quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Ou santos ou nada

É preciso servirmos ao Senhor nosso Deus, em santidade e justiça, em sua presença, todos os dias de nossa vida, assim encontramos escrito no evangelho de São Lucas 1,74-75. Portanto, para que isso ocorra de fato é preciso sem cessar renovar o sentimento de nossa alma e nos revestir do homem novo, criado a imagem de Deus – Efésios 4,23-24, pois sem esta santidade da qual falamos, ninguém poderá ver o Senhor – Hebreus 12,14.

Uma santidade almejada que tem como termo final a vida eterna na glória dos céus – Romanos 6,22 e por isso, devemos trabalhar para conquista-la fazendo nossa parte dentro do projeto de amor que Deus tem para cada um de nós. Como diz o apóstolo: “ponde agora os vossos membros a serviço da justiça para chegar à santidade – Romanos 6,19.”

Para chegarmos a uma santidade, que na verdade é o mesmo que encontrarmos a alegria. Assim nos esclarece as sagradas escrituras no livro do Eclesiástico 30,22-25 – “Não entregues tua alma à tristeza, não atormentes a ti mesmo em teus pensamentos. A alegria do coração é a vida do homem, e um inesgotável tesouro de santidade. A alegria do homem torna mais longa a sua vida. Tem compaixão de tua alma, torna-te agradável a Deus, e sê firme; concentra teu coração na santidade, e afasta a tristeza para longe de ti, pois a tristeza matou a muitos, e não há nela utilidade alguma.”

Eis a nossa vocação, nossa finalidade. Quem a realiza em sua existência é uma bênção para si e para os outros e vence as fantasias que muitas vezes são males que nos estragam e nos fazem pensar que algo é mais difícil do que realmente é. Deus quando nos criou, já tinha o seu plano traçado de antemão. Não nos criou primeiro e depois cruzou os braços, coçou a cabeça e colocou a mão no queixo para pensar: “e agora o que faço com o homem?” – Nada disso, já nos criou em vista de suas boas obras e para que cada um investisse sua vida nelas. Porque? Já sabemos, por causa da vida eterna! E esta é a beleza da coisa porque belo não é fazer nossa vontade e sim a vontade de Deus.

Sem Jesus nada podemos fazer – João 15,5. Por isso precisamos tomar o seu “jugo”. Precisamos nos emparelhar com Ele. Imaginemos um touro muito forte emparelhado conosco: juntos vamos arrastar muito peso! Estejamos no “jugo” de Jesus e tudo será leve. Para realizarmos o sentido de nossa vida, precisamos, constantemente, renovar os sentimentos da nossa alma (Efésios 4,23) e assumirmos: Ou santos ou nada!

Eu quero ser santo, eu só posso ser santo, pois quem não é santo acaba sendo nada. Eu preciso pedir a Deus a graça de querer “querer”. Deus não nos oferece mudanças simplistas. Ele quer nos mudar, quer fazer de nós pessoas cheias de Seu Espírito. Nossa reação, diante das situações da vida, farão de nós pessoas novas ou não, homens novos, nascidos do Espírito Santo (João 3). Onde há vontade, existe um caminho. Deus espera nossa decisão.

Na hora em que nos decidirmos, o Senhor nos dará a graça. As obras de Deus não se fazem pela força nem pelo poder, mas pelo Espírito Santo. Deus, que é trino, santíssima trindade não quer uma multidão de filhos infiéis e inúteis (Eclesiástico 15,22), quer de santos e como, embora misericordioso também é justo, não nos apresentaria um preço a pagar acima de nossas capacidades. Quem acha que não consegue fazer alguma coisa em prol de sua santidade para alcançar a vida eterna é porque está tentando fazer sozinho, sem a comunhão dos santos, sem a ajuda dos anjos, sem o auxílio da Virgem Santíssima e principalmente sem o preciosíssimo cuidado de Jesus. Deus nos quer no céu e sempre demonstra que não está de braços cruzados nos esperando, nós é que muitas vezes cruzamos os nossos, batemos o pé e ficamos esperando que, sem fazermos nossa parte, seremos admitidos na glória.

Artigo relacionado:

Sermos Santos


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas