quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Como manter as ofertas do mundo fora de casa

“Quem é amigo do mundo se torna inimigo de Deus” – Tiago 4,4. “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito” – Romanos 12,2. E com estes dois trechos das sagradas escrituras, caros leitores, começamos esta pequena reflexão acerca da resistência que se deve oferecer a tudo aquilo que o mundo oferece e que está em desacordo com a vontade de Deus.

Todo mundo é capaz de aguentar qualquer “como” desde que ele tenha um “porquê”, já dizia um grande filósofo ateu Friedrich Nietzsche, perito na observação do comportamento humano. E vemos que até mesmo um ateu pode contribuir para a espiritualidade católica, mas, será que ele, lá no fundo, não estava deixando o ateísmo de lado quando começou a enxergar esta verdade? Bem, isso é entre ele e Deus. Sigamos com o artigo.

O fato é que se faz muito verdadeira esta sentença. É preciso sabermos os porquês das coisas. E em se tratando de nossa vida espiritual e seu incessante combate pela salvação ou condenação eterna de nossa alma, todo o conhecimento que Deus nos revelou precisa ficar muito bem impregnado em nossas vidas.

“Quem quer se salvar, tenha o paraíso na mente, Deus no coração e o mundo debaixo de seus pés”, dizia Santo Antonio Maria Claret. Estamos no mundo, mas não somos do mundo disse Jesus. Portanto precisamos entender que não podemos nem devemos ser escravos do mundo e de suas ofertas.

Nossos sentidos e nosso corpo serão, se deixarmos, nossos inimigos. O mundo, comandado por satanás, seu príncipe (João 14,30), utiliza todos os meios para bombardear com as tentações sempre tão bem disfarçadas em pratos deliciosos. Porém, se o olhar que lançarmos sobre tudo, for o olhar como o de Cristo, que é um olhar espiritual, nosso corpo irá refletir aquilo que está no coração, morada de Jesus e Maria. Nosso corpo, que é tempo do Espírito Santo (1ª Coríntios 6,19).

Sendo assim, nos parece que a “receita” dada por Deus é esta: é preciso deixar de lado as coisas que passam em detrimento daquelas que não passam. Jesus é muito claro quando nos adverte que de que adianta o homem ganhar o mundo inteiro se vier a perder a sua alma (Mateus 16,26). E também ensinou que é primeiro necessário buscarmos o reino de Deus e a sua justiça pois todo o resto nos será acrescentado (Mateus 6,33).

No entanto não devemos concluir que é preciso nos isolarmos do mundo e de todos, como os antigos monges do deserto para vivermos o que Jesus nos pede. Nada disso, não é preciso desesperar. É preciso entender muito bem que, “manter as ofertas do mundo fora de casa” é não deixar as tentações entrarem em nosso coração, pois onde está nosso coração aí estará nosso tesouro (Mateus 6,21).

Desta forma, poderemos usufruir do que o mundo tem ao nosso dispor sem nos contaminarmos com o que não nos convém. Irão nos ridicularizar? Irão nos xingar de tantos nomes? Seremos uma minoria chata e de desmancha prazeres? Não há problema nenhum nisso porque Deus vê os corações e tudo que fizermos com o coração preenchido pelo amor de Deus, nos levará no dia do juízo, como benditos, para a fila da direita (Mateus 25,33-34).


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas