sexta-feira, 22 de abril de 2016

O dedo de Deus

A quase uma semana depois do terremoto de 7,8 graus que atingiu o Equador, segue naquele país a atividade de colocar a casa em ordem. No entanto, durante a semana, outro fato, de natureza religiosa, para nós católicos foi a comprovação de que, sempre existe o dedo de Deus em tudo aquilo que acontece em nossas vidas, seja de caráter macro ou de caráter micro.

Desta vez o artigo remete a outra escola com mais 900 alunos onde uma congregação de religiosas trabalhava e que, para o grande testemunho de todos, após ser arrasada pelo grande tremor de terra, após dias de trabalho intenso na remoção dos entulhos e início de reconstrução frente aos prejuízos deixados pelo terremoto, lá estava ela, a estátua de Nossa Senhora intacta no meio dos escombros.

Podem pensar o que quiserem os céticos de plantão, mas já é fato comprovado que, em todos os lugares do planeta onde existem acontecimentos trágicos, sempre existe também acontecimentos desta natureza que deixam claro que a providência divina está de perto a acompanhar tudo. O que ocorre também é que estes assuntos não são abertamente noticiados pois a mídia secular não tem interesse em falar das coisas de Deus. Então não me venham achar explicações científicas ou dizer que é coincidência pois, haja coincidência em cima de coincidência em toda a história da humanidade. Não irei ficar aqui remontando a casos antigos, já documentados e noticiados porque já está muito claro, para mim que sou católico, que isso são sinais.

Por isso que Jesus disse que bem-aventurados os que veem e que são pequeninos aos quais o Pai do Céu quis revelar essas coisas. E especificamente neste caso do Equador, já são 3 casos desta natureza. Aqui estou a relatar na mesma semana em meu blog, o segundo caso. Enfim, caros leitores, o que para nós precisa ficar retido, e para mim é o que irei guardar é a seguinte mensagem:

As tribulações e provações virão, apeguem-se a Deus e a tudo que procede dele, sendo perseverantes, pois a perseverança está garantida por Jesus nos evangelhos como digna da salvação eterna. O católico não pode ter medo de enfrentar o mundo porque o preço para entrar na glória eterna exige um testemunho da verdade, verdade esta que para alguns, além das tribulações e provações, irá cobrar o martírio.

Jesus não aprova o covarde, tanto é que este tipo de pessoa encabeça a lista de pecadores condenados que Jesus descreve no livro do Apocalipse. São os tíbios ou covardes. De nós, nosso salvador no mínimo espera o máximo do que podemos ser e fazer. Se neste ponto de nossas vidas nos sentimos incapazes ainda de abraçarmos nossa cruz diariamente, não percamos tempo, peçamos a graça de conseguir faze-lo o quanto antes para não mais o deixarmos de fazer. Pois como Jesus nos ensinou, dias virão, sejamos prudentes e vigilantes pois quando menos esperarmos, nosso prazo nesta etapa de nossas vidas terminou.


fonte: ACI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas