segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Perder a cabeça

Dentro das celebrações da santa igreja, o dia 29 de agosto é destinado à celebração do martírio de São João Batista, aquele que não era nem “digno de desamarrar as sandálias” de Jesus. O precursor do salvador que veio preparar o caminho do anunciado e esperado Messias. O nascimento de João Batista é celebrado em 24 de junho e na data de hoje (29/08) a sua morte. Por não fugir a verdade foi decapitado no cárcere a mando de Herodes. Porém sua vida e missão não passaram por covardia nenhuma e seu testemunho de vida até os momentos finais nos deixam imensas lições de vida que contribuem para a nossa salvação.

Em Efésios 4,26-27 está escrito: “Mesmo em cólera, não pequeis. Não se ponha o sol sobre o vosso ressentimento. Não deis lugar ao demônio.” E a mensagem não deixa dúvidas nenhuma de que, quando ficamos com raiva, estamos sujeitos a cometer atos impensados meio que motivados pelos impulsos. Pior ainda é se, como diz a sagrada escritura, deixarmos as adversidades que enfrentamos nos acompanharem pela vida, pois elas nos enfraquecem se não nos colocarmos sob os cuidados de Deus. Agindo assim, como nos diz na bíblia, abrimos espaço para que nosso cruel inimigo possa agir.

Nessas horas é que “perdemos a cabeça” e fazemos nossas “burradas”. Assim como a “mulher” de Herodes, que adulterava publicamente e por isso era denunciada por João Batista, a ponto de nutrir ódio mortal contra o profeta, assim comportam-se as pessoas que se desviam do caminho estreito, íngreme e pedregoso que é o caminho que nos leva ao céu. No entanto é bem importante perceber que quando “perdemos a cabeça” antes, já perdemos o nosso coração.

Jesus nos ensina que onde está nosso coração ali está nosso tesouro. Nossa alma que é inquieta porque tem sede de Deus e não se cansa enquanto não volta para ele, atormenta nosso coração noite e dia para que não esqueçamos dos nossos objetivos principais na vida. O contrário disso é o que quer o diabo. Para ele, não interessa termos Deus no coração. Dessa forma não teremos espaço para suas tentações e toda a investida dele irá parar numa barreira impenetrável pois se temos Deus no coração e nele Jesus e o Espírito Santo fazem morada (João 14,23), não há como ceder aos prazeres mundanos e a sentimentos impulsivos.

Por isso é tão importante cuidarmos do coração espiritualmente falando, assim nos ensina Jesus. Porque, lembremos mais uma vez, se “perdemos a cabeça” e cometemos os nossos pecados saibamos que já a algum tempo “perdemos nosso coração”. Se a cabeça está “poluída” com pensamentos distantes do que aprendemos no evangelho tomemos cuidado, nosso coração não está preenchido somente de Deus.

E nós podemos querer agir politicamente, permitindo que haja espaço para as coisas do mundo e do céu dentro de nossos corações. Começamos concedendo 10% de espaço, tomamos gosto, depois concedemos mais 10% e tomamos mais gosto. Adiante concedemos mais um pouco, e mais um pouco e assim por diante. Quando dermos por conta estaremos prostrados e escravos dos caprichos do mundo, egoístas e cheios de maldade (Romanos 1,29-31). Se a este ponto chegamos ou estamos nos dirigindo, acordemos. O pai misericordioso está de braços abertos aguardando nossa conversão, nosso arrependimento e nosso pedido de perdão. Ele nos espera para festejar, como aquele pastor que deixou as noventa e nove ovelhas para buscar a que tinha se perdido. Quanto mais ouvidos damos ao mundo, menos ouvimos a Deus.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas