segunda-feira, 22 de agosto de 2016

O milagre de Santarém

Vez por outra, o misericordiosíssimo Jesus, que nos concedeu o tempo da igreja, que é o tempo da graça, não se cansa de nos oferecer de braços abertos como o pai que acolhe o filho pródigo (Lucas 15,11-32), tudo que precisamos para nos santificar e irmos ao céu embora nós ficamos insistindo em tratar Deus como nosso inimigo e desmancha prazer e, portanto, ficamos birrentos e insatisfeitos porque Deus não acolhe e realiza nossa lista de pedidos e cobranças que erroneamente chamamos de oração.

De modo extraordinário, Deus que nos concede tanto no campo daquilo que é o dia a dia, se faz presente em acontecimentos que evangelizam as pessoas de forma incontestável pela maneira como se dão. Um destes tipos de acontecimentos é a realização do milagre eucarístico. A hóstia e o vinho, consagrados “in persona Christi”, tornam-se pela transubstanciação (mudança da substância e não da matéria) em corpo e sangue do Senhor Jesus. Neste ponto a intervenção divina transforma a matéria em verdadeiramente carne e sangue de Jesus para que, como aconteceu com São Tomé, o apóstolo que só acreditaria se visse e tocasse nas chagas de Cristo, todos mais uma vez pudessem comprovar que o que sai da boca de Jesus Cristo não sofre corrupção. Quando ele diz isto é meu corpo... e isto é meu sangue, é porque é e ponto final (Mateus 26,26-28). Colocada a realidade como é, passemos ao relato de um desses acontecimentos que aconteceu no século XIII em Portugal:

A data apresenta imprecisão, pode ter ocorrido entre os anos de 1247 e 1266. O local se chamava Santarém, que hoje é uma cidade, mas que na época era uma vila de Portugal. Ali vivia uma mulher que era muito maltratada e ofendida pelo marido, o qual sabia-se que vivia em adultério com outra mulher.

Cansada desse sofrimento, a mulher decidiu recorrer a uma bruxa judia e pedir-lhe um feitiço para que essa situação enfim acabasse. Ao consulta-la, a bruxa lhe disse que para um feitiço como este necessitava de uma hóstia consagrada. O pedido causou-lhe desconforto, mas vendo a possibilidade de solucionar seu problema, aceitou e consentiu neste sacrilégio, que consistiria em desobedecer diretamente o primeiro, sétimo e oitavo mandamentos da lei de Deus, entre outros ensinamentos diretos de Jesus feitos nos evangelhos.

Ela foi até a igreja de Santo Estêvão, confessou-se e pediu a comunhão. Assim que recebeu Jesus Eucarístico, cuidadosamente o retirou da boca enrolando-o em seu véu. Imediatamente saiu da igreja e se dirigiu para a casa da feiticeira. Então, sem que percebesse, do véu que carregava começou a escorrer sangue. Pelas ruas as pessoas começaram a notar e perguntavam para a mulher que ferimento tinha, já que tanto sangue jorrava dali.

Surpreendida pelo fato e um tanto confusa, decidiu mudar o trajeto e foi para sua casa, onde guardou em segredo a hóstia em seu armário numa pequena caixa, uma espécie de arca. Ao fim do dia o marido chegou do trabalho e o ocorrido a ele não foi revelado. Mais tarde, já estando as horas da noite bem adiantadas, acordam os dois e veem a casa toda resplandecente. Da pequena caixa saíam misteriosos raios de luz. A mulher não teve saída e contou tudo ao marido, os dois puseram-se então de joelhos e passaram o resto da noite em adoração.

Logo ao amanhecer o pároco foi avisado e a notícia espalhou-se por quase toda a vila e todos acorreram ao local para contemplar o milagre. Então a hóstia sagrada foi conduzida em procissão novamente até a igreja de Santo Estêvão onde foi depositada numa custódia de cera. Passado algum tempo, por ocasião de uma adoração ao Santíssimo Sacramento, ao abrirem o sacrário eis que encontraram a custódia de cera despedaçada e para admiração de todos, a sagrada hóstia estava dentro de uma âmbula de cristal, miraculosamente aparecida ali. Esta âmbula foi então colocada numa custódia de prata dourada e ali permanece até os tempos atuais na mesma igreja de Santo Estêvão que passou a ser conhecida em Santarém, Portugal, como a igreja do Santíssimo Milagre.


fonte: Diocese de Portugal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas