segunda-feira, 27 de junho de 2016

Eles foram crismados

Com o título deste artigo facilmente podemos imaginar que estarei a falar algo sobre as pessoas desta foto. Isto é verdade, mas, em parte pois o que colocarei aqui serve a todo tempo para cada um de nós. É o que ouvimos o Arcebispo da Arquidiocese de Curitiba falar em sua homilia que aconteceu na celebração do sacramento da crisma que aconteceu na Paróquia São Rafael em Curitiba-PR.

Usando de algumas analogias ele falou que quando gostamos de alguém e, portanto, somos seu amigo, se ouvirmos falarem mal deste alguém, corremos a defende-lo, mas não como ensina o mundo, ou como fazem os fundamentalistas e extremistas. Defendemos Jesus com a verdade, que dele brota. Quem é amigo(a) de Jesus não se contenta em ficar calado enquanto alguém blasfema, comete sacrilégios ou age com indiferença ofendendo-o. Logo se põe, como servo de Cristo e membro da sua igreja, a levantar o estandarte do evangelho que salva, que promove um único caminho, cheio de verdade e vida. Caminho este que por ser único, somente ele leva ao Pai Eterno.

O amigo de Jesus, dizia o arcebispo não se comporta como não convém. Até em seu modo de falar. Nem deve pensar diferente do modo como pensa o Salvador. Na maturidade da fé, confirmamos que queremos realmente seguir a fé transmitida pela igreja, na pessoa dos pais e padrinhos. Na maturidade da fé, queremos proclamar em missão o mandato que Jesus confiou a todos.

Não é uma formatura, nem uma cerimônia para entrega de certificados dizia Dom José Antonio Peruzzo. É o início de uma missão. Que só irá terminar quando nós morrermos ou Jesus voltar. E dentro desta missão, enfatizou de forma categórica Dom José, que a oração, única arma do Cristão, já nos recordava Santo Antão, é uma prática que precisa ser vivida e praticada cada vez mais e mais.

Alguém lembrou aqui de Jesus? “Vigiai e orai sem cessar”... Pois é, a “dica” é dele, daquele que nos salvou na cruz. Pensemos. Jesus disse que não existe amor maior do que aquele que dá a vida por seu irmão. E esse é o amor com que ele nos amou. Amores menores nos conduzem muito pouco e tantas vezes estão contaminados com os ingredientes do mundo, portanto, cuidemos.

Por fim, Dom José Antonio Peruzzo concluiu sua homilia enfatizando a seriedade da situação e da missão. Não é uma grande história que termina, um grande filme em partes que leva anos para concluir sua trilogia. Como bem disse o arcebispo quando nos encontrarmos face a face com Jesus e ele nos perguntar sobre nossas omissões o que iremos responder? Melhor começarmos a responder agora disse ele, pois assim existe no tempo da igreja o tempo para se arrepender, se converter e retornar para a casa do Pai.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas