessoas estão se enfileirando atrás de tudo que a catequese do príncipe do mundo apregoa por todos os cantos do planeta. Quando alguém, que transformou sua cruz, dada por Jesus para se alcançar a salvação, em fardo muito pesado é quase que questão de tempo para ou se converterem e fazerem realmente uma experiência de Deus ou então sucumbirem e abraçarem as soluções do mundo. Como um anestésico satanás apresenta justamente o que você quer, do jeitinho que você quer, quando e como quer e esse anestésico embota a mente fazendo com que a maluquice que é pecar gravemente ofendendo a Deus se torne algo nebuloso, facilmente substituído por uma nova verdade que liberta e faz prosperar. Valha-me Jesus misericordioso!

Entre tantos exemplos do que estamos a falar, facilmente qualquer católico comprometido com sua salvação e a do próximo poderia falar de algumas situações e fatos que comprovam o que estamos aqui a refletir. O mundo está cheio de exemplos e não se cansa de apresentar o seu leque de pecados e ofensas contra Deus em pratos saborosos. É claro, satanás sabe que não convém uma abordagem frontal com tiros a queima roupa. Como sabemos da história cristã e vida dos santos, esse comportamento ele pratica quando Deus permite uma ação extraordinária dele junto aos Seus santos e santas, os eleitos, herdeiros das promessas que pela fé e paciência conquistaram a difícil entrada no reino dos céus, conforme nos ensina Jesus e nos recorda São Paulo na carta aos Hebreus.

Pois bem, trago aqui minha contribuição concreta de mais uma evidência desse tipo de investida do inimigo. Nos EUA existe uma organização criada a pouco mais de 3 anos que prega que é possível viver feliz sem religião. Me dei o trabalho de acessar o site deles, ler tudo que tinha lá e, graças a Deus, o meu teor católico me mantém vacinado contra essas baboseiras mundanas e pagãs que infelizmente para muitos é o achado de suas vidas.

O site oferece algumas explicações, e olha que eles se esforçam, para responder com bastante argumentos e jogos de palavras, que é possível sim viver feliz aqui na terra sem Deus. Porém uma coisa que percebi nesta instituição, que tem espaço no site para doações é claro não é mesmo, é que ela faz de tudo para recrutar as pessoas oferecendo uma doutrina de pensamentos e ideias que promovem o bem-estar intelectual das pessoas desapegando-as do seu convívio com Deus e a religião. Colocando suas propagandas inclusive em estações de metrô.

Esta instituição ainda procura comprovar seus argumentos apresentando gráficos onde se mostra a porcentagem das pessoas que não estão ligadas a Deus e a religião. Traduzindo, eles querem dizer que, se você não quer saber de Deus, não se preocupe, você pode ser feliz sem Ele. Olha caros leitores quando li todas as asneiras que escreveram, inclusive os testemunhos onde as pessoas explicam onde encontraram a felicidade pude perceber até um ar de histeria coletiva e tanto é verdade que eles até possuem comunidades setorizadas pelo país. É como se fosse um clube do bolinha ou clube da luluzinha, ou um clube maçom, no fim da tudo na mesma. A seguir coloco uma tradução de um dos testemunhos que o site apresenta, vamos a ele.


"Eu encontrei a minha felicidade vendo meus filhos e netos crescerem e se tornarem belas pessoas que contribuem para o mundo de uma forma positiva, em levantar-se de manhã olhando para a beleza das árvores e do céu e pensando sobre as maravilhas da natureza, nas descobertas científicas que tornam a vida melhor para todos nós, no progesso da justiça social que torna os nossos documentos mais que 'notas promissórias, "em bons amigos e comunidade, na boa saúde e atividade, e em aprender coisas novas todos os dias. Eu encontro o meu propósito e significado na vida, tentando na minha pequena maneira ajudar a fazer com que essas coisas aconteçam ". (Reba Boyd Wooden)

Ai iai o que podemos concluir disso tudo? Quanta cegueira ou faz de conta hein! Bom, vamos começar relembrando que se Deus é por nós quem será contra nós. Já dizia Santo Agostinho que satanás é como um cão raivoso que está amarrado, não nos aproximemos dele pois seremos mordidos. Outro sacerdote chamado Padre Duarte Sousa Lara, muito católico nos afirma que é preciso não termos romance com o pecado. Quem rege nossa vida é Deus, pronto e acabou. Esta coisa de ficarmos procurando alternativas e gastando nosso tempo com coisas que não irão nos edificar e santificar é pura perda de tempo. E as vezes isso se agrava tanto que acaba se tornando pura perda de tempo nossa e de pessoas que envolvemos nesse lamaçal do pecado.

Concluo com os dizeres do primeiro mandamento da lei de Deus: “Amar a Deus sobre todas as coisas, com todo o teu coração, alma e entendimento”. Não existe plano B, não existe outra forma de felicidade diferente daquela que Nossa Senhora prometeu a Santa Bernadete quando disse: “Não te prometo a felicidade aqui neste mundo mas sim no céu. Esta felicidade não é a mesma que o mundo prega. Mais uma vez, estamos diante de uma escolha. Vamos escolher recebermos nossa recompensa já aqui na terra, entregando Deus as nossas paixões como nos ensina São Paulo na carta aos Romanos, ou vamos, como servos inúteis, criaturas de Deus, crermos, adorarmos, esperarmos e amarvos sobre todas as coisas e como seus filhos, herdeiros por direito através do batismo recebermos a gloria eterna? A escolha parece fácil e é por isso que os santos dizem que quem peca, escolhendo seu salário, que é a morte, é um louco. Peçamos pois a Jesus Misericordioso e sua Mãe, a Virgem Santíssima, Nossa Senhora, que seus Corações Santíssimos pela ação do Espírito Santo de Deus nos livrem de todas as coisas que passam e nos afastam de nossa salvação, não nos deixando cair em tentação e livrando-nos do mal, amém.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas