terça-feira, 9 de maio de 2017

Dividir?

Provérbios 17,9-10 – “Aquele que dissimula faltas promove amizade; quem as divulga, divide amigos. Uma repreensão causa mais efeito num homem prudente do que cem golpes num tolo.”

Hebreus 4,12-13 – “A palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração. Nenhuma criatura lhe é invisível. Tudo é nu e descoberto aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.”

Mateus 10,34-36 – “Não julgueis que vim trazer a paz à terra. Vim trazer não a paz, mas a espada. Eu vim trazer a divisão entre o filho e o pai, entre a filha e a mãe, entre a nora e a sogra, e os inimigos do homem serão as pessoas de sua própria casa.”

João 7,38-43 – “Quem crê em mim, como diz a Escritura: Do seu interior manarão rios de água viva (Zc 14,8; Is 58,11). Dizia isso, referindo-se ao Espírito que haviam de receber os que cressem nele, pois ainda não fora dado o Espírito, visto que Jesus ainda não tinha sido glorificado. Ouvindo essas palavras, alguns daquela multidão diziam: Este é realmente o profeta. Outros diziam: Este é o Cristo. Mas outros protestavam: É acaso da Galiléia que há de vir o Cristo? Não diz a Escritura: O Cristo há de vir da família de Davi, e da aldeia de Belém, onde vivia Davi? Houve por isso divisão entre o povo por causa dele.”

João 10,17-19 – “O Pai me ama, porque dou a minha vida para a retomar. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou de mim mesmo e tenho o poder de a dar, como tenho o poder de a reassumir. Tal é a ordem que recebi de meu Pai. A propósito dessas palavras, originou-se nova divisão entre os judeus.”
Como vemos, caro leitor, dentro de alguns contextos bíblicos nós vemos que dividir apresenta a questão de não se concordar com algo. Muitos não concordaram com as palavras de Jesus e por isso, ao discordarem, se dividiram em opiniões. Também vimos que as palavras desse mesmo Jesus, as santas palavras de Deus, penetram em nosso ser até os confins do nosso íntimo. E assim, compreendemos que quando se trata de Deus, não devemos vacilar e ter receio da divisão. Jesus mesmo disse que quem não está com ele está contra ele. Uma escolha nos é oferecida, os lados nos são apresentados. O diabo, o enganador, aquele que divide quer nossa perdição, quer nos separar do amor de Deus. O apóstolo São Paulo diz que isso é impossível, mas, apenas se não virarmos as costas para o altíssimo. Do contrário aceitamos a catequese do mundo, nos revoltamos contra Deus e aceitamos primeiramente dividir nossos corações entre as coisas do mundo e as do céu. Depois vamos tomando gosto pelas coisas do mundo, que exigem menos esforço e dão mais prazer e terminamos assim nos fazendo inimigos de Deus (Tiago 4,4).

Não devemos deixar, portanto, brechas para que elas se tornem espaços que possam ser preenchidos com tudo aquilo que não satisfaz a alma. Nossa alma foi feita para Deus, tem sede de Deus e não se aquietará enquanto não se reencontrar no paraíso com ele, para viver a felicidade eterna. E qualquer divisão que devemos promover deve ser aquela que nos separa das ofertas do inimigo. A divisão a ser evitada a todo o custo e com o máximo de esforço é a que rompe nossa amizade com Deus e aqui, notem caros leitores, estamos refletindo a questão sempre sobre um patamar espiritual. Outros tipos de divisões na vida existem. Algumas trazem intrigas, discussões, outras trazem inimizades, outras nos trazem paz, outras servem para unir esforços e tantas outras formas. Cabe sempre a cada um discernir sob a luz do Espírito Santo o que fazer, o que decidir perante a escolha a se fazer. Perante a decisão a se tomar. Lembrando sempre que o que vale não é a nossa verdade, nem a verdade do outro e sim “A Verdade” – Jesus.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas