segunda-feira, 18 de abril de 2016

Testemunhando o Cansaço

É muito fácil de se assimilar o ditado popular que diz que “na descida todo o santo ajuda”. E como é verdade esse dito. Vamos desdobrar um pouquinho para vislumbrarmos o que Jesus espera de nós. Pois bem, Jesus Cristo verdadeiro Deus e verdadeiro homem, enquanto assumiu nossa condição humana para viver conosco e passar por tudo que passou, muitas vezes é visto apenas no contexto de nossas meditações e reflexões como um Jesus que é apenas divino.

Muitas pessoas se esquecem que toda a vida pública dele não se constituiu em atos de heroísmos. Jesus cansava, Jesus dormia, se irritava, se divertia e se alegrava. Caminhava barbaridade não é mesmo e rezava mais do que ninguém. Porque é importante resgatarmos esta que é uma realidade pela qual ele passou?

Ora, ele disse aos apóstolos que iremos beber o mesmo cálice que ele bebeu. Basta lembrar da santa ceia, na quinta-feira santa. O tomai e comei e o tomai e bebei. Ahhh, é claro, Jesus se alimentava também, inclusive depois da ressurreição. Ou seja, para concluir esta primeira parte do artigo, Jesus quis dizer: “tome a sua cruz e me siga” e nas entrelinhas está escrito “até o calvário”. Isto está confirmado quando Jesus diz que aquele que perseverar até o fim será salvo.

Portanto, nada de pedirmos que Deus nos livre de nossos sofrimentos. Eles irão nos acompanhar pela vida toda. Peçamos a força para suporta-los com paciência. Particularmente gosto muito do ensinamento bíblico que diz que nas boas horas devemos lembrar dos momentos ruins, e nos momentos ruins devemos recordar dos bons momentos. E por que disso? Simples. As vezes Deus coloca um espaço entre os bons e maus sofrimentos para exercitar nossa paciência, vigilância e fé. Se não entendermos isso seremos sempre pegos de surpresa e caímos na caminhada.

No livro do Eclesiástico temos outra bela passagem que ilustra como devemos nos portar perante as graças que Deus nos concede em forma de sofrimentos e tribulações. Vamos acompanhar:

Eclesiástico 2,1-4:

1 Meu filho, se entrares para o serviço de Deus, permanece firme na justiça e no temor, e prepara a tua alma para a provação;
2 humilha teu coração, espera com paciência, dá ouvidos e acolhe as palavras de sabedoria; não te perturbes no tempo da infelicidade,
3 sofre as demoras de Deus; dedica-te a Deus, espera com paciência, a fim de que no derradeiro momento tua vida se enriqueça.
4 Aceita tudo o que te acontecer. Na dor, permanece firme; na humilhação, tem paciência.

Então, caros leitores, como podemos ver, nem poderíamos esperar uma exortação diferente, já que a dor é filha do amor. Assim quis Deus e assim consumou na cruz nosso salvador. E concluo com estes versículos da Carta de São Tiago 1,2-4:

2 Considerai que é suma alegria, meus irmãos, quando passais por diversas provações,
3 sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência.
4 Mas é preciso que a paciência efetue a sua obra, a fim de serdes perfeitos e íntegros, sem fraqueza alguma.

Como estamos a observar, Jesus pede de nós que nos acalmemos e tenhamos fé. Podemos notar que paciência é virtude muito importante para nossa caminhada. Precisamos cultiva-la sempre. Se não a temos, peçamos a Deus. Mas, não deixemos de testemunhar que em todos os momentos de nossa vida existe o dedo de Deus, e como diz o título do artigo, até no cansaço que a vida nos impõe.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas