quinta-feira, 25 de maio de 2017

Ação de Graças

Jesus rendia graças ao Pai, vemos isso nos evangelhos. Durante sua vida pública sabemos muito bem pelas escrituras que ele não teve moleza nenhuma. Fora a multidão que o seguia porque acreditava nele, haviam os que o seguiam para receberem curas e também os que o seguiam para encontrar uma ocasião de deslize da sua parte para condená-lo em suas atitudes. Sempre rodeado por pessoas de vários interesses não teve uma passagem fácil por aqui. Quantos queriam puxar-lhe o tapete? Quantos acorriam a sua pessoa com as mais diversas finalidades? No entanto Jesus nos mostrou como devemos nos comportar. Ele ouvia as pessoas, as respeitava, falava-lhes a verdade, não descriminava e os atendia não ferindo sequer algum princípio celeste. Jesus não era curandeiro, mas também curava, Jesus não era palestrante, mas também ensinava, Jesus não era partidário, mas não se afastava das verdades divinas. Era humilde e sabia que sem a comunhão com o Pai Eterno não era possível fazer o que fosse do seu agrado.

Seu comportamento, que deve ser imitado, nos mostra que não importa como são e como andam as coisas, devemos sempre agradecer.

Efésios 5,1-11 – “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos muito amados. Progredi na caridade, segundo o exemplo de Cristo, que nos amou e por nós se entregou a Deus como oferenda e sacrifício de agradável odor. Quanto à fornicação, à impureza, sob qualquer forma, ou à avareza, que disto nem se faça menção entre vós, como convém a santos. Nada de obscenidades, de conversas tolas ou levianas, porque tais coisas não convêm; em vez disto, ações de graças. Porque sabei-o bem: nenhum dissoluto, ou impuro, ou avarento - verdadeiros idólatras! - terá herança no Reino de Cristo e de Deus. E ninguém vos seduza com vãos discursos. Estes são os pecados que atraem a ira de Deus sobre os rebeldes. Não vos comprometais com eles. Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor: comportai-vos como verdadeiras luzes. Ora, o fruto da luz é bondade, justiça e verdade. Procurai o que é agradável ao Senhor, e não tenhais cumplicidade nas obras infrutíferas das trevas; pelo contrário, condenai-as abertamente.”

Como comprovado nas escrituras, temos que ser imitadores de Deus, seguindo o modelo por excelência que é Jesus, evitarmos tudo que não é bom e nem nos convém e darmos graças a Deus por tudo. Por tudo porque sempre aparece em nossas vidas uma oportunidade de amarmos mais a Deus. Enquanto tudo está bem, ótimo, mas do contrário saímos reclamando da vida que levamos, olhando para a cruz do vizinho que parece ser mais leve que a nossa. Esquecemos de olhar para os lados ou para trás para vermos que existem pessoas com cruzes mais pesadas. No entanto, Deus que cuida de todos é justo e a todos abertos ao seu amor, capacita, não enviando cruzes maiores do que nossa capacidade.

Façamos a experiência de visitarmos um hospital infantil, principalmente nós que somos pais, durante um horário de visitas. Lá no pátio da instituição, pais e familiares estão a tomar sol enquanto visitam seus filhos que estão internados. Aqueles que podem sair de seus leitos porque muitos não podem nem deixar seus quartos ou a UTI. Isso é sofrimento, o sofrimento de um pai e uma mãe que impotente assiste seu filho travar esse combate pela sua vida, que está nas mãos de Deus. Nos coloquemos no lugar dessas pessoas. Olhemos para nossos filhos. Podem até ter seus probleminhas ou nos dar alguns probleminhas, mas vivem conosco, aprendem de nós e estão se tornando pessoas que poderão ou já podem testemunhar o que o Cristo pode fazer na vida das pessoas tementes a Deus. Graças a Deus pelo que nos acontece, graças a Deus pelo que não nos acontece. Pelos filhos e filhas, maridos e esposas, familiares e amigos. Lembre-se quando for reclamar de alguém para alguém, ou reclamar de alguma coisa ou alguém para Deus, de que não existe injustiça em sua vida, pois se assim o fosse Deus seria um mentiroso e você poderia deixar esse negócio de religião de lado. A religião serve para religar o homem a Deus mas se Deus é o desmancha prazeres, o domador de leões que resolve tudo na base da chicotada, então comamos e bebamos porque amanhã morreremos (1ª Coríntios 15,32). Porém, se Deus é o que é (Êxodo 3,14), a conversa é bem diferente. Não nos cabe especular seus desígnios não revelados (Deuteronômio 29,29), nos cabe como criaturas que antes não existiam e agora podem alcançar pelas suas obras (Apocalipse 22,12) a vida eterna, render graças a Deus, que é amor e quis compartilhar esse amor conosco para todo o sempre.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas