quarta-feira, 3 de agosto de 2016

O bom uso do tempo

A tecnologia presente no mundo de hoje, nos permite acompanhar em tempo real todos os acontecimentos pelos quais passa a humanidade. Pelo que podemos perceber, praticamente tudo, falando-se de notícias, está ao alcance dos olhos e dos ouvidos. A informação ganhou uma dimensão globalizada e o que antigamente eram cartas, cuja correspondência demora meses para chegar ao destino, passando pelo telégrafo, telefone e meios televisivos, hoje, qualquer aparelhinho, que no passado, sim, já é passado, chamavam-se celular, é capaz de trazer ao alcance de um toque aquilo que queremos saber.

O que ocorre, no entanto, e agora entramos na espiritualidade das coisas, é que nosso cruel inimigo, o diabo sabe muito bem disso, e com toda a esperteza que tem, também é assíduo frequentador deste meio. Isso é de fácil constatação, pois vemos o bem e o mal disponíveis em toda a parte, e falo aqui das informações, não percamos o foco.

Gosto sempre de utilizar nas palestras e pregações que faço, um exemplo muito claro do bom proceder quando queremos aprender alguma coisa: Se um estudante tem uma dúvida de matemática, ele não irá tirar essa dúvida com o professor de história. Ele irá, é até óbvio, muitos podem pensar, tirar sua dúvida com o seu professor de matemática. E aqui alguns pensariam: “Ora, mas é assim que as coisas são”! – Quem dera.... Um grande erro que se comete pelo mundo afora é não se ater a origem e a fonte dos acontecimentos.

A imparcialidade mantém a verdade pura e imaculada, pois seu contrário vem sempre carregado de opiniões próprias, que podem endossar a verdade ou apresentar uma contraproposta, a verdade alternativa. Igualzinho ao modo de agir do diabo. Ele “prega” que Deus não nos traz felicidade neste mundo e nem trará, haja vista o sofrimento que quis que Jesus sofresse. “Como pode, continua o encardido, você receber algo de bom dele se seu próprio filho teve que passar pelo que passou? ” Pois bem, onde isto tudo vai nos levar? Depende. Depende do uso que fazemos do nosso livre arbítrio e depende do que escolhemos fazer com o tempo que nos é dado por Deus.

São João Maria Vianney já dizia, e gosto muito de sempre estar citando este santo no meu blog, “não gasteis o vosso tempo em aprender aquilo que, caso não venhas a saber, não será motivo de condenação para ti. ” Sábias palavras e cheias do Espírito Santo, como sempre digo. Por isso, fácil de se constatar, se levamos uma vida de constante oração, é que devemos sempre pedir o dom da sabedoria e o dom da Inteligência, para podermos bem nos instruir naquilo que precisamos para bem vivermos aqui na terra sempre fazendo a vontade do Pai.

Pois nos alertou Jesus: “de que vale ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder a sua alma? (Mateus 16,26)“ Não podemos nos consumir e priorizar nosso tempo com as coisas do mundo porque essa atitude tem um preço muito alto para pagarmos quando chegarmos em frente ao justo juiz. Ele irá nos lembrar de que devíamos ter buscado primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, porque tudo mais nos seria acrescentado (Mateus 6,33).

Nesta hora não vai adiantar recorrer ao anjo da guarda, tão desprezado durante nossa vida, ou implorar a intercessão da Virgem Santíssima. Nosso tempo terminou, por nós não podemos fazer mais nada (Lucas 16,20-31). Podíamos antes da morte. Pensemos a respeito e não deixemos para amanhã o que devemos fazer hoje e já deveríamos ter começado ontem.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas