quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Preciso fazer um aborto

Caros leitores, a frase deste artigo é uma das que configura nas pesquisas que levam as pessoas a procurarem na internet por este tipo de informação. Infelizmente para elas, tantos sites aparecem nas pesquisas oferecendo o que querem, mas também, tantos outros oferecendo a oportunidade de conhecer a mão sempre estendida de Deus, que está a ponto de ser cuspida, pelo desespero e outros motivos errados, que levam a pessoa em sua ignorância a querer fazer parte do rol dos assassinos.

Partindo daqui o que podemos perceber é que a privacidade da internet (até certo ponto), permite que qualquer pessoa sem os devidos cuidados, navegue pelo mundo virtual da rede mundial em busca de informações. E certamente, como bem sabemos, acabará encontrando. Antigamente era preciso um pouco mais de coragem e atrevimento porque precisávamos nos dirigir até uma biblioteca, nos expormos na tentativa de encontrar a informação que queríamos e isso também levava mais tempo.

Atualmente nossa coragem e atrevimento são exigidos ainda, só que em etapas diferentes. Normalmente em etapas em que o mal já se apoderou de grandes áreas do nosso coração e nossa alma. Porém, algumas coisas nunca irão mudar. Matar alguém que está fora da barriga da mãe ou dentro dela não muda em nada. Ainda continua sendo um assassinato. E aqueles que o cometem, de modo impressionante, para não dizer outra expressão, se esquecem de que já estiveram dentro da barriga de suas mães. Como é possível por motivos egoístas, disfarçadamente rotulados de “direitos reprodutivos da mulher”, esquartejar e mutilar um corpo humano, depois aspirar tudo para fora do útero da mulher, jogar tudo numa lata de lixo e lavar as mãos? É assim? Vira-se a página e pronto?

Quem pesquisa que “precisa fazer um aborto” precisa se acalmar primeiramente, se voltar para Deus e pensar o que ele acha da sua intenção e o que ele irá achar da sua atitude. Esqueça por um instante da religião, concentre-se em você e Deus. Gaste um tempo para isso. Se você não acredita em Deus, não se preocupe com isso porque ele acredita em você e está te dando a oportunidade de exercer o dom da maternidade. Se acalme e pense com calma em tudo.

Eu faço parte das pessoas que são duramente criticadas porque defendem a vida de todos, inclusive dos não nascidos. Afinal é Deus quem dá e quem tira (Jó 1,21), não cabe ao homem brincar de Deus. Na hora da relação sexual, na hora do prazer carnal desregrado e fora do santo matrimônio, tudo é gostoso. Na hora do sexo praticado em ato de adultério e fornicação tudo é delicioso. Na hora do descuido do planejamento familiar e da gravidez não planejada dentro do casamento, como consequência daquele maravilhoso ato de intimidade que marido e mulher fizeram, tudo estava esplendoroso. Mas onde fica a responsabilidade e maturidade de caráter e de fé? Não quero essa criança e jogo fora? Assim, tão fácil?

Graças a tua mãe que não te jogou fora, independente de como ela era ou é, aí está você. Viva! Graças ao sim de Maria Santíssima, quer acredite ou não, quer aceite ou não, que quis contribuir com a Santíssima Trindade, aí está você. Salva pela cruz de Cristo. Porque se dá ao luxo de querer apenas viver sua vida e não querer que alguém venha ao mundo para viver uma vida e ir ao céu no fim da jornada exatamente igual ao direito que você tem de ir? Pense bem, o mal que fizeres hoje pode ser tarde depois para corrigir. E o arrependimento se acontecer, irá lhe custar uma penitência muito maior do que as satisfações que já precisa fazer sem ele. Não é melhor prevenir do que remediar? Assim dizem os antigos. Assim nos ensina Jesus.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas