terça-feira, 20 de junho de 2017

A igreja está doente

“A fumaça de satanás entrou na igreja” – Paulo VI. Olá pessoal, benvindos mais uma vez ao blog. Hoje, a contribuição que vamos fazer está relacionada com a condição da religião católica e sua igreja, fundada por Jesus sobre a profissão de fé do apóstolo Pedro. E diga-se de passagem, como qualquer um pode atestar, católicos e não católicos, está muito doente. E vou ainda mais longe, mal nasceu, logo depois sob a influência satânica começaram os homens pecadores por arruiná-la de dentro para fora e de fora para dentro. Eis o que se lê por aí nos comentários e desabafos da internet:

Giselle Leigh (site paulopes) – “Se os católicos adoram um pedaço de pão dizendo que se transformou em Jesus após um de seus padres pronunciarem palavras mágicas sobre ele, se adoram todo tipo de bonecos de pau, pedra, gesso e metal, se adoram cadáveres, ossos e todo tipo de coisas, qual seria o problema em se adorar o Dr. Plínio e sua Mãe?”

Como podemos atestar, é claro para todo o católico que não existe fundamentação e embasamento ou argumento convincente para justificar e tornar vencedora esta frase que explica sob o ponto de vista de uma pessoa não católica, seu parecer sobre os membros da igreja de Jesus Cristo. Todavia o comentário apresenta um alerta que pode ser observado nas entrelinhas. Se dizemos que o comentário não é convincente é porque o comportamento dos membros do corpo de Cristo também não é convincente, infelizmente! Não há como negar toda a mácula que existe no catolicismo e nem vou me estender para outras denominações religiosas. Como católico de berço posso falar daquilo que vivo, presencio, estudo e acompanho todos os dias e que não é oculto e está ao alcance de todos. Vamos lá.
Os santos diziam que a doutrina da igreja é imutável mas o que se vê são frouxidões cada vez maiores e como resultado disso começam a acontecer casamentos gays nas igrejas, batismos de bebês de proveta gerados com o sêmen de casais homossexuais (e se acham casais), esforço para admissão de recasados à eucaristia e também dos homossexuais. Vale lembrar aqui o escândalo já abafado do fraquíssimo papa Francisco na cerimônia de lava-pés onde lavou os pés de um homossexual e depois ainda lhe permitiu receber a eucaristia. Tudo errado! Não pode receber a comunhão quem não quer comunhão com Deus. “Aquele que me ama guarda os meus mandamentos” – disse Jesus. Se a pessoa não “renuncia a si mesmo, toma a sua cruz dia após dia e segue o Cristo (Lucas 9,23), é um mentiroso e a verdade não está nele. Quer oferecer um amor com reservas para em troca ir aos céus mas não é isso que Jesus propõe em seu evangelho. Ou santos ou nada, ninguém vai ao céu disfarçado de bonzinho. As autoridades da igreja querem cada vez mais trazer elementos do mundo para dentro dela para angariar mais fiéis. Os sacerdotes nos Estados Unidos já estão a se pronunciar que a doutrina da igreja está muito rígida e que precisa ser revista.
Ora bolas, tenha paciência, são lobos disfarçados de cordeiro. Valha-me Jesus! A casa de meu pai, que é um lugar de oração, como nos atesta Jesus virou um comércio de graças, de indulgências, de carreirismos, passatempos e de eventos sociais. Já existem padres cogitando de se realizar celebrações distintas para recasados e homossexuais para não haver constrangimentos paroquiais entre os membros mais tradicionais. E Deus é visto somente como aquele que acolhe a todos independente de se guardar os preceitos. Pobres dos que pensam assim. Ela (a igreja) nos dias atuais e já a muito tempo, deixou de ser apostólica, como em suas origens que podemos acompanhar no livro dos Atos dos Apóstolos. Comunhões banalizadas e diminuídas. Festas de pessoas no presbitério durante a santa missa. Santas missas que não são mais rezadas e sim misturadas com elementos mundanos tudo em prol do pretexto incorretamente utilizado da inculturação. A igreja com o passar do tempo vai se institucionalizando mais e se divinizando menos. Não é à toa que os católicos sentem o pesar de seguirem Jesus; não por Jesus pedir e exigir o que pede e exige mas, por terem que conviver com a sujeirada que papas, bispos, sacerdotes e leigos promovem no meio do povo. Enfraquecida como tal, admite não ser detentora da verdade de Cristo, deixada nos evangelhos e mal da conta de administrar dignamente os sacramentos. Para aqueles que deixam as fileiras católicas, se justifica dizendo que de fato não eram verdadeiramente católicos.
Há um fundo de verdade nisso mas quanto aos que se afastam da igreja não indo para outras denominações religiosas, a estes não possuem um palavra. E porquê? Porque não querem pregar a autenticidade e radicalidade do evangelho de Cristo e sim a modernidade da igreja 2.0. Não existe mais na maioria o brilho nos olhos que nasce no coração das pessoas que fizeram a experiência com o Cristo Ressuscitado. Porque se faziam filas de madrugada nas portas das igrejas para se assistir uma missa de São João Maria Vianney ou do Padre Pio? Pois é... Porém, aos poucos que não querem se conformar com esse mundo (Romanos 12,2), estes se agarram na ortodoxia doutrinal católica e seguem o ensinamento que a Virgem Santíssima disse em suas aparições que devemos aprender com a vida e exemplo dos santos (Hebreus 6,12). Por que disse isso? Porque seu filho Jesus Cristo está vivo na sua igreja, ele vive através de seus santos. Aprendendo de Maria e com os santos e santas de Deus, apoiados na doutrina imaculada da igreja, que ainda existe e é acessível a todos, é possível, nos tempos que vivemos, empunhar o estandarte católico e professar o credo apostólico, vivendo aquilo que Jesus espera de cada um de nós. É difícil?
Claro que é, mas o perseverante será salvo (Mateus 10,22) afirmou Jesus. Devemos como nos ensinou o salvador, ser sal da terra e luz do mundo (Mateus 5,13-14). A igreja é santa, mas está doente por causa de seus membros, mas é celeste, padecente e triunfante e seu fundador já garantiu que não será derrotada (Mateus 16,18). Fiquemos firmes pois nunca veio do céu alguma promessa de que seria fácil. A arma do cristão, segundo Santo Antão, que é a oração, é o que devemos fazer. Orar a Deus pedindo as graças necessárias para nossa salvação e santificação já aqui nesta terra e também a conversão de todos os pobres pecadores. E depois, de joelhos dobrados é hora de arregaçar as mangas pois seremos julgados por nossas obras (Apocalipse 22,12).


Artigos relacionados:

O Islã e o Cristianismo

Ecumenismo condenado por Jesus

Papa Francisco distorce as verdades do evangelho

Mais sobre a fumaça de satanás na igreja

Papa Francisco e a reforma protestante


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas