segunda-feira, 10 de outubro de 2016

A vida é curta, então curta um caso

Essa e tantas outras expressões são diariamente ouvidas por tantos e propagadas por aqueles que defendem que, como não se sabe a duração desta etapa terrestre, não existe tempo a se perder. Tempo é dinheiro, dizem alguns. Não tenho tempo a perder, dizem outros. E assim, o tempo se torna a moeda de troca, a desculpa ou o pretexto para se justificar ações que um dia, o tempo irá torna-las claras. Este dia que nos aguarda é o fim dos tempos, o dia do julgamento final. Onde, julgados por nossas obras (Apocalipse 22,12) receberemos o prêmio ou a condenação eterna.

Em se tratando de tempo, o qual não sabemos o quanto dispomos, muitas pessoas, que querem servir ao mundo, partem freneticamente em busca da realização de seus prazeres terrenos pois, afinal, tudo é para ontem, já que o tempo é sempre uma incógnita. Ora, muitos alegam que um Deus que é amor, não irá condenar alguém eternamente ao fogo do inferno apenas por um instante de prazer pecaminoso. Basta depois se confessar e pronto.

Nada disso, se fosse tão fácil assim, nosso Deus seria um charlatão protestante que estaria a ensinar uma doutrina de recompensa pessoal e egoísta quando o evangelho ensina uma realidade bem oposta.

Curta um caso, aproveite a vida, faça farra, participe de bebedeiras, use drogas, se tatue, adultere, corra em busca da gloria humana, do dinheiro, da fama, do sexo desregrado, mutile seu corpo, ande na moda. Não demore, não perca tempo. Aproveite a vida, que mal tem? Todos merecem ser felizes! Também sou filho de Deus e mereço um lugar ao sol. Ele prometeu vida e vida em abundância.

As desculpas e os trechos bíblicos e outras justificativas não faltam para endossar a alegria de se viver num parque de diversões adulto, cheio de coisas boas a se fazer e prazeres a usufruir. Que gostoso poder aproveitar a vida e fazer aquilo que se gosta.

Quanto palavreado não é mesmo e quanta fé infantilizada ou ainda nem isso. Porque ao se deparar com a realidade da cruz, que nos conduz à salvação pelo tribulado caminho que se eleva até o calvário da nossa porta estreita, muitos encontram a fabulosa e inteligente solução de se apoiar na infinita misericórdia de Deus e a partir deste ponto viver a vida deixando para resolver depois, sua situação perante o altíssimo.

Que pena, apenas uma vida e apenas uma alma para ser salva, e apenas uma chance. Jesus não irá no dia do juízo conceder um tempo de recuperação, como acontece na vida escolar dos alunos que não conseguiram ser aprovados por média no tempo regular. Quando a morte chega, o prazo para as obras acaba. Se agora queremos os prazeres mundanos depois receberemos os castigos eternos. Não há outra saída.

Esta vida é um lugar de provas, onde neste curto período de nossa existência alcançaremos o céu. Quem não quiser provações não almeje a salvação, pois não irá lograr.

Cansado da vida? As coisas não são como você quer? Sinal é de que sua vontade não está configurada à vontade do Cristo Ressuscitado, por isso pedes o que não te convém (Romanos 8,26). Quando a dura realidade que somos bate a nossa porta, se rebelar, se revoltar e ser desobediente (exatamente como fez satanás), só nos conduzirá, por esforço próprio a segunda morte. Se a vida é curta e é preciso então curtirmos um caso, então sejamos imitadores dos santos (Hebreus 6,12) e tenhamos um caso de amor eterno para com aquele que nos amou primeiro (2ª João 4,19).


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas