segunda-feira, 16 de maio de 2016

Haja Paciência

Eclesiástico 2,1-4,16-17,21-23

1 Meu filho, se entrares para o serviço de Deus, permanece firme na justiça e no temor, e prepara a tua alma para a provação;
2 humilha teu coração, espera com paciência, dá ouvidos e acolhe as palavras de sabedoria; não te perturbes no tempo da infelicidade,
3 sofre as demoras de Deus; dedica-te a Deus, espera com paciência, a fim de que no derradeiro momento tua vida se enriqueça.
4 Aceita tudo o que te acontecer. Na dor, permanece firme; na humilhação, tem paciência.
16 ai daqueles que perderam a paciência, que saíram do caminho reto, e se transviaram nos maus caminhos.
17 Que farão eles quando o Senhor começar o exame?
21 Aqueles que temem ao Senhor guardam os seus mandamentos, têm paciência até que ele lance os olhos sobre eles,
22 dizendo: Se não fizermos penitência, cairemos nas mãos do Senhor, e não nas mãos dos homens,
23 pois a misericórdia dele está na medida de sua grandeza.

Como vimos caros leitores, haja paciência não é mesmo! Sempre estamos a coloca-la em ação. A enxurrada de acontecimentos em nossa vida nos colocam em teste várias vezes ao dia, muitas vezes ao mês, inúmeras vezes por ano e incontáveis vezes na vida. Padre Pio dizia que quanto maior a tentação, mais perto de Deus a alma está. Lembremos, a tentação, permitida por Deus tem a finalidade única do inimigo de nos perder no inferno. Por outro lado, se Deus permite essa tentação é porque Ele quer nos ver crescer no amor.

Tudo bem então, fica o recado divino. Sejam tentações, sejam provações tudo é um fato: elas acontecerão. Nos cabe, como nos ensina o trecho do Eclesiástico sofrer as demoras de Deus com paciência. Paciência esta que a todo momento é alvo das tentações. Sim, porque a paciência é um escudo que nos faz agir com ponderação. Um escudo que aguenta muitos golpes vindos de todos os lados. Um escudo que é alimentado pela virtude que será recompensada, a virtude da perseverança.

Ser paciente não é ser covarde, não é ser tímido ou acomodado com medo da opinião alheia. Quem é paciente não se cala, mas sabe pela sabedoria divina sofrer calado e sabe quando se deve abrir a boca para falar o que dá fruto na vida das pessoas. Recordemos os relatos dos evangelhos da paixão de Jesus. Houve o tempo de se calar e o tempo de se pronunciar. E o diabo sabe de tudo disso. Ele sabe que a prova da nossa fé produz a paciência (Tg 1,3) e por isso, nosso inimigo cruel quer a todo o custo nos roubar esse vaso que é tão precioso, difícil de cultivar e manter florescendo. Se a paciência se vai, o impulso entra em cena e o dizer e o agir sem pensar, lançam ao chão todo o nosso trabalho nos fazendo cair. O impulso invade os sentidos, nos distrai e já não enxergamos as coisas com um olhar sobrenatural.

Esperto e astuto é o diabo, ele sabe esperar pelo nosso descuido. Ele é paciente e não se distrai em seu propósito. Sejamos vigilantes, peçamos o fruto da paciência ao Espírito Santo e que Maria passe na frente e nos ajude a resolver aquilo que não podemos. Ela que é totalmente submissa a Deus e sempre nos auxilia e aponta para o caminho, a verdade e a vida, pois sem Ele (Jesus) nada podemos fazer (Jo 15,5).


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas