quinta-feira, 8 de junho de 2017

A luz que vem do Deus da luz

Assim lemos no livro do Eclesiástico: “Vós, que temeis o Senhor, esperai nele; sua misericórdia vos será fonte de alegria. Vós, que temeis o Senhor, amai-o, e vossos corações se encherão de luz. Tende piedade de nós, ó Deus de todas as coisas, olhai para nós, e fazei-nos ver a luz de vossa misericórdia! Feliz aquele que se entregar a essas boas palavras; aquele que as guardar no coração será sempre sábio; pois, se ele as cumprir, será capaz de todas as coisas, porque a luz de Deus guiará os seus passos.”

Como podemos atentar, caros leitores, não podemos deixar nossos corações afastados de Deus pois longe dele que é a luz que precisamos para viver, eles ficarão soterrados pelas coisas do mundo e sentimentos que não nos permitem alçar voo até as glórias celestes. O aperto no coração, a angústia, o sofrimento, a dor e a tristeza brotam em nós porque, já nos ensinava Santo Agostinho: “contrariam a nossa vontade”. Tudo que contraria a nossa vontade nos causa sofrimento e dor. E se contraria nossa vontade é porque ela não está em conformidade com a vontade de Deus. Se assim for, estamos mentirosamente rezando a oração que Jesus nos ensinou. Professamos que seja feita a vontade do pai, mas não queremos abrir mão das nossas vontades. Não entregamos nossa vida 100% para Deus, queremos sempre ficar com alguma coisa para nós. Então nos colocamos na posição das crianças birrentas que se escabelam em gritos e encenações porque querem, querem e querem que as coisas sejam do seu jeito.

A bíblia nos ensina que tudo será iluminado pela luz de Deus, nada ficará oculto. Por isso muitos sofrem porque enxergaram nos prazeres do mundo, que estão na sombra, na obscuridade e na escuridão, um anestésico para se viver neste vale de lágrimas um inútil cristianismo sem dor. Se comportam como se tivessem feito uma aposta com Jesus dizendo: quer apostar como eu consigo entrar no céu trilhando um caminho inventado por mim? Que pesar e que lástima! Não é assim, não é assim! De forma tão clara é possível cada um notar em sua vida que a insistência em se viver o que se quer e não se viver o que se precisa empurra a pessoa para um caminho que não é a subida para a pátria celeste.

Não adianta, Jesus disse, “quem quiser me seguir renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga dia após dia” (Lucas 9,23). Ponto final. Eis aí um grande problema na vida de todo cristão. Renunciar a si mesmo. Quão duro é a prática da renúncia. E podemos dizer que é duro por conta de nossa própria culpa. A renúncia está ligada ao valor que damos para as coisas. Se algo não é de valor para nós, podemos renunciar a isso e deixar para lá. Agora, se atribuímos um alto valor para alguma coisa, nos custa muito abrir mão dela. A renúncia também está automaticamente ligada ao desapego.

Renunciar significa não dar valor nenhum para nós e dar todo o valor para Deus, desapegar de tudo que nos cerca, coisas e pessoas e se apegar totalmente em Deus. Também nos recorda isso Jesus no episódio do jovem rico. Perguntado o que devia fazer para ir ao céu, Jesus respondeu que precisa seguir os mandamentos. Então o jovem disse que já fazia isso e o que mais era necessário? Jesus disse que, se queres ser perfeito, vende teus bens, dá o dinheiro e me segue. E a história termina dizendo que o jovem foi embora triste. Qual a mensagem?

Se você faz a obrigação (segue os mandamentos, vai ser salvo), mas precisa para seres perfeito (ser santo – Mateus 5,48) desapegar para renunciar. Por isso o jovem ficou triste, porque tinha muitos bens e era apegado a eles. A lição é clara para todos nós.

Efésios 5,8-14 – “Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor: comportai-vos como verdadeiras luzes. Ora, o fruto da luz é bondade, justiça e verdade. Procurai o que é agradável ao Senhor, e não tenhais cumplicidade nas obras infrutíferas das trevas; pelo contrário, condenai-as abertamente. Porque as coisas que tais homens fazem ocultamente é vergonhoso até falar delas. Mas tudo isto, ao ser reprovado, torna-se manifesto pela luz. E tudo o que se manifesta deste modo torna-se luz. Por isto (a Escritura) diz: Desperta, tu que dormes! Levanta-te dentre os mortos e Cristo te iluminará (Isaías 26,19; 60,1)!”

João 1,4-9 - “Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. Houve um homem, enviado por Deus, que se chamava João. Este veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos cressem por meio dele. Não era ele a luz, mas veio para dar testemunho da luz. [O Verbo] era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem.”

João 8,12 - “Disse Jesus: Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.”


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas