quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Livro de Tobias contém referência do Apocalipse

O livro das revelações, também chamado de Apocalipse, escrito num gênero literário cheio de simbolismos, traz mensagens de ordem profética, mas também de correção e conversão. Ensina através de suas palavras, a seriedade do segmento de Jesus e de todo o plano de Deus até sua consumação no fim dos tempos. Porém o que nos leva a cita-lo neste artigo, é o fato, mais uma vez descrito aqui neste blog, de que os ensinos bíblicos precisam ser recebidos dentro de todo o contexto dos livros canônicos. Existe valor em tudo e nada fica sem nos deixar aprendizado.

De origem grega, a palavra aportuguesada para a expressão “apocalipse” ela quer dizer “revelação”. E assim como toda a sagrada escritura trata de ser uma grande revelação do projeto e plano de Deus para toda a sua criação, da mesma maneira, na nova aliança sempre encontramos alguma coisa já transmitida na antiga aliança. Lembrando a nós católicos, que pertencemos a religião de uma pessoa, Jesus Cristo e, portanto, seguimos aquilo que vem dele. Porém, não estamos dispensados de lançar um olhar sobre a antiga aliança. Ela contém toda a história de um povo e nos demonstra o cuidado e a prefiguração de tudo que Deus pretendia ao seu povo. Além do que, serve também para nos mostrar que a história é conduzida em sua presença e sua lei não foi abolida, mas levada a perfeição (Mateus 5,17).

No capítulo 8,2 do Apocalipse, encontramos a narrativa de João que nos diz: “Eu vi os sete Anjos que assistem diante de Deus. Foram-lhes dadas sete trombetas”. Agora, já no antigo testamento, encontramos esta afirmação no Livro de Tobias, um dos livros que as bíblias não católicas excluíram. Lá diz assim em Tobias 12,15: “Eu sou o anjo Rafael, um dos sete que assistimos na presença do Senhor”.

Desta forma, já no antigo testamento tomamos conhecimento, através desse mensageiro de Deus, que ele é um dos que presidem em assistência diante do trono do Altíssimo. Como não nos cabe “achar” que pode ser mentira o que o anjo diz, pois como mensageiro de Deus, se mentido tivesse, estaria transmitindo uma mentira do próprio Deus, e isso não se alinha com todo o ensinamento bíblico a respeito dos anjos do Senhor, encontrado em 33 livros dos 73 livros do cânon católico. Em sua missão o anjo Rafael veio trazer cura, proteção, conversão e uma bela catequese sobre o que Deus espera de nós como seus filhos além do nosso proceder para com o próximo (Mateus 22,36-40). Pois é, lá na frente Jesus trata de nos ensinar sobre essas verdades, já prefiguradas no Livro de Tobias e no Livro do Eclesiástico, ambos ausentes em bíblias não católicas.

Fica aqui, portanto, para todos nós, mais uma vez o perseverante recado vindo dos céus. Não devemos ser seletivos com o que vem do alto, porque do alto não pode vir nada de que não precisemos (Mateus 6,32). Como Deus quer que todos que foram confiados a Jesus salvem-se e recebam a glória da vida eterna (Mateus 18,14) (João 6,39), não seria conforme sua vontade se dos céus recebêssemos algo que não nos é necessário. Ora, este Deus é o Deus da vida e as pessoas se esquecem que os sofrimentos, que são permitidos por Deus, são queridos desta forma porquê de um mal, Deus pode tirar algo de bom. E as provações nos fazem crescer no amor para atingir a estatura de Cristo, desejada pelo Pai para nossa admissão no paraíso.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas