sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Até que enfim


Padre Alessandro Campos pede demissão da TV Aparecida minutos antes do especial de Natal. Desde o dia 22/12/2015, padre Alessandro Campos não faz mais parte do quadro de apresentadores da TV Aparecida, emissora católica ligada ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.

“O pedido foi feito pessoalmente por ele, momentos antes do programa Aparecida Sertaneja Especial de Natal ir ao ar”, lê-se em um trecho da nota oficial emitida pela emissora. “O Conselho Diretivo da emissora já vinha propondo ao padre, com base em pesquisas de audiência, algumas melhorias em seu programa para o ano de 2016, porém, o padre recusou a proposta e decidiu dedicar-se a outros projetos”. O Programa Aparecida Sertaneja agora ficará sob o comando de “Mariangela Zan, que já vinha sendo estudada pela emissora para outros projetos e aceitou a responsabilidade com coragem e muito carinho pelo público da emissora, de quem já é próxima”. Com as informações do site icatolica.com.

Agora caros leitores, tomo a palavra para explicar o título deste artigo. Até que enfim mesmo. Este padre faz o estilo moderno dos chamados padres multitarefas. Um sujeito como esse não se contenta em ser só padre. Não lhe basta exercer o dom recebido de Deus para apascentar as ovelhas do Senhor e ser sal da terra e luz do mundo, exercendo o seu ministério sacerdotal. Como dizia São João Maria Vianney, grande santo e sacerdote de sua época, "sirva bem a Deus exercendo com primazia o seu dom, não queira fazer tantas outras coisas pois se perderá da essência". O santo dizia que é melhor fazer uma coisa bem feita por Deus do que tentar fazer muitas coisas, que fatalmente não sairão tão bem feitas ficando o principal a desejar.

Mas, como vemos por aí, o secularismo e o relativismo do mundo moderno atinge a todos e isso inclui os padres. Alguns fazem tantas coisas e também, nas horas vagas são padres. Pode isso! Tem padre que vira artista, tem programa de rádio e praticamente nem reza mais missa onde é pároco. E se sentar no confessionário para atender os fiéis? E distribuir a santa comunhão? E visitar os doentes? É coisa do passado, eles dizem que é preciso evangelizar, seguir a linguagem do povo. Quanta besteira falam e fazem e o povo iludido e por falta de conhecimento vai atrás destes tantos sacerdotes que são de envergonhar os céus.

E com certeza querido leitor, se você é um católico que honra a sua condição de filho de Deus e se esforça para viver o que Jesus lhe propõe, eu tenho certeza, eu disse, tenho certeza que você já presenciou por mais de uma vez algum abuso litúrgico, alguma heresia, algum erro ou contradição dos padres que já não são mais 100% padres. Tenho certeza. Porque se você não passou por isso tome cuidado, talvez esteja se afastando do autêntico evangelho de Jesus Cristo. O apóstolo São Paulo já dizia que se outro evangelho for apresentado diferente do que eles pregavam, cuidado...

Enfim, esse padre, o tal padre Alessandro Campos é mais um que desonra a batina e o ministério que Cristo lhe confiou. Ele esqueceu que Jesus disse que "a quem muito foi dado, muito será cobrado". Dou um exemplo. Em certo programa que este padre de mentirinha, e posso endossar o que falo, porque um padre de verdade tem postura de padre, não fica fazendo poses como artistas famosos e soberbos, rebolando em palco e se vestindo de maneira pagã exibindo ar de ostentação; num programa que ele conduzia, e vamos lembrar que o programa tem alcance nacional, em certo momento um dos participantes e entrevistados pediu no ar que todos rezassem uma ave-maria e acreditem, quem viu viu, quem não viu perdeu, o padre tinha esquecido como se reza esta oração. Tentou sair pela tangente com algumas desculpas esfarrapadas e acabou dizendo que se deixamos de rezar esquecemos como se faz. Leram isso caros ouvintes! Saiu da boca de um servo de Cristo, pobre dele, só nos resta rezar por seu retorno as raízes da missão. E a nota da tv aparecida diz que ele resolveu se dedicar a outros projetos. Minha nossa, será que são outros projetos artísticos, shows e programas de rádio ou televisão?

Bento XVI e João Paulo II já exortaram os sacerdotes tantas vezes a seguirem o modelo de sacerdócio do Padre Pio e São João Maria Vianney. Por que será? Basta uma leve investigação sobre a vida deles para se perceber porque atraíam multidões e mais multidões. Nem preciso aqui comentar os porquês. Pois é, Jesus já dizia que a mece é grande e os operários são poucos e infelizmente dentre os poucos, tantos já não fazem o que realmente Cristo espera deles e nem cumprem suas obrigações de estado.

1- Ou um padre reza uma missa ou faz um show.

2- Ou um padre atende um fiel no confessionário ou atende uma ligação telefônica num programa de rádio.

3- Ou um padre atende um fiel em direção espiritual ou apresenta um programa de televisão.

4- Ou um padre recita o rosário todos os dias em frente a Jesus ou lê as cartas dos fãs em seu escritório.

5- Ou um padre visita um paroquiano doente ou se promove na mídia aparecendo em rede nacional.

6- Ou um padre prega sobre Jesus e seu evangelho na homilia ou fala de seus projetos pessoais afastados das verdades celestes.

7- Ou um padre se faz presente em sua paróquia junto as suas lideranças e pastorais ou se ausenta em falso propósito evangelizador.

8- Ou um padre está acessível a todos os fiéis da sua paróquia ou é preciso então agendar e marcar horário em curto espaço de tempo.

9- Ou um padre se comporta como padre dentro e fora da missa ou então é facilmente confundido como qualquer pessoa do mundo.

10- Ou um padre mantém o cuidado pelas coisas sagradas incluindo a igreja e a santa missa ou tudo não passará de uma apresentação cantada e gesticulada.

E não me venham com essa de que evangelizar por estes e por aqueles meios de comunicação e redes sociais é preciso e necessário. E que isso toma tempo, exige dedicação e é o que realmente funciona. Vamos esclarecer. A questão é muito simples. Jesus disse: é importante fazer isso sem deixar aquilo de lado. O que está aqui a ser criticado não são os meios evangelizadores, que fique bem claro. Todos somos testemunhas que eles fazem bem a muitas pessoas. O que está a se criticar aqui é o fato de que essa poderosa ferramenta e suas promessas de sucesso e estrelato seduzem a muitos e embora o fim seja inicialmente correto os meios tantas vezes maculados prejudicam as raízes daquilo que é bom.


fonte: Jefferson Roger e icatolica

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas