quinta-feira, 11 de agosto de 2016

O Disparate

Olá caros leitores recentemente este blog recebeu uma crítica de uma leitora que ao ler o artigo “Celebridades e o aborto”, teceu alguns comentários que iremos aqui descrever. Antes, porém vamos esclarecer alguns pontos. A expressão disparate se consultarmos nos dicionários iremos encontrar: dito ou ação ilógica, absurda ou fora da realidade; contrassenso, desconchavo, despautério. O que segue a partir deste ponto é que na conclusão do artigo Celebridades e o aborto foi utilizada a expressão disparate para ilustrar o ponto de vista de algumas pessoas que justificam porque fizeram o aborto. Vamos recordar apenas alguns exemplos:

“Elke Maravilha fez DIVERSOS abortos ao longo da vida”. Sexo sim, mas a consequência dele que é abertura à uma vida, fruto da natureza pensada, criada e desejada por Deus não.

“Debora Bloch fez um aborto aos 20 anos após engravidar sem querer de um NAMORADO”. E relata ainda que NÃO SE ARREPENDEU. A relação sexual é ato exclusivo dos esposos em santo matrimônio (Catecismo da Igreja Católica nº 2361). Namorados que praticam tal ato, estão em pecado da fornicação (Gálatas 5,21) (1ªCoríntios 6,18) condenado por Jesus. Por isso a religião incomoda o mundo.

“Luiza Brunet assumiu em entrevista a Marilia Gabriela que fez um aborto na adolescência: “Tinha acabado de me casar e precisava trabalhar”. Esta praticou a relação sexual dentro do casamento, mas em busca apenas do prazer, pois seus interesses profissionais vinham em primeiro lugar.

E vários outros testemunhos encontramos pela internet e nas mídias sociais. A crítica recebida neste artigo ainda enfatiza que “disparate é quem escreve este blog se achar dono da verdade”. Disse também que “religião não ajuda ninguém”. Vemos aqui dois problemas. Primeiro: a reação do pecador frente a verdade é o ódio. Sem dúvida quem comentou, por não concordar com o artigo, que não defende “a cultura de morte chamada aborto”, tem opinião própria que caminha num sentido diferente. Mas isso, colocado dentro de um patamar saudável, é perfeitamente democrático e por isso agradecemos pela oportunidade de recebermos esta crítica. Segundo: quando na crítica é dito que a “religião não ajuda ninguém”, vemos claramente que o conceito de “ajuda” referido tem conotação material. Ao dizer que a religião não ajuda ninguém está se referindo a parte social e financeira, para a nova criança que vem ao mundo. Ora, a igreja católica tem muitas obras sociais e instituições sem fins lucrativos espalhadas pelo mundo que ajudam milhões de pessoas. Cito como exemplo, apenas a Casa Pró Vida Mãe Imaculada, com sede em Curitiba e que presta um trabalho assistencial de grande importância para as novas mães e seus bebês em todas as fases da vida independente de suas condições. Vale a pena entrar no site deles e tomar conhecimento do trabalho que realizam (acesse o site aqui). E como disse é apenas um entre tantos exemplos. É preciso estar informado sempre sobre o que acontece de fato. Ademais quando se disse na crítica que “religião não ajuda ninguém”, não está compreendido o verdadeiro papel da religião, que é o de “ligar a pessoa a Deus”, para que fazendo essa experiência com o ressuscitado, a pessoa viva a boa nova do reino.

“Na hora da criança nascer os religiosos de meia tigela viram as costas e não ajudam a nova mãe em nada. Só se interessam até o nascimento, a partir daí a mãe pode passar pelas maiores dificuldades que vocês hipócritas não estão nem aí”. Esta, caros leitores, é a parte final da crítica dirigida ao artigo Celebridades e o aborto. Percebe-se claramente que a pessoa, além de não ser adepta da religião e por isso não conhecer todo o trabalho pastoral, catequético, evangelizador e assistencial da igreja, que não é plenamente divulgado pela mídia secular, taxa a TODOS os cristãos de hipócritas.

A palavra hipócrita, que tem origem grega e quer dizer “máscara”, personagem, é utilizada em nosso vocabulário para descrever alguém que está a dizer mentiras. Jesus já usava esta expressão para os falsos da sua época que eram os fariseus e mestres da lei (Lucas 12,53; Marcos 7,6). A esta pessoa que teceu sua bem-vinda crítica temos a dizer que respeitamos o lado que ela escolheu fazer parte. O autor do blog não é dono da verdade, como foi mencionado em seu comentário, aqui apenas transmitimos o conhecimento da igreja de nosso Senhor Jesus Cristo e da Tradição Apostólica de mais de dois mil anos. Tudo que é escrito aqui pode ser comprovado e encontrado nas sagradas escrituras e outras dezenas de documentos do magistério da igreja.

Quando alguém não vê na religião a “ajuda” que supõe que apenas o “mundo” tem a oferecer e por isso decide “ser do mundo” e não aceitar o dom de ser filho e filha de Deus, esse tesouro que se escolhe juntar nesta vida terá depois o preço a ser pago no fim da jornada de cada um, pois onde está seu tesouro aí está o seu coração (Mateus 6,21). Quando uma pessoa acessa este blog católico e não compactua com as verdades aqui transmitidas é evidente que em sua vida os caminhos não mostraram a verdadeira razão do plano de Deus para todos. Escolher uma vida sem Deus, muitos o fazem e se incomodam com aqueles que escolheram viver uma vida dentro da religião de uma pessoa, de Jesus Cristo vivo, seguindo o seu evangelho e sua doutrina. Enquanto essas pessoas ficam irritadas com os católicos, os cristãos se entristecem e se confortam nas palavras do divino redentor que disse:

Mateus 5,11-12: “Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós”.

Mateus 5,44-45: "Eu, porém, vos digo: amai vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, orai pelos que vos [maltratam e] perseguem. Deste modo sereis os filhos de vosso Pai do céu, pois ele faz nascer o sol tanto sobre os maus como sobre os bons, e faz chover sobre os justos e sobre os injustos".

E encontramos ainda na carta do apóstolo São Tiago 4,4-7-8: "Todo aquele que quer ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. Sede submissos a Deus. Resisti ao demônio, e ele fugirá para longe de vós. Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós. Lavai as mãos, pecadores, e purificai os vossos corações..."

E assim, caros leitores, peçamos sempre a Deus a Misericórdia e a oportunidade para as pessoas que não “enxergam” o sentido da vida, de se encontrarem nela com o Cristo que morreu na cruz, que deu sua vida também por elas que acham que a “religião não ajuda ninguém”, pois aquele que aceitou sofrer por cada um de nós não agiu como um hipócrita no alto do madeiro. Infelizmente o que Jesus fez, fez por muitos (Mateus 26,28) e não por todos, porque nem todos o aceitam e aceitam tudo que vem dele e isso inclui a religião. Preferem pagar o preço de viverem num caminho que não é o do Ressuscitado (João 14,6).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas