terça-feira, 28 de novembro de 2017

A importância dos pequeninos

O Salmo 137 nos ensina que Deus olha os pequeninos e estes, os pequeninos, de suas bocas saem um louvor que confundem os adversários, nos ensina também o Salmo 8. Ora, os adversários, são aqueles que não caminham segundo a proposta de Jesus Cristo. São todos aqueles que adotam algo contrário ao sumo bem, puro e imaculado. Bem verdade também é, que nós, em meio as nossas fraquezas, muitas vezes permitimos com nossas quedas manchar nossa conduta perante os olhos do Altíssimo, fazendo com isso que nossas atitudes aumentem em desproporção às nossas obras. Que perigo reside nesta condição já que o Cristo nos advertiu que seremos julgados pelas obras (Apocalipse 22,12).

Ainda mais há de se saber sobre a importância que os céus colocam sobre a caridade sobre eles, os pequeninos. Em Mateus 10,42 vamos ler que “todo aquele que der ainda que seja somente um copo de água fresca a um destes pequeninos, porque é meu discípulo, em verdade eu vos digo: não perderá sua recompensa.” Pessoal, se Jesus disse que está de olho em nossas atitudes, até não escapando dele um ato de “dar de beber a quem tem sede” – obra de misericórdia temporal – quanto mais se colocarmos em prática seu mandato de pregar o evangelho por toda parte e, inclusive, para os pequeninos.

Confiados a nós por Deus, num compromisso assumido perante o altar, devemos educa-los no temor e na doutrina do Senhor (Efésios 6,4). Portanto, nada de relaxar na missão, embora a missão seja pregar o evangelho a toda a criatura. E vale ainda lembrar, devemos faze-lo por atos e palavras pois de grande valia é nosso comportamento e atitudes. E assim, mais uma vez, colocadas as coisas como foram pensadas por Deus, estive num encontro a convite dos catequistas da paróquia onde moro, mas não exerço a atividade de catequista, ministrando uma formação para pais e seus filhos da catequese infantil. Neste encontro levou-se até os participantes a importância de sermos vigilantes em cada detalhe de nossas vidas, para não nos distrairmos e por conta disso, acabarmos deixando essa distração nos conduzir aos pecados. Também puderam os presentes refletirem com as atividades propostas na questão de saber obedecer e saber porque se está obedecendo para que com isso, nossa religião não se torne apenas um fardo pesado ou um amontoado de rituais a se cumprirem.

É sempre importante ter em mente que o diabo odeia a todos, sem exceção e já está fazendo o seu melhor para destruir cada um de nós. Não se enganem ao pensarem que existe uma faixa etária livre dos ataques do inimigo. Ninguém está isento. Por isso, se a cada um de nós, adultos, já é sumamente importante construirmos nossa casa sobre a rocha (Mateus 7,24), o que dizer dos frágeis pequeninos tão visados pelo mal em tantas esferas. São abortos, maus tratos, pedofilia, ingresso prematuro no mundo das drogas e prostituição, gravidez precoce, orfandade não natural e tantas outras situações pelas quais muitos deles passam. Nós, os adultos, não devemos cruzar os braços pois o “o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar.” – 1ª Pedro 5,8.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas