quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Sigamos o que vem de Deus

Deuteronômio 18, 10 - Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo, 11 à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou â invocação dos mortos, 12 porque o Senhor, teu Deus, abomina aqueles que se dão a essas práticas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, teu Deus, expulsa diante de ti essas nações. 13 Serás inteiramente do Senhor, teu Deus.

Levítico 19, 26 - Não praticareis a adivinhação nem a magia.

2º Livro dos Reis 17 - 13 O Senhor tinha advertido Israel e Judá pela boca de seus profetas e videntes: Renunciai às vossas más ações; guardai meus mandamentos e minhas leis; observai toda a lei que prescrevi a vossos pais e que vos transmiti pelos meus servos, os profetas. 14 Mas eles não o quiseram ouvir, e endureceram o seu coração, como o tinham feito seus pais, que se tornaram infiéis ao Senhor, seu Deus. 16 abandonaram todos os mandamentos do Senhor, seu Deus, 17 entregaram-se à adivinhação, à bruxaria; enfim, abandonaram-se inteiramente a tudo o que desagradava ao Senhor, irritando-o. 18 Por isso, o Senhor ficou profundamente indignado contra os israelitas e lançou-os para longe de sua face.

Gálatas 5,19-21 - 19 Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem, 20 idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, 21 invejas, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como já vos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus!

Caros leitores, haja paciência para conviver com as afrontas que o mundo insiste em apresentar contra os servos de Jesus Cristo. Não é de hoje que se tornou comum ao andarmos pela cidade, nos depararmos com tantas e tantas formas de expressão que não são compatíveis com as verdades do evangelho em nenhum tipo de detalhe sequer. Parece que errado é aquele que não está tatuado. Errado é ser um casal homem e mulher. Errado é aquele que não é escravo do seu smartphone. Errado é aquele que não usa piercing. Errado é aquele que não sai para as baladas e festas recheadas de sexo, drogas e álcool. Afinal, dizem eles, “todo mundo faz, é a evolução da humanidade”. E “isso não faz mal a ninguém”, dizem eles. Que triste engano, fazem mal a si mesmos e nem se dão conta. Como se fossem super-heróis, estufam o peito e seguem ao “infinito e além”, só que, detalhe: longe da presença de Deus.

Neste artigo em questão a reflexão paira sobre o ensinamento de Deus, presente tanto no antigo quanto no novo testamento, de que se você praticar em sua vida algo que é concorrente e em desacordo ao que vem de Deus, como poderá se salvar? E a questão é bastante simples. E por ser simples o ser humano tratou de complica-la para poder através do relativismo tornar tudo acessível.

Ora, que mal existe em usar um amuleto, um talismã que protege contra o mal olhado, o olho gordo e a inveja com origens em outra crença, como o olho grego? (foto) A resposta é simples. Ou você acredita que Deus rege a sua vida ou você acredita que as forças cósmicas exotéricas e os astros regem sua vida. O católico não usa amuletos. Fere os ensinamentos da sagrada escritura sendo portanto pecado. É importante abrir aqui um parêntese, objetos religiosos usados no pescoço ou junto ao corpo do fiel ou em algum ambiente não possui nenhum caráter mágico, do contrário também seriam amuletos. Eles são sinais de evangelização, de testemunho da condição do fiel e é claro, são um canal por onde Deus derrama suas bençãos no portador. Não vamos misturar as coisas, as bençãos e graças de Deus não são mágicas. Deus não recita nenhuma fórmula mágica ou feitiço protetor derramando um pó de pirlimpimpim e pronto, estamos protegidos e agraciados. Nada disso, a isso se dá o nome de magia, feitiçaria e bruxaria. Continuando, os objetos religiosos não atraem boa sorte pois sorte não é algo que o católico deve aceitar em seus conceitos. Essa crença provem de outras fontes que não são o Deus da vida, que enviou seu filho unigênito para nos resgatar na cruz da dívida contraída no princípio de nossa história.

“Ah mas eu gosto, eu acho bonito, está na moda, isso, aquilo, aquele outro”. Errado, não é nada disso. É preciso sermos imitadores de Cristo e de sua Mãe, a Virgem Maria, toda submissa a vontade do Pai. Não podemos nos permitir convivermos como diz a escritura, com aquilo que desagrada a Deus e ainda esperarmos Dele, que nossa revolta, desobediência e rebeldia sejam premiadas. Deus que é amor e infinita misericórdia está sempre a perdoar, mas o amor é exigente e justo. Amar é saber dizer não. Amar é ajudar a caminhar e não carregar no colo. No dia de nosso juízo seremos julgados pela resposta que demos pelo amor que recebemos do Pai Eterno. Jesus nos adverte: “Não vos enganeis”. Não vamos esquecer que tudo é entre nós e Deus. Não sigamos a moda, não sigamos as crendices, simpatias e superstições que ouvimos falar que é bom. Não sigamos o que nos faz bem porque muitas vezes este desejo é uma resposta aos pedidos do nosso corpo. Lembremos que nossa alma tem três inimigos. O diabo, o mundo e a carne.

É preciso estarmos atentos. Nossa Senhora disse em Fátima que iriam aparecer muitas modas no mundo que ofenderiam o seu Filho Jesus. Sigamos Jesus, não sigamos a moda. Sejamos autênticos e vigilantes, pedindo sempre ao Espírito Santo de Deus, os dons e as graças necessárias para a nossa santificação e salvação já aqui nesta terra.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas