terça-feira, 12 de julho de 2016

Sem mim nada podeis fazer

Vez por outra é importante fazermos um exercício de meditação e reflexão sobre o modo como a humanidade leva sua vida e o modo como cada um de nós leva a própria vida. O exercício é muito salutar porque o ser humano se faz de espelho para si e para os outros. E tanto é verdade, que Jesus foi logo nos advertindo que devemos proceder de maneira correta nossos julgamentos, pois do contrário, serão para nós ocasião de queda.

Seja a qualquer hora do dia ou em qualquer lugar, é muito fácil de se comprovar o que estamos a refletir neste pequeno artigo. E a internet não fica de fora da balburdia. São inúmeros sites que se dedicam em promover a casca provisória chamada corpo e os comportamentos de ostentação material que mantém o estrelato e a fama na crista da onda.

Pobres destas pessoas. Dos que promovem e dos que praticam, coisas que não agradam a Deus. Basta aqui apenas uma citação da Carta de São Tiago que diz que “quem quer ser amigo do mundo irá se tornar inimigo de Deus”. Nem precisamos argumentar com mais nada, pois não se refutam os ensinamentos do Espírito Santo, autor da bíblia.

No entanto, caímos tão facilmente. Basta um esbarrão divino em nossas vidas que pronto, estamos desempregados, na miséria, doentes ou desenganados. Este invólucro provisório que chamamos de corpo ainda não ressuscitou para se tornar um corpo glorioso e participar da vida eterna. Sabemos pela palavra de Deus e acreditamos pela fé recebida como dom que é para este fim que conduzimos nossa vida, que deve ser uma vida recheada de obras. Vale lembrar São Tiago mais uma vez: “a fé sem obras é uma fé morta”.

Esquecemos tão facilmente que se temos saúde, é graças a Deus e nem todos agradecem. Mas se a doença vem, é socorro Deus, me ajude! Esquecemos tão facilmente que se temos um emprego, é graças a Deus e nem todos agradecem. Mas se ficamos desempregados, nos ajoelhamos a pedir a Deus um emprego.

Se as coisas vão como queremos, que ótimo mas agradecemos por elas a Deus? Se não, devíamos porque as tribulações também serão enviadas do alto para nos fazer crescer na dependência filial que Ele tanto quer de nós. No entanto nem todos pensam ou agem assim. Querem uma vida de acordo com seus ideais e querem um Deus que não os perturbe com nada que lhes afastem de seus projetos de vida. Esquecem, todavia, que como criaturas Dele, nossa rebeldia, revolta e desobediência só irá nos levar para a rampa do abismo e da condenação eterna. E tem mais, não existe remédio para essa causa porque isso não é um mal. Deus não é mal, apenas permite que o mal aconteça em nossas vidas porque dele pode sempre tirar algo de bom.

Isso é um mistério. Qualquer esforço para compreender o amor de Deus que façamos não atingirá nesta terra uma explicação completamente racional. Por isso existe a fé, a certeza daquilo que não se vê. Como uma criança pequena, que de cima do muro se joga no colo do pai, porque sabe que será pega e não cairá no chão, assim também devemos ser em nossas vidas. Jesus já disse que sem Ele nada podemos fazer. Não sei porque insistir em remar contra aquilo que o salvador nos ensinou. Se Ele falou nada é “nada”.

Quanto mais cedo cada um colocar o evangelho de Cristo em seu coração, o quanto antes deixará de viver, pois será o Cristo a viver em cada um de nós.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas