quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Fé fraca x Problemas Familiares

Se algo vai mal em nosso organismo, nosso sistema de defesa atua incansavelmente para manter a normalidade do conjunto. Se nos cortamos em pouco tempo são enviados os soldados até o local da ferida para “isolar” a área, tratar do machucado e iniciar o processo de cicatrização e cura. E assim, diariamente e sem intervalos, não existe para este valente exército de anticorpos, sequer um descanso. E mais, organizado em vários “departamentos” onde cada setor é responsável por alguma tarefa, existe também o sistema de alerta que nos avisa quando algo não vai bem. A febre e a fome são alguns simples exemplos. Se existe alguma infecção no organismo que ele não está conseguindo resolver, ele começa a aumentar vertiginosamente sua temperatura na tentativa de acabar com o mal. Se existe falta de energia em nosso corpo e ele já começou a perder sua eficiência a fome manda sinal de alerta para que seja providenciada a reposição da matéria-prima, que é o alimento, para a produção de energia.

Pois bem, em nossa vida espiritual as coisas não são diferentes. E este é um erro que muitas pessoas cometem. Esquecem que são um composto de corpo e alma e descuidam, ora do corpo e ora da alma. Agindo assim acabam a se prejudicarem. E na prática, todos nós sabemos muito bem, que cuidar do corpo e alma dá trabalho e exige constante dedicação.

Na parte espiritual de nossa vida, alvo de constantes investidas de nosso inimigo, a família é sem dúvida muito atacada. Todos sabem disso, basta ler nos noticiários para ver desgraça em cima de desgraça pelo mundo afora. No entanto, quando a família é atacada, existe um dom de Deus que é também fortemente afrontado pelo diabo. Estamos falando da fé. Percebam a relação.

Se a família vai bem, socialmente, materialmente e fisicamente, o lado espiritual de cada um de seus membros parece estar preservado. Puro engano quem pensa assim. Quanto mais a família for agredida neste mundo tanto físico pelo seu príncipe (João 14,30), quanto espiritual (Efésios 6,12), o lado espiritual de cada um, representado pela sua fé é colocado em cheque. E aí residem muitas das quedas e destruições familiares. Se as coisas vão bem, graças a Deus, muitas vezes não agradecemos, mas, se as coisas vão mal, prontamente lembramos de Deus, para pedir socorro, com pedidos feitos na forma de orações ou reclamações. E quando o tempo de Deus é diferente do nosso, porque ele quer nos ver crescer no amor, nossa fé que pensávamos ser boa, sólida e consistente, se revela frágil e muito debilitada.

Neste ponto podemos perceber claramente como Deus é bondoso, amoroso e misericordioso ao nos tratar assim, pois se nos tratasse como merecemos o que seria de nós (Salmo 102,10)? Ou nos tratasse conforme nossa fé, o que restaria na resposta de nosso amor? Sejamos francos e honestos. Jesus alertou que se tivéssemos fé como a de um grão de mostarda moveríamos montanhas (Mateus 17,20). Ele quis nos alertar que não podemos deixar essa plantinha definhar, atrofiar, minguar. Ela, a fé, irá nos manter firmes na caminhada e não desistir. Por isso, Deus foi logo nos concedendo esse dom. Bem sabia ele que, se nos faltasse um “porquê” não suportaríamos o “como” estamos vivendo. Sejamos então conscientes a este respeito. Nossa fé precisa ser católica, precisa ser uma fé no todo e não só na parte da recompensa prometida. Precisa ser uma fé que acredita que depois da peregrinação rumo ao calvário, vem a ressureição do terceiro dia para a vida eterna. Assim como precisamos ter hábitos de vida saudáveis, boa alimentação, bom descanso e fazer exercícios regulares, tratando nosso corpo de acordo com a sua natureza, de igual modo, precisamos manter a preguiça vocacional longe e exercitar nossas práticas religiosas diariamente se quisermos atravessar este vale de lágrimas onde na outra margem, Jesus nos espera com a coroa da glória eterna.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas