quarta-feira, 3 de maio de 2017

A insatisfação

Jesus disse “não se turbe o vosso coração”. Inquietações, angústias e todo tipo de inconstâncias que cercam o coração, tantas vezes soterrado pelas ofertas do mundo, fazem com que a alma vagueie numa tendência de perder o seu norte, perder o seu caminho, perder o horizonte para o qual deve convergir sua vida, sua jornada, caminhada e existência. Os períodos de aridez da alma, conhecida também por noite escura da alma, é uma graça concedida por Deus para aqueles que não passam por grandes tribulações e sofrimentos físicos. Essa graça cedo ou tarde todos devem passar porque, convenhamos, não estamos sofrendo em 100% do tempo de nossas vidas. Nossa caminhada não apresenta rotina mesmo que pareça apresentar. Se fosse assim, sempre estaríamos sofrendo e sabemos que não é verdade. Existe a tempestade e depois o arco-íris. O vento sempre sopra e as nuvens não ficam estacionadas no mesmo lugar por tempos prolongados.

Porém, quando nos parece estarmos como revoltos em alto mar, com uma sensação de que algo não está certo, é preciso atenção. É preciso ouvir a voz do coração. É preciso silenciar para ouvir a Deus. Se o desânimo bate à porta é preciso investigar as razões. Talvez nem seja desânimo, talvez sejam sentimentos conflitantes que estão a causar confusão. Pode ser que o norte para o qual devemos seguir está ofuscado por outras direções que como tentações se apresentam na vida das pessoas. E essa sensação, esse ofuscamento causa mal-estar porque, se Deus mora em nossos corações, a atenção que damos para outro alvo irá magoa-lo e estas náuseas espirituais irão nos atingir em cheio. Sentiremos a sensação de não estarmos fazendo a coisa certa, de estar faltando algo ou de estarmos falhando em algo que nos é pedido por Deus.

Jesus disse no evangelho que “o pai está sempre comigo porque faço o que é do seu agrado”. Eis uma verdade, será que não nos sentimos bem por que não estamos agindo conforme o agrado de Deus e por isso, com nossa amizade com ele meio manchada ou muito mais que manchada, ele não está a nos mostrar que precisamos mudar? Precisamos da tão constante conversão? Conversão em alguma área que não está configurada e semelhante a Jesus? Em nosso corpo quando algo não vai bem ele nos avisa através das dores. Como somos um composto de corpo e alma, para as coisas do espírito o mesmo acontece. Se algo não vai bem na caminhada da alma, logo somos avisados. O coração aperta, a consciência pesa e a mente recebe tudo isso. Bem verdade isso é e pode ser facilmente comprovado. Um exemplo apenas basta: Uma confissão bem-feita, válida e com verdadeiro arrependimento deixa o fiel, no dizer de muitas pessoas, “leve”. Fazer o bem para alguém, de forma gratuita nos dá uma paz muito grande no coração e as lágrimas que por ventura brotarem daí lavam a alma. Tudo prova de que voltamos para o caminho que agrada a Jesus.

Portanto não é preciso temer esses períodos, é preciso sim voltar-se para Deus em oração, pedir a luz do Espírito Santo, o auxílio de Maria e de nossos anjos da guarda, dos santos e santas de Deus para estreitarmos os nossos laços com Jesus, para que ele fique conosco assim como o Pai fica com ele, na unidade do Espírito Santo.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas