quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Quem sou eu

Precisamos nos perguntar sempre isso. Quem somos nós, o que estamos fazendo de bom, de ruim, pra que estamos servindo nessa vida. O bem que fazemos é o suficiente? Quanto mal fazemos? Temos dons que colocamos a serviço do povo de Deus? Temos tanto a refletir sobre nossa condição humana, nossa existência, nossas qualidades e defeitos. Nossas insistentes teimosias que tanto nos afastam das pessoas, de Deus e do evangelho. Pobre de cada um de nós, recebemos tanto de Deus e ainda reclamamos. Fazemos o bem para quem gostamos e ainda esperamos uma medalha de honra ao mérito por isso. Por outro lado nossos inimigos por eles nem rezamos, como nos manda Jesus. Ele nos manda, não nos convida a isso.

Muitos dizem que não somos obrigados a nada, que tudo é um convite. Que Deus está sempre a nos convidar. Verdade, mas quando alguém resolve entrar num time de futebol a convite precisa seguir regras de jogo e regulamentos do time. Ao aceitar o convite com ele vem as obrigações e deveres, assumidos de forma consciente.

Assim é nossa vida cristã, ao abraçarmos a causa de Cristo e o projeto de amor de salvação de Deus, assumimos o compromisso de vivermos segundo a vontade de Deus negando os prazeres do mundo e as ofertas do inimigo.

Olhemos para nossa vida, olhemos para nossos comportamentos, estamos agrando a Deus? Foi por isso que ele mandou seu filho morrer na cruz? Para fazermos o que estamos fazendo, para viver como estamos vivendo?

Estamos dando desgosto para as pessoas, maltratando elas? Mentindo pra elas? Nos comportando mal? No fundo nossas atitudes Jesus diz que estão sendo feitas para ele. A coisa é séria e o buraco sempre é mais embaixo. A peneira não serve para tapar o sol, não adianta tentar inventar outro caminho mais analgésico para se chegar aos céus. Não adianta, ou vivemos por onde, que se trata de viver por ele, com ele e nele, o Cristo Ressuscitado ou não vai dar certo.

Se não agirmos conformes, seremos apenas uma casca, hipócritas que como os fariseus não passavam de aparências e só falavam da boca pra fora, segundo os apontamentos do próprio Jesus Cristo.

E concluo com algumas sábias palavras do Padre Kemphis, autor do livro Imitação de Cristo: “Não confies em ti mesmo, mas põe em Deus tua esperança. Faze de tua parte o que puderes, e Deus ajudará tua boa vontade. Não confies em tua ciência, nem na sagacidade de qualquer vivente, mas antes na graça de Deus, que ajuda os humildes e abate os presunçosos. Não te reputes melhor que os outros para não seres considerado pior por Deus, que conhece tudo que há no homem. Não te ensoberbeças pelas boas obras, porque os juízos dos homens são muito diferentes dos de Deus, a quem não raro desagrada o que aos homens apraz. Se em ti houver algum bem, pensa que ainda melhores são os outros, para assim te conservares na humildade, pois de contínua paz goza o humilde; no coração do soberbo, porém, reina a inveja e iras sem conta”.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas