terça-feira, 20 de setembro de 2016

Morre o Padre Gabriele Amorth

Um dia após a igreja católica celebrar a memória de Nossa Senhora das Dores, os jornais italianos noticiaram que o famoso sacerdote exorcista, autor de vários livros, que atuava na Diocese de Roma, veio a falecer após um internamento de algumas semanas, por complicações pulmonares, no Hospital Fundação Santa Lucia. Era a manhã do dia 16 de setembro. Com seus 91 anos de idade, este incansável servo de Cristo trilhou uma belíssima trajetória aqui neste mundo a serviço da igreja católica.

A mim chegou o conhecimento da pessoa dele, quando ao assistir uma palestra de outro sacerdote exorcista, este da Diocese de Lamego em Portugal, ouvi em em sua fala que ele tinha vivido ao lado do Padre Gabriele para acompanhar na prática, este serviço ao povo de Deus. A tão boa indicação que o Padre Duarte fez a respeito do Padre Amorth foi muito suficiente para eu procurar me inteirar a respeito dele.

Comprei quase que imediatamente o Livro chamado “O último Exorcista”, o qual já li 3 vezes. E com certeza lerei tantas outras porque o conteúdo do livro é muito catequético. Dele também li o livro O Evangelho de Maria, uma leitura um pouco mais branda que o primeiro, muito diferente do que era a sua devoção a Mãe de Deus.

Ele conta em sua autobiografia que após receber por escrito da mão de seu bispo uma carta de recomendação para se apresentar para o ofício de exorcista, a primeira coisa que o Padre Gabriele Amorth fez, foi se dirigir a uma igreja, ajoelhar-se em frente a imagem de Nossa Senhora e se recomendar à sua proteção. Uma oração pequena e simples mas como ele mesmo recorda, era tudo que ele tinha para dizer e era o suficiente. Mais tarde em certa ocasião, em meio a um exorcismo o espírito maligno que estava a possuir a pessoa responde durante o exorcismo que mal nenhum lhe podia fazer porque ele era, apontava o dedo para cima (os demônios não pronunciam o nome de Maria), protegido por ela.

Pois bem, eu não parei por aí. Além das entrevistas que assisti, dos livros que li e de tudo que sobre ele encontrei, como catequista que sou tratei logo de levar nas palestras que dou e nos encontros que faço, seus testemunhos e ensinamentos para os jovens e para aqueles a quem me foi dada a oportunidade de falar a respeito de temas que envolvem nossa batalha constante contra o mal.

Percebem vocês caros leitores que com este pequeno artigo que escrevo estou, além de prestar uma pequena homenagem, indicando os ensinamentos do Padre Gabriele Amorth. Também aqui neste blog, dediquei uma página ao seu livro “Confissões do Inferno”, onde coloquei um resumo do mesmo. A leitura não é demorada e vale a pena o aprofundamento sobre as verdades que acompanham essa realidade presente na vida da igreja. Haja vista Jesus, salvador da humanidade, ele foi, segundo os quatro evangelhos, o primeiro exorcista por excelência.

Que esta alma sacerdotal que tanto bem fez para os membros da igreja com sua vida, e me enquadro aqui, com seu ministério e com sua doutrina possa receber o descanso eterno e que a luz perpétua o ilumine, amém.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas