segunda-feira, 8 de agosto de 2016

"Celebridades" e o aborto

Como sempre o egoísmo, fruto satânico que o mundo impõe a todos que querem viver a “falsa liberdade” que o mundo apresenta, na sua insistência de que é possível aqui, viver um paraíso sem Deus, muitos acabam por aderirem a atitudes e comportamentos completamente “contra” a correnteza do mar de graças, bênçãos e sofrimentos que Deus nos concede enquanto espera de nós, no mínimo, o máximo de nosso esforço e maturidade na fé.

Desta forma, quando algo não dá certo, se existir a possibilidade de “varrer o problema” para debaixo do tapete, muitos o fazem. Se a culpa, que é minha e, portanto, posso fazer o que quiser com ela, eu colocar em alguém, para lavar minhas mãos como Pilatos, então o farei. Se outros já passaram pelo que passei e “solucionaram” o ocorrido com “receitinhas” infalíveis e aplicáveis a todos então também o farei pois, afinal, todo mundo faz, e como sou uma pessoa globalizada, faço parte desta tribo que está em constante e inevitável evolução.

Até parece não é mesmo caros leitores. O tema é sempre polêmico, mas, como aqui neste blog procuramos defender a verdade, que é o Cristo (João 14,6), e sair sempre em defesa da doutrina e tradição da “sua” igreja, mais uma vez irei colocar alguns depoimentos colhidos no portal terra, sobre algumas “celebridades”, mas não aos olhos de Deus, e seus comportamentos frente a pratica do aborto. Vamos a eles:

Aos 66 anos Sonia Braga não se arrepende de nunca ter tido filhos. A atriz revelou que nunca cogitou a ideia de ser mãe e assumiu ter feito alguns abortos ao longo da vida. “No primeiro, eu era muito criança. Tinha 17 anos. Se não tivesse um médico de confiança, eu poderia ter morrido”. Disse em entrevista à revista Elle. Ela aproveitou para levantar a bandeira da legalização do direito da mulher de interromper gestações indesejáveis. “Crime é o aborto não ser legalizado no Brasil”, afirma a atriz. “Não pode ter restrição. Pelo contrário. Tem que educar e facilitar isso para as mulheres. Já conseguiram fazer a delegacia da mulher. Agora tem que cuidar da saúde delas”.

Vera Zimmermann não encontrou um grande amor que a fizesse querer ser mãe. Por isso a atriz realizou um aborto aos 26 anos. “Quando fiz me senti culpada por não ter me protegido. Mas acho que foi importante ter feito, não tinha a menor condição de ser mãe naquela época”.

Vocalista da banda Aviões do Forró, Solange Almeida revelou ter feito um aborto aos 17 anos e disse se arrepender muito de ter desistido da gestação: “No calor da idade eu fiz um aborto. Foi uma das piores coisas que eu fiz na minha vida, mas eu tenho certeza que Deus me perdoou”.

Ex-mulher de Du Moscovis, Cynthia Howlett contou com o apoio da mãe para realizar um aborto aos 17 anos: “ Tudo depende do momento. Hoje não faria, embora não me arrependa de ter feito”.

Elba Ramalho, que hoje é fervorosa católica e defende a cultura da vida, revelou que fez um aborto quando era jovem sem saber o que estava fazendo e que se arrependeu: “Quando fiz o aborto, era jovem e não tinha informação, achava que era livre e podia tudo. Devagar fui tomando consciência do que tinha feito, do que era o aborto. Considero a mesma coisa que matar uma pessoa”.

Luiza Brunet assumiu em entrevista a Marilia Gabriela que fez um aborto na adolescência: “Tinha acabado de me casar e precisava trabalhar”.

Astrid Fontanelle contou em uma edição do programa Saia Justa exibido no canal a cabo GNT, que fez um aborto aos 18 anos: “Ainda dói. E não é motivo de orgulho. Eu era garota, não namorava a pessoa certa, não sabia me proteger, esquecia de tomar a pílula. Tive muito medo de contar para minha mãe. Não tinha dinheiro, tive que vender uma joia dela. Fui lá sozinha”.

Sem vocação para ser mãe, Elke Maravilha fez diversos abortos ao longo da vida e não se arrepende: “Não saberia educar uma criança. Quando você fizer um filho, você tem que estar consciente de que está dando a vida e está dando a morte”.

Mãe de dois filhos, Debora Bloch fez um aborto aos 20 anos após engravidar sem querer de um namorado: “Meu ginecologista me indicou uma clínica. Não tive nenhum tipo de arrependimento depois”.

Aracy Balabanian engravidou aos 40 anos, quando seu casamento estava caminhando para o fim. Ela decidiu fazer um aborto porque não seria capaz de criar o filho sozinha.

Maitê Proença revelou que fez um aborto quando tinha apenas 16 anos e defende a legalização da prática no Brasil: “Sou a favor de que pessoas de baixa renda, em vez de espetar agulha de tricô, tenham acesso a saúde pública e acompanhamento psicológico, porque é sempre um trauma”.

Zezé Polessa revelou que fez um aborto na juventude. Formada em medicina, a atriz estava no sexto ano da faculdade quando acabou contraindo rubéola e achou melhor interromper a gravidez. “Tive contato no hospital com dois pacientes com rubéola, casos graves e acabei pegando a doença. Só que estava grávida, no primeiro mês ainda, e nem sabia. Na época a estatística era bem alta para cegueira e não quis (ter o bebê)”.

Cassia Kis se arrepende muito de ter feito um aborto em 1988. A atriz acredita, inclusive, que sofreu um aborto espontâneo anos depois como consequência de seu ato: “Recebi aquilo como castigo de Deus. Mesmo traumatizada resolvi que iria tentar novamente, quantas vezes fossem necessárias.









E é isso caros leitores, fiquemos por aqui para não alongar o artigo, pois cabe a cada um fazer com que suas escolhas e decisões se tornem ou não um disparate frente aquele que morreu na cruz para nos resgatar do pecado do paraíso e nos abrir o caminho que nos leva ao céu. Ou viramos as costas para Deus que nos apresenta um amor que é exigente, ou como o diabo, nos revoltamos e rebelamos, o que decidirmos é o que iremos colher.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas