sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Relacionamentos Difíceis

1ª Pedro 3,7-12 – “ó maridos, comportai-vos sabiamente no vosso convívio com as vossas mulheres, pois são de um sexo mais fraco. Porquanto elas são herdeiras, com o mesmo direito que vós outros, da graça que dá a vida. Tratai-as com todo respeito para que nada se oponha às vossas orações. Finalmente, tende todos um só coração e uma só alma, sentimentos de amor fraterno, de misericórdia, de humildade. Não pagueis mal com mal, nem injúria com injúria. Ao contrário, abençoai, pois para isto fostes chamados, para que sejais herdeiros da bênção. Com efeito, quem quiser amar a vida e ver dias felizes, refreie sua língua do mal e seus lábios de palavras enganadoras; aparte-se do mal e faça o bem, busque a paz e siga-a. Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos e seus ouvidos, atentos a seus rogos; mas a força do Senhor está contra os que fazem o mal.”

Olá caros leitores, é sempre um bom pano de fundo, as relações interpessoais que o sacramento do matrimônio apresenta às pessoas que buscam a santificação por esta via. Digo desta maneira, porque segundo nos recorda o catecismo da igreja católica ou se anda pela via da castidade ou pela via da virgindade. Outra forma de corresponder ao amor a Deus não há.

E é exatamente neste ponto que as frágeis criaturas, intituladas seres humanos, se deparam com os problemas que essa condição celeste impõe a todos. Como não podemos sozinhos (João 15,5) e queremos poder, tornamos tudo mais difícil em nossas vidas.

Insistimos em ceder aos pedidos de nossa natureza concupiscente e de nossa inteligência desprovida, tantas vezes, de sabedoria divina, e ficamos a voar teimosamente como o besouro. Ficamos nos esforçando em áreas da vida que não irão contribuir para a nossa salvação.

Como sempre nos recorda a sagrada escritura é sempre preciso sermos imitadores de Cristo: 1ª Pedro 4,1-2 – “Assim, pois, como Cristo padeceu na carne, armai-vos também vós deste mesmo pensamento: quem padeceu na carne rompeu com o pecado, a fim de que, no tempo que lhe resta para o corpo, já não viva segundo as paixões humanas, mas segundo a vontade de Deus”.

E a exortação do apóstolo São Pedro é urgente e sempre acertada porque nosso corpo sempre colabora com o pecado, em maior ou menor grau de participação, mas sempre colabora. E se diz assim, que colabora, porque Jesus nos ensinou que tudo brota do coração (Marcos 7,21-23) e onde ele estiver aí estará nosso tesouro. O convívio difícil pesa sobre os ombros de muitos mas Jesus tem palavras consoladoras, confortantes e libertadoras: João 16,22 – “vós: sem dúvida, agora estais tristes, mas hei de ver-vos outra vez, e o vosso coração se alegrará e ninguém vos tirará a vossa alegria.

Assim nos afirma Jesus ao esperar que façamos tudo como nos ensina a oração: “por Cristo, com Cristo e em Cristo”.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas