sexta-feira, 19 de maio de 2017

As sete coisas que Deus odeia

Como bem sabemos caros leitores, de forma geral, muitos deslizes que o ser humano dá ao longo de sua vida, tentando chegar ao céu, acontecem porque tentando acertar o alvo e ser felizes, miram onde não se encontra a felicidade e desta forma pecam. Como erro pode nos levar a outro erro, caso descuidemos das coisas, o pecado funciona da mesma maneira. Pecado gera pecado. Como aprendemos que Deus odeia o pecado e não o pecador, dentro de tudo aquilo que ele odeia e com certeza não deve ser pouca coisa, nosso querido, bondoso e amado Deus quis, em seu cuidado de Pai, deixar por escrito no livro dos Provérbios uma passagem, no mínimo, interessantíssima a respeito daquilo que ele odeia. Vejamos:

Provérbios 6,16-19 – “Seis coisas há que o Senhor odeia e uma sétima que lhe é uma abominação: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, um coração que maquina projetos perversos, pés pressurosos em correr ao mal, um falso testemunho que profere mentiras e aquele que semeia discórdias entre irmãos.”

O olhar altivo é o oposto do olhar humilde. Língua mentirosa é aquela que não profere “A verdade” sobre tudo e sim a sua verdade. Mãos que derramam sangue inocente são aquelas que ferem o quinto mandamento. Coração maquinador é aquele que se preocupa consigo mesmo em detrimento do próximo e com isso agradando ao diabo. Na mesma linha, o coração que engendra seus malefícios tem a contribuição dos pés que tratam de aproximar a pessoa do seu intento. Um exemplo? A pessoa alimenta em seu coração o desejo de fazer algo errado e vencida pelo seu apetite desordenado fisicamente vai cometer o que não lhe convém. Um falso testemunho que profere mentiras, precisa ser bem entendido pois do contrário a pessoa tende a achar que o falso testemunho e a língua mentirosa são redundantes quando não é o caso. Deus quis deixar claro que ele odeia aquele que apenas fala mentiras e também aquele que pratica mentiras com suas atitudes. O ato de pecar já é uma mentira pois ele tem raízes em satanás, o pai da mentira. E por fim, o semeador de discórdias não é visto com bons olhos por Deus porque ao invés de procurar a unidade e comunhão das pessoas com Deus e com o próximo, procura para benefício próprio, puxar o tapete dos outros. É aquela pessoa que quer ver o circo pegar fogo, os outros que se danem contanto que ele fique por cima da carne seca.

Como vemos, caros leitores, o buraco é sempre mais embaixo. Deus nos mostra que certas atitudes e pensamentos são peças chave em nossa caminhada rumo aos céus. E são porque elas acontecem numa tentativa de preservar dos olhos alheios, o mal por trás disso tudo. Exatamente como faz o diabo. Vamos ver a importância dessas coisas que Deus odeia num pequeno exemplo que pode se utilizar de todas ao mesmo tempo? Vamos lá:

Uma pessoa, o marido, que quer tudo do seu jeito e não aceita a humildade em sua vida, se descontenta, por exemplo, com alguém, a esposa, que não lhe serve e atende na medida que ela acha que deve ser atendido, afinal, pensa ser um rei (o dono da casa) e todos a sua volta (filhos e mulher) seus súditos. Bem oposto do que Jesus nos manda fazer. Então está pessoa, o marido, diz que vai fazer alguma coisa (levar o carro no conserto), a esposa contesta porque precisa dele em casa ou para outras coisas, precisa de um marido e pai mais presente. Ele não acata, agride fisicamente e espiritualmente (mãos que derramam sangue inocente) e vai “levar” o carro para o conserto. Mas é mentira, ele vai apressadamente se encontrar com a amante (pés pressurosos em correr ao mal) e de fato coloca em prática essa atitude (falso testemunho que profere mentiras). Assim, o marido que se importa apenas consigo mesmo, promoveu em sua família muita coisa ruim (semeia discórdias entre os irmãos) e também na vida da amante, pois se ela é solteira ou não, isso não importa, ele está usando a pessoa e separando ela da concórdia com Jesus, ou seja, está martirizando esposa e filhos e pecando junto com a outra mulher. Perceberam? Num pequeno exemplo onde caberiam tantos outros, as sete coisas que Deus odeia trabalharam juntas para promover a destruição das famílias (do marido e da amante, mesmo que ela seja solteira pertence a sua família de origem), e colocar na ladeira dos ímpios que irão rolar para a condenação eterna pelo menos, de início, duas pessoas. Digo de início porque o mal gera consequência e dependendo da fé e do apego que os envolvidos tem com Jesus, podem ceder perante essa dor e sofrimento e acabarem mais tarde sucumbindo ao convite do diabo. Então, o que nos cabe, como bem podemos enxergar, é um esforço que no mínimo, deve ser o máximo durante todo o nosso tempo de vida. Vacilou, dançou, já dizia o ditado. Se sabemos que Deus odeia tanta coisa, nos esforcemos para não as praticar e nos esforcemos para não ficar arrumando desculpas para justificar nossos atos errôneos. No fim das contas, na frente do justo juiz, nossas desculpas terrenas só irão servir para nos acusar porque Jesus não espera explicação de ninguém para ver se o convencemos de que nossas atitudes podem nos permitir entrar no paraíso. Se tentarmos desesperadamente justificarmos nossas faltas ele pode até, “educadamente” ouvir, e depois simplesmente dizer: “Eu te avisei, eis agora a sua sentença:"


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas