quarta-feira, 26 de abril de 2017

Fundarei a minha Igreja

Em Mateus 16,18 Jesus disse: “Por isso, eu te digo: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a ‘minha’ Igreja, e as forças do Inferno não poderão vencê-la.” Como vemos neste trecho bíblico a igreja de Cristo foi fundada sobre a profissão de fé de Pedro, proferida no versículo dezesseis, quando ele responde a Jesus – Mateus 16,15-16 – “E vós”, retomou Jesus, “quem dizeis que eu sou?” Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. E depois desta sentença, Jesus acrescentou estas palavras a São Pedro: “Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”. Sendo assim, por isso em outra passagem, nosso salvador nos disse que “quem vou ouve (aos apóstolos e sua sucessão), a mim ouve”.

Desta forma podemos compreender que ainda em vida Jesus criou a sua igreja. E o fato, além de não deixar margem para possibilidades, foi confirmado em muitas épocas da história. Interessante é ressaltar aqui que na época de Napoleão Bonaparte, este para querer aumentar a rapidez de suas conquistas militares e territoriais, ouviu de um de seus conselheiros a seguinte motivação. “Por que o Senhor não funda uma religião? Assim as pessoas iriam aderir mais facilmente a sua causa?” Ao passo que Napoleão respondeu e com sua resposta confirmou a máxima do evangelho no que tange a fundação da igreja. Ele disse: “para fundar uma religião é preciso duas coisas: ser crucificado e ressuscitar no terceiro dia. A primeira eu não quero e a segunda eu não posso”. E com essas belíssimas palavras, muito acertadas não paira sobre a questão nenhuma dúvida.

Como está biblicamente comprovada a fundação da igreja de Jesus Cristo e posteriormente com sua morte e ressurreição, a religião católica, o cristianismo que contém a sucessão apostólica, as outras denominações religiosas não partiram de Cristo, partiram de outros fundadores humanos, se desmembrando da igreja primitiva dos primeiros cristãos que encontramos em Atos dos Apóstolos e gerando suas próprias linhas de pensamento. A esses, Jesus intitulou-os como os ramos que não dão fruto e que o pai, os arrancará da videira, que é Jesus (João 15,1-5). Abaixo cito alguns exemplos de igrejas fundadas em épocas diferentes pelos homens.


Como vemos caros leitores, a separação do catolicismo trouxe como resultado novas denominações religiosas, são várias, cite aqui apenas algumas. Há quem queira alfinetar a questão trazendo à tona a questão das várias denominações católicas também e o fato não pode deixar de ser mencionado. As mesmas limitações humanas que lá criaram denominações religiosas não católicas e suas consequentes igrejas, aqui também foram responsáveis por dividirem por questões doutrinárias o catolicismo gerando, de forma resumida, através dos cismas, a igreja católica romana e a igreja ortodoxa e suas variações.
Caro leitor, já podemos perceber que todo o esforço humano, por esbarrar em suas limitações, faz o que faz, ou seja, nem tudo faz certo. Pelo mundo afora a questão sempre será debatida em conversas inconclusivas e sem fins objetivos. Toda defesa que se faça aqui, ali ou acolá irá, cedo ou tarde, se deparar com alguma barreira. A barreira da limitação humana. Nós podemos chegar até certo ponto, depois não podemos ir adiante. O que precisamos reter em nossas mentes e corações, no fim das contas, é o fato de que precisamos fazer parte do corpo de Cristo, seja ele peregrino (aqui na terra), padecente (no purgatório) ou triunfante (nos céus), porque não fomos criados com fins para a condenação e portanto temos de Deus, a disposição e a liberdade para chegarmos ao conhecimento da verdade. Não uma liberdade para que escolhamos qual nos convém, o apóstolo já nos alertou em suas cartas que nem tudo nos convém, mas sim uma liberdade que nos permita escolhermos a verdadeira religião, a verdadeira igreja, aquela fundada por Jesus e relatada em Mateus 16,18. Não cabe aos homens, tentar por seus meios elevar e instituir seus caminhos para o céu. Buscar a verdade não é buscar o que nos convém e melhor satisfaz nossas necessidades e sim buscar aquele que é “O caminho , a verdade e a vida”, e por onde ninguém vai ao pai senão por ele. Qualquer esforço fora disso não trará benefício nenhum, nem para o corpo e nem para a alma.

Video relacionado:


Duração = 9min46s


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas