quarta-feira, 17 de maio de 2017

A perna curta da mentira

Não adianta pessoal, vamos concordar numa coisa, o ditado popular de que “mentira tem perna curta” é a mais pura verdade que poderia sair da boca do povo. Como sempre digo por aqui, elas são a parábola do povo. Parábolas, como bem sabemos, são uma forma literária de se contar alguma coisa de modo que sua mensagem possa ser melhor compreendida do que se fosse utilizado uma forma de expressão muito erudita ou acadêmica.

Pois muito bem, seguindo como sempre o propósito do blog, vamos iluminar a questão com os ensinamentos das sagradas escrituras. Antes, porém, vale que comentar que, o assunto da hipocrisia, tão condenada por Jesus, do oitavo mandamento da lei de Deus (não levantar falso testemunho) e das mentiras propriamente ditas já foram palco de outros artigos aqui neste blog. Desta forma, o intuito da presente reflexão é abordar o tema por outro ângulo. Não devemos ser ingênuos, o mal em nosso mundo está muito organizado. Ou alguém acha que se o diabo tenta uma pessoa com um tipo de pecado e ele não consegue intento então ele abandona a luta? Claro que não, ele se afasta, estuda a pessoa para tentar, por outro ponto de vista, por outro ângulo, arquitetar nova investida por outra parte a fim de averiguar quão guarnecida ou não ela possa estar. Colocada a questão às claras, vamos em frente.

No capítulo 14,1-5 do livro do Apocalipse está escrito que aquele em que não se achou mentira em sua boca, durante toda a sua vida, é considerado irrepreensível. Em Eclesiástico 7,14 lemos: “Cuida-te para não dizeres mentira alguma, pois o costume de mentir é coisa má.” Também em Eclesiástico 20,26 e 28 lemos que: “A mentira é no homem uma vergonhosa mancha: não deixa os lábios das pessoas mal-educadas. O comportamento dos mentirosos é aviltante, sua vergonha jamais os abandonará.” E em Efésios 4,25 vemos que “Por isso, renunciai à mentira. Fale cada um a seu próximo a verdade, pois somos membros uns dos outros.”

Pois é, caros leitores, nem precisamos ir adiante nas sagradas escrituras. Basta apenas mencionar que de Deus se diz no livro do Eclesiástico 39,24 que “São-lhe apresentadas as ações de todos os viventes, nada é oculto aos seus olhos.” Dessa forma, quem mente está mentindo contra si mesmo, dando falso testemunho, e ofende a Deus por achar que sua mentira, feita longe dos olhares humanos, passou despercebida pelo criador de todas as coisas. Quem mente pensando enganar ao outro, se engana quando pensa que nisso tudo Deus não foi envolvido.

No entanto, alguns podem dizer que se numa mentira for investida muito recurso, esse negócio de que ela tem perna curta não é verdade ou, vamos dar risada? É mentira! Afirmam essas pessoas que são experientes em nunca serem pegas e que vão levar para o túmulo suas gloriosas mentiras. Que estupidez, não percebem que se afirmam isso é porque passaram uma vida no erro e perante o justo juiz todas as suas mentiras terão sim, perna curta. Não há como escapar, cedo ou tarde seremos apanhados, caso estejamos a praticar a verdade do diabo, o pai da mentira. Deus pode nos fazer tropeçar e nos revelar na vergonhosa descoberta que é ser pego numa mentira. Essa é uma atitude de amor que ele faz aos que ainda não decidiram em definitivo viverem afastados dele. Mentira dá trabalho. É mais fácil lembrar de uma verdade do que lembrar de uma mentira porque para que a mentira se sustente muita infraestrutura precisa existir ao seu redor. E sempre se precisa aumentar um ponto do conto para que ela não caia na luz da verdade, que a tudo ilumina. Como vimos nas sagradas escrituras que o costume de mentir é algo mal, o é porque ele destrói nossa reputação e a capacidade que as pessoas tem em confiar em nós. Mentiras fazem com que as pessoas não consigam mais “colocar a mão no fogo” porque temem que o mentiroso regenerado e curado possa ter uma recaída. E como disse Jesus, a recaída é sete vezes pior. Assim como uma traição destrói a confiança conquistada em anos, a mentira destrói essa mesma confiança. Com o leite derramado então, nem chorar adianta. Atentos, vigilantes e firmes nos propósitos divinos, ao custo que for preciso, porque se queremos tanto ir ao céu, não iríamos gostar nem um pouco se no final de nossas vidas totalmente dedicadas a Deus, descobrimos que ele mentiu para nós o tempo todo. Nem sequer cogitamos pensar nessa hipótese e por que então não agimos da mesma forma? Já que temos que ser imitadores de Cristo? É só uma mentirinha, depois eu confesso. Nada disso, assim como um filhote de cachorro e um cachorro adulto são, de fato, cachorros, mentira é mentira não importa sua gravidade, sempre será algo errado. Antes de lembrarmos que a mentira tem perna curta e que podemos ser surpreendidos pela luz da verdade, recordemos que, antes da mentira, curta é nossa vida. Temos pouco tempo para alcançarmos a coroa da glória pois nem sabemos quanto viveremos por aqui. Porque então desperdiçarmos tempo com mentiras?


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas