terça-feira, 27 de junho de 2017

A opressão

Se existe uma coisa que o diabo e o mundo gosta de fazer é oprimir pessoas. Oprimir é fazer pressão, é sufocar, é pressionar, é exercer força coercitiva sobre uma situação ou alguém. Primeiro a pessoa é atacada pela opressão, que pode perigosamente se elevar ao patamar da depressão em alguns casos. O sujeito é pressionado pelos padrões da sociedade e essa opressão faz com que ele tente organizar sua existência conforme essas exigências. Se não conseguir, essa frustração irá desloca-lo da sociedade e a depressão poderá bater às portas. Ou então a pessoa se impõe uma auto exigência em forma de opressão, cobrando de si um comportamento ideal que não está ao seu alcance. Por não ser tangível e palpável a derrota sucessiva de suas tentativas poderá também lhe causar a depressão.

Seja como for, ao cristão uma coisa precisa ficar bem clara. Sozinho não conseguimos (João 15,5). Se não pedirmos ao Espírito Santo o dom da fortaleza, nossos problemas, dificuldades, tribulações e provações poderão terminar acabando conosco. Mais uma vez, sozinhos não conseguimos. A batalha existe, ela está aí para ser lutada, acoados num canto escuro, encolhidos esperando a poeira baixar não vai adiantar nada. Não basta evitarmos o mal, precisamos fazer o bem. Não basta suportar a opressão é preciso combate-la.

Assim como as doenças quando se instalam no organismo são combatidas pelos anticorpos e pela ajuda da medicina, da mesma maneira o combate não deve ser vivido de mãos vazias. Ao nosso dispor nosso criador nos deixou muitas coisas e muitas pessoas.

Deus nos enviou seu filho Jesus e ele disse que estará conosco todos os dias até o fim dos tempos. Jesus Cristo nos deixou sua igreja e os sacramentos. Aos pés da cruz Jesus nos confiou a sua mãe Maria Santíssima. Quando nascemos, Deus nos colocou sob a ajuda permanente do Anjo da Guarda. Deus nos concedeu a graça da comunhão dos santos. Nossa Senhora nos deu o Santo Rosário. Jesus nos deu a Eucaristia. Recebemos da sua igreja a bíblia sagrada. Jesus ascendeu aos céus e nos enviou o Espírito Santo. Precisamos de mais? Claro que sim, precisamos é ter vergonha na cara e parar de colocar todo esse auxílio divino, arsenal estupendo de lado e tentarmos orgulhosamente e miseravelmente enfrentar uma batalha com unhas e dentes onde cabe um esforço muito maior.

O diabo nos oprime, sutilmente, mas oprime. Digo sutilmente porque ele não pode empreender um ataque direto contra uma alma. Ele precisa atacar pelos flancos, pelas beiradas. Precisa pressionar aos poucos, um pouco aqui, um pouco ali, para experimentar a pessoa e ver onde é que ela cede, onde está o seu ou os seus pontos fracos. A batalha é feita de várias lutas pontuais. Precisamos sempre, como nos recorda São Paulo em sua carta aos Coríntios, tomar cuidado quando estamos de pé, para que não caiamos. Não sabemos quando é o ponto final dessa etapa de nossas vidas mas sabemos que ele será colocado pelo justo juiz, sentado a direita do pai, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Não devemos achar que a exigência do amor divino seja vista para nós como uma constante opressão. Assim quer o diabo que pensemos para que, unidos a ele, nos “libertemos” do fardo religioso e das proibições celestes para podermos viver aqui na terra como se ela fosse um lindo e grande parque de diversões, um paraíso sem Deus. Cuidemos, se ficarmos com a mente e o coração embotados não iremos enxergar o que precisamos e o que iremos ver é o que agradará apenas os sentidos. Cuidemos com o que agrada nossos sentidos. Nossos sentidos precisam ser agradados e agradar a Deus, não nos agradar e servir ao deleite de satanás.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas