segunda-feira, 18 de julho de 2016

Cuidemos com o exagero da Misericórdia

Eclesiástico 5,6-9 - Não digas: A misericórdia do Senhor é grande, ele terá piedade da multidão dos meus pecados, pois piedade e cólera são nele igualmente rápidas, e o seu furor visa aos pecadores. Não demores em te converteres ao Senhor, não adies de dia em dia, pois sua cólera virá de repente, e ele te perderá no dia do castigo.

Gálatas – 6,7 - Não vos enganeis: de Deus não se zomba. O que o homem semeia, isso mesmo colherá.

Pois bem caros leitores, neste artigo iremos refletir sobre um dos efeitos que alta teologia pode causar em mentes que muito se aprofundam nos estudos sobre a revelação divina vivendo, por causa disso, uma tendência a se afastar da fé simples de nossos bisavôs, que com certeza, levou muitas pessoas ao céu. Mesma fé vivida e professada por tantos santos e santas canonizados pela igreja católica. Então, por que não manter o foco no ensinamento de Jesus ao invés de passar anos tentando desmembrar em minúcias aquilo que já foi claramente ensinado pelo Salvador? Não que o esforço humano movido dentro da Teologia seja condenado, mas ele sem dúvida caminha muito próximo a linhas de pensamento que não compartilham do mesmo ideal de Jesus. E como diz São Tiago, quem desobedece um item da lei, desobedece a lei inteira, já podemos perceber que o relativismo, muito utilizado por satanás para confundir as pessoas, pode prejudicar e macular a caminhada do cristão rumo a pátria celeste. Vejamos.

Na cidade de Imbituva-PR, encontramos um padre chamado Gilson Cézar de Camargo, grande teólogo e muito conhecedor dos temas religiosos. Com ele neste ano de 2016, tive a felicidade de participar de dois dias de formação na arquidiocese em que moro, Curitiba-PR. Não há sombra de dúvidas para mim a respeito do seu grande conhecimento. Homem sábio pelos anos de estudo e dedicação a igreja, atua a serviço do Senhor com esmero e muito zelo pelo povo de Deus. Mas...

Eis que surge o atual papa, que de longe, na opinião de muita gente, basta conferir os defensores da tradicional fé católica pelo mundo afora, e também na minha opinião, de longe, não é o melhor papa que a Igreja de Cristo já teve. Ele governa para agradar o mundo e não a Deus. Isso já ficou claro em todos os cantos do planeta e não preciso ficar aqui a debater o tema pois cada um pode fazer sua pesquisa e comprovar por si só as barbáries que este sumo pontífice anda a cometer pelo mundo afora. No entanto o foco do artigo não é o Papa Francisco, ele é o causador de algumas desgraças dentro da igreja. Ele acerta em alguns pontos, mas erra em tantos outros. Pobres das ovelhas do Senhor. Continuemos.

Então, após a chegada deste papa, o mesmo não perdeu tempo e colocou a igreja a enfatizar a Misericórdia de Deus acima de tudo e como vimos no início do artigo, biblicamente as coisas não são assim. Até satanás sabe disso e a tantos anos insiste em vender a ideia de que Deus, por ser infinita misericórdia, o que é verdade, podemos fazer o que quisermos, viver como queremos e pecarmos à vontade, o que é mentira, porque, por misericórdia de Deus, iremos entrar no céu, mesmo contra nossa vontade. Assim ensina o diabo e, para quem for bem atento, assim quer Francisco que a igreja se comporte.

O que ocorre então, é que esse reflexo já está dentro da igreja. Bergoglio tem feito um bom trabalho. Haja vista em um desses dias que comentei que participei de formações com o Padre Gilson, já mencionado no artigo, o mesmo, ao ser indagado por alguns a respeito de se é pecado mortal ou venial essa ou aquela questão, deu uma resposta que foi de pasmar. A resposta do padre, que depois ele fez questão de levar a conhecimento de todos foi a seguinte:

“Antigamente a igreja fazia distinção entre o pecado mortal e venial. Agora não, a misericórdia de Deus está acima de tudo. Para uma pessoa o que é pecado mortal pode ser apenas um pecado venial para a outra. Depende da formação de consciência de cada um”.

Caros leitores, isso vai contra todos os testemunhos dos santos, contra toda a Mariologia, contra as sagradas escrituras e contra os evangelhos, só para começo de conversa. Dizer que depende da consciência de cada um é o mesmo que dizer que depende do ponto de vista de cada um. Isso é relativizar a doutrina e o ensinamento da igreja e deixar, assim como os protestantes fazem, ao livre exame tudo aquilo que vem dos céus. Que estrago viu. É o mesmo que dizer que isso aqui antigamente era pecado, agora não é mais. Ora, um pecado sempre será pecado em qualquer geração, do contrário Deus não seria justo com todas as gerações e toda a sua doutrina o revelaria como um mentiroso. São sementes assim, colocadas em cada um, que aos poucos vão destruindo a autenticidade e originalidade da verdade pregada por Jesus. E ele ainda concluiu dizendo que é preciso não seguir a tradição, é preciso ser moderno.

Que Deus perdoe aos que não sabem o que fazem e, como está escrito em Eclesiástico, se apresse para com seu furor, castigar os pecadores pois, afinal, piedade e cóleras são nele igualmente rápidas. Sigamos a autenticidade da pregação de Jesus, pois ele disse que quem me segue não andará nas trevas. O que sai da boca de Jesus é o que nos salva e não o que sai da boca daqueles que já não reconhecem que pregam verdades maculadas.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas