sexta-feira, 2 de setembro de 2016

A luz do texto bíblico

Mateus 5,13-16 – “Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve senão para ser lançado fora e calcado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre uma montanha nem se acende uma luz para colocá-la debaixo do alqueire, mas sim para colocá-la sobre o candeeiro, a fim de que brilhe a todos os que estão em casa. Assim, brilhe vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai que está nos céus”.

Mateus 6,22-23 – “O olho é a luz do corpo. Se teu olho é são, todo o teu corpo será iluminado. Se teu olho estiver em mau estado, todo o teu corpo estará nas trevas. Se a luz que está em ti são trevas, quão espessas deverão ser as trevas”!

João 1,1-9 – “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio junto de Deus. Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito. Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. Houve um homem, enviado por Deus, que se chamava João. Este veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos cressem por meio dele. Não era ele a luz, mas veio para dar testemunho da luz. O Verbo era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem”.

Caros leitores, como bem podemos ver nestes trechos dos evangelhos, a maravilhosa lição que Jesus deixa nos escritos sagrados é a de que devemos olhar para os textos bíblicos como sendo a luz que vem dos céus. A luz que passou aqui na terra na pessoa do Cristo. O texto bíblico deve iluminar nossa realidade que vivemos hoje para colocarmos em prática aquilo que aprendemos da Santíssima Trindade.

Do contrário sairíamos apedrejando nossos filhos desobedientes (Deuteronômio 21,18-23), cortando nossas mãos fora (Mateus 18,8) e oferecendo aves em sacrifícios pelo perdão dos pecados (Levítico 5,7). E porque tudo isso está escrito então se não devemos seguir ao pé da letra? Simples, vejamos um pouco mais: 2ª Timóteo 3,15-17 – “E desde a infância conheces as Sagradas Escrituras e sabes que elas têm o condão de te proporcionar a sabedoria que conduz à salvação, pela fé em Jesus Cristo. Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra".

Porém, atenção: 2ª Pedro 1,20-21 – “Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal. Porque jamais uma profecia foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus”. E também, acrescentado a isso temos que: 2ª Tessalonicenses 2,14-15 – “E pelo anúncio do nosso Evangelho vos chamou para tomardes parte na glória de nosso Senhor Jesus Cristo. Assim, pois, irmãos, ficai firmes e conservai os ensinamentos que de nós aprendestes, seja por palavras, seja por carta nossa”. E nisto tudo o feliz e fiel católico aprende nas escrituras que os ensinos religiosos vem da Palavra de Deus e da Tradição Apostólica dentro da Igreja que é a “coluna e o sustentáculo da verdade (1ª Timóteo 3,15). Acompanhemos:

João 21,24-25 – “Este é o discípulo que dá testemunho de todas essas coisas, e as escreveu. E sabemos que é digno de fé o seu testemunho. Jesus fez ainda muitas outras coisas. Se fossem escritas uma por uma, penso que nem o mundo inteiro poderia conter os livros que se deveriam escrever.

É assim, portanto, que devemos nos aproximar desta fonte riquíssima que a palavra de Deus, ou seja, através das sagradas escrituras e da tradição apostólica na igreja de Jesus Cristo, pois ambas não podem existir separadamente uma vez que Deus é a fonte das duas. A igreja nos deu a bíblia e não o contrário. O católico segue a religião de uma pessoa e não a religião de um livro.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas