quarta-feira, 10 de maio de 2017

As portas sempre se abrem

Mateus 7,7-8 – “Pedi e se vos dará. Buscai e achareis. Batei e vos será aberto.

Porque todo aquele que pede, recebe. Quem busca, acha. A quem bate, abrir-se-á.” Quão confortante é saber que Jesus, o bom pastor, olha para suas ovelhas com tamanha atenção. E é assim que precisamos nos sentir, como suas ovelhas. Como analogia percebamos o porquê dessa utilização nos textos bíblicos. O animal propriamente dito é de característica mansa, tem suas agitações, mas que são diminutas perante o todo. Quem já pôde visitar uma feira agropecuária ou mesmo alguma fazenda que tinham ovelhas sabe muito bem do que estou a falar. Observei nelas uma característica muito interessante, que pode se estender para toda a criação do reino animal. Quando novas, pequenas e filhotes, são agitadas e serelepes, inquietas. A medida que crescem, vão se desenvolvendo, amadurecendo, aprendendo coisas da vida e seguindo em frente. E não é assim com o ser humano?

Todavia, as ovelhas adultas são muito dóceis. Todas as vezes que visitei as tais feiras agropecuárias que tinham ovelhas, sempre aproveitei a oportunidade para abraçar literalmente uma ovelha. É muito legal! São macias por conta de toda aquela lã e deixam você acariciá-las. E é claro, são animais muito obedientes e de fácil manejo para seu criador. Assim devemos ser, dóceis e obedientes nas mãos de nosso criador. Uma ovelha nada quer além daquilo que precisa para viver. Nós, as ovelhas do rebanho de Jesus precisamos ser assim, precisamos querer o que precisamos e não querer o que queremos. Não existe para Deus uma ordem diferente. Primeiro ele nos concede o que precisamos e depois nos concede o que queremos se o que quisermos estiver conforme sua vontade e não interferir em nossa salvação. E configurados ao Cristo conforme a vontade de Deus é que podemos entender os versículos colocados no início do artigo. Ou seja, seremos atendidos na medida em que pedirmos o que estiver de acordo com o desejo do Pai. E as coisas são assim mesmo caros leitores. Recentemente recebi algumas graças de ser direcionado por Deus para outras de suas pastagens por conta da atividade pastoral da catequese. Ele cuida de cada um, não nos abandona e nos mantém trabalhando em sua vinha, apesar dos ventos contrários, como dizia Santa Paulina.

Assim acaba então por ser em todas as nossas áreas. Não que não passemos mais por dificuldades, tribulações e provações. Elas fazem parte, mas, as portas se abrirão, no tempo de Deus pois de nós é esperada a virtude que será recompensada no fim dos tempos:

E disse Jesus: Mateus 10,22 – “Sereis odiados de todos por causa de meu nome, mas aquele que perseverar até o fim será salvo.” Se nos fecham uma porta, Jesus, aquele que é a porta do céu, nos abre outra. Esperar em Deus, ser humildes e colocar nossas vidas aos seus cuidados, oferecer tudo que nos acomete a ele é prática cotidiana de todos os seus santos. Como diz o apóstolo, façamos o que convém a santos. Somos falhos e nossa limitação humana é constantemente perdoada por Deus na medida de nosso arrependimento. Não viremos as costas para aquele que sempre está de braços abertos, pois seu abraço nos coloca sob os melhores cuidados que nós, suas ovelhas podemos ter. As vezes somos tosquiados sim, pois ele nos quer ver crescer no amor e santidade, mas as vezes somos lavados pela sua misericórdia. Que possamos ser sempre assim, suas ovelhas, aquelas que ouvem a sua voz e lhe seguem, não importando o que aconteça.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas