sexta-feira, 17 de março de 2017

O desequilibrio do casal

Gênesis 2,18 – “O Senhor Deus disse: “Não é bom que o homem esteja só; vou dar-lhe uma ajuda que lhe seja adequada.” – Pois é, e assim fez Deus, mas parece que esqueceu de avisar a mulher desse detalhe. E ainda disse em Gênesis 2,24 – “o homem deixa o seu pai e sua mãe para se unir à sua mulher; e já não são mais que uma só carne.” – Grande dádiva, sem dúvida alguma unir através de laço de intimidade homens e mulheres mas, é preciso frisar, aqui não ficou estabelecida a frequência dessa união. Aí começam os problemas. Vamos aos poucos:

Tito 2,2-5 – “Os mais velhos sejam sóbrios, graves, prudentes, fortes na fé, na caridade, na paciência. Assim também as mulheres de mais idade mostrem no seu exterior uma compostura santa, não sejam maldizentes nem intemperantes, mas mestras de bons conselhos. Que saibam ensinar as jovens a amarem seus maridos, a quererem bem seus filhos, a serem prudentes, castas, cuidadosas da casa, bondosas, submissas a seus maridos, para que a palavra de Deus não seja desacreditada.” – Aqui já percebemos que o ensino do mandamento de amar a Deus sobre todas as coisas, de todo o teu coração, alma e entendimento e ao próximo como a ti mesmo, presente tanto na antiga como na nova aliança, mesmo sendo uma graça á algo que precisa ser aprendido e cultivado. Por isso existe a caminhada, que na maioria das vezes é pedregosa e cheia de intempéries pelo caminho. Se alguém quer pegar um caminho diferente, lhe é possível, mas adianto que Jesus deixou claro que para se chegar a porta estreita do céu, só existe um caminho, o caminho que ele deixou. Qualquer outro caminho, como ele mesmo disse, provém do maligno. Muito bem, vamos continuar com os problemas? Sigamos adiante:

Colossenses 3,19 – “Maridos, amai as vossas mulheres e não as trateis com aspereza.” – Bem verdade, não é mesmo caros leitores, quantas são as queixas de mulheres que “batem” no marido comparadas as queixas de maridos que “batem” nas mulheres? Parece cômico, mas o buraco é mais embaixo. O bater aqui consiste em machucar o outro não só fisicamente, mas espiritualmente também. A aspereza, que tem a haver com falta de bom trato abrange toda a esfera humana, corpo e alma. Ou por acaso alguém pensa ser como um animal, que não tem alma? Pois bem, vimos em poucas linhas que a palavra de Deus que “é útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça onde por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra (2ª Timóteo 3,16-17), atinge tanto homens e mulheres, atinge a todos. Não disse que haviam problemas? O abençoado povo de Deus tem bíblia em casa para enfeitar a estante da sala e juntar poeira. Se o casal não convidar Deus para seu relacionamento íntimo e familiar as coisas não vão dar certo. Mas tem mais, vamos em frente:

1ª Coríntios 7,2-8 – “Todavia, considerando o perigo da incontinência, cada um tenha sua mulher, e cada mulher tenha seu marido. O marido cumpra o seu dever para com a sua esposa e da mesma forma também a esposa o cumpra para com o marido. A mulher não pode dispor de seu corpo: ele pertence ao seu marido. E da mesma forma o marido não pode dispor do seu corpo: ele pertence à sua esposa. Não vos recuseis um ao outro, a não ser de comum acordo, por algum tempo, para vos aplicardes à oração; e depois retornai novamente um para o outro, para que não vos tente satanás por vossa incontinência. Isto digo como concessão, não como ordem. Pois quereria que todos fossem como eu; mas cada um tem de Deus um dom particular: uns este, outros aquele. Aos solteiros e às viúvas, digo que lhes é bom se permanecerem assim, como eu. Mas, se não podem guardar a continência, casem-se. É melhor casar do que abrasar-se.” Aqui reside um detalhe muito importante, se não houver, como diz a escritura, um comum acordo na continência da intimidade do casal, esse desequilíbrio que chega aos olhos do diabo é forçado se quebrar mediante as tentações, assim confirma a mesma passagem bíblica. Se os apetites sexuais não estão em sintonia, nosso inimigo enxerga a fragilidade na relação e investe pesado na queda da pessoa; pesado e urgente, pois satanás não tem tempo a perder. Então, rapidamente ele providencia as situações de perigo. O homem irá achar alguém que lhe dá tudo que sua esposa não lhe dá, seja como quer, na frequência que gostaria ou do modo como gostaria. Também a mulher irá vislumbrar em outra pessoa, aquilo que não recebe mais do marido e se entregando a outrem, vai satisfazer sua fome pelo prazer. As pessoas agindo assim estão dizendo para Deus o seguinte: “Deus, o Senhor errou ao me dar como marido/esposa ele(a). Como vemos, se o mandamento de Deus, que fala do amor, não for colocado em prática, vivido e cultivado em todas as suas esferas, o desequilíbrio se ocorrer não poderá ser vencido e contornado e com isso, a parte que se sente prejudicada na relação, por conta desse desequilíbrio, irá correr em busca de uma solução egoísta e com isso dar o seu sim ao diabo, virando suas costas para Deus. Já sabemos qual é o resultado: famílias destruídas, relacionamentos destruídos e sempre uma possibilidade de se cometer os mesmos erros numa provação futura, pois o problema não foi resolvido, foi adiado. Nenhum esforço foi feito e nenhum diálogo aconteceu, nem com o outro e nem com Deus, então se é assim, não adianta reclamar para o Altíssimo, é preciso se ajustar ao seu projeto de amor e salvação pois do contrário, não irá dar certo.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas