quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

O sábio escapará do perigo


No livro dos Provérbios, capítulo 28,26 está o ensinamento que iremos refletir neste artigo. Diz assim: “quem caminha com sabedoria escapará do perigo”. Pois bem, o tal do perigo é algo que durante toda nossa vida nos rodeia. Sobre vários aspectos qualquer um de nós pode descrever alguma forma de perigo e também de certa forma, de uma maneira genérica digamos assim, pode descrever um remédio preventivo: o medo.

Logo no início da carta de São Tiago, vemos a exortação do servo de Deus com relação a sabedoria. Está escrito lá, “se alguém de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus - que a todos dá liberalmente, com simplicidade e sem recriminação - e ser-lhe-á dada. Mas, não se trata aqui da inteligência fisiológica ou acadêmica e sim, de uma sabedoria que é divina. Vamos comprovar?

Tiago 3,13-18 - 13 Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre com um bom proceder as suas obras repassadas de doçura e de sabedoria. 14 Mas, se tendes no coração um ciúme amargo e gosto pelas contendas, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. 15 Esta não é a sabedoria que vem do alto, mas é uma sabedoria terrena, humana, diabólica. 16 Onde houver ciúme e contenda, ali há também perturbação e toda espécie de vícios. 17 A sabedoria, porém, que vem de cima, é primeiramente pura, depois pacífica, condescendente, conciliadora, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, nem fingimento. 18 O fruto da justiça semeia-se na paz para aqueles que praticam a paz.

Muito bem, já sabíamos mas relembrar o fato de que ser inteligente é uma coisa e ser sábio é outra completamente diferente é muito importante para nossa caminhada na fé, rumo à pátria celeste. E para fundamentar ainda mais nossa reflexão vamos fazer uma tentativa de substituir a palavra sabedoria por inteligência e vejam o desastre que vai dar. Ficaria assim: “quem caminha com inteligência escapará do perigo”. E então, alguém notou a diferença? Eu não notei nenhuma! Parece, dando uma rápida olhada, que fundamentalmente nada mudou. Parece que ainda é prudente, para escapar do perigo não agir de forma contrária ao que sugere a inteligência ou a sabedoria. Pois é, isso é o que satanás e seu seguidores quer que pensemos. Vamos desmascarar o farsante.

O sujeito que se acha inteligente, se acha o “garoto experto” e padece de um mal que é achar que todo mundo é burro, inclusive Jesus, ao qual terá que prestar contas no dia do juízo. Age com soberba, arrogância e como se fosse o dono da verdade. Pessoas assim não conseguem ser humildes e perdoar. Esquecem que ao “exigirem” o perdão de Deus, mesmo não concedendo o perdão ao próximo e, ao contrário, ainda pedindo a justiça para o irmão, fazem parte da fila dos pecadores, que estão sujeitos, quer queiram quer não, a oração que o Cristo nos ensinou. “Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”. E Jesus ainda completa: “se não perdoarem, o Pai que está nos céus não vos perdoará”. E fim de conversa.

Agora, o sujeito que é sábio, primeiro que ele não se acha nada. É humilde, reconhece que é pecador e que está muito longe da porta estreita. O sábio aprendeu de Deus que, conforme ensina o livro dos Provérbios no capítulo 9 – “o temor do Senhor é o princípio da sabedoria”. E aqui a palavra temor não quer dizer ter medo. Não significa ter medo de Deus, significa ter medo de desgostá-lo e ofendê-lo e ter medo de que Ele se afaste de nós. Não devemos fazer as coisas porque temos medo que Deus nos castigue e nos mande ao inferno. Nosso Deus é amor e se preocupa com cada um de nós querendo a nossa salvação muito mais do que nós. Não é um Deus castigador, mas a bíblia nos ensina que Ele castiga aqueles que ama. Castigar, portanto, no verdadeiro sentido significa corrigir por amor, porque antes ouve um ensinamento, um aviso.

Entendendo a questão da sabedoria, um dos sete dons do Espírito Santo, compreendemos também porque as vezes o medo não nos afasta do perigo. Ele é combatido pela inteligência poluída pelas mentiras do diabo. Dou um exemplo. A pessoa casada sabe que se tiver relações fora do matrimônio isso se constitui violação ao sexto mandamento da lei de Deus. Por medo de ir ao inferno ela não comete a violação. Porém, este medo é frágil, ainda que se torne um pavor, ele pode ser vencido. Como acontece? Veremos.

Satanás inculca na cabeça dessa pessoa, ideias atrás de ideias aguçando sua mente em criar alternativas levianas para vencer este medo. Aos poucos ele convence que foi Deus que colocou esse medo na pessoa. Mostra que com um bom jogo de cintura é possível realizar seus desejos e fantasias, vivendo situações paralelas e prazeres medíocres, terrenos e passageiros que de forma viciante vão afundando a pessoa cada vez mais no caminho da perdição. E esta pessoa que precisa cada vez mais, como um drogado, saciar seus vícios, não se cansa de mirabolar formas de burlar o cotidiano de sua vida para pecar e pecar e pecar. A faculdade recebida de Deus chamada inteligência foi contaminada pelo mal e passou a escravizar o filho de Deus. A pessoa sabe que está errada, sabe que irá ao inferno, mas com sua inteligência inventa mil e um argumentos para aliviar sua consciência e seguir vivendo o que lhe dá prazer aqui e agora. Afinal, dizem eles, a vida é curta e é preciso fazer o que der vontade e aproveitar os prazeres da vida. Pobre de todos eles. Rezemos pedindo a Deus misericórdia e piedade dos pobres pecadores empedernidos.

Já o sábio, para concluirmos o artigo, está com sua casa construída sobre rocha sólida. Ele sabe que “por pequenos prazeres sofrem-se tormentos eternos”, já diziam os santos. E assim confirma Jesus em Lucas 9-23-24: 23 - Se alguém quer vir após mim, renegue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me. 24 Porque, quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas quem sacrificar a sua vida por amor de mim, salva-la-á.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas