sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Francisco cometeu um erro

Pessoal, a grande massa católica do mundo anda nos últimos anos unindo seus sofrimentos aos sofrimentos de Cristo. Há uma razão para tudo sem dúvida. É nisso que precisamos acreditar pois aprendemos das sagradas escrituras que até de algo ruim, Deus pode tirar algo de bom. Assim confirmaram os santos padres e a tradição. Nos planos de Deus, nos parece, se colocarmos um olhar mais atento, que a geração que está vivendo será a última. Somos tentados a achar que as coisas estão piorando mais e mais e parece vivermos num contexto apocalíptico. Nem é difícil pensarmos assim pois é isso exatamente que Deus quer de cada um: que vivamos como se a cada dia fosse o último. Tudo isso para não deixarmos para amanhã o trabalho que devemos ter no cuidado com a salvação de nossa alma.

Pois bem, lá vamos nós mais uma vez. Já sabemos que recentemente os bispos de Buenos Aires publicaram diretrizes para Amoris Laetitia que contradizem os ensinamentos de todos os papas anteriores. Estas são palavras de muitos e entre eles destaco mais recentemente o padre Gerald Murray, advogado canônico e padre de Nova Iorque. Falando ao EWTN (Rede Católica Global de Televisão), em 11 de janeiro, Murray chama a aprovação dessas diretrizes feitas pelo papa Francisco de “um erro”. E ele ainda acrescenta o pedido para que o papa “retire” a Amoris Laetitia, uma vez que está causando enormes problemas dentro da igreja.
Outro sacerdote que também tornou público sua insatisfação e repúdio pelos atos do papa foi Dom Peter West, que pediu para Francisco “revogar” a condecoração feita por ele, a Ordem de São Gregório Magno, a Lilianna Ploumen, uma ativista pró-aborto declarada e reconhecida internacionalmente. Em recente episódio, após o presidente atual dos Estados Unidos cortar a verba para a prática abortista, ela foi uma das promotoras de outras formas de arrecadação. Em 14 de janeiro Dom Peter afirmou que a igreja não deve honrar aqueles que acreditam ter o direito de matar os nascituros.

Diz ainda o sacerdote, locado na igreja de São João em Nova Jersey (Estados Unidos), que "O fato do papa Francisco condecorar uma ativista pró-aborto é equivalente a Jesus entregar um prêmio a Herodes. Dom Peter West recorda que Jesus não concedeu honras a pecadores públicos, nem os confirmou em seus pecados. Como vemos pessoal, as más línguas precisam se calar quando afirmam que os leigos desobedientes estão se revoltando contra o comando da igreja católica porque, ademais façam isso os católicos com suas famílias, dentro da própria hierarquia e magistério assistimos, graças a Deus e com fervor no coração por sermos católicos não modernistas, um grande movimento em prol do que realmente foi trazido dos céus na pessoa do Verbo Encarnado. A cada um é pedido um amor a Deus sobre todas as coisas, com todo nosso coração, alma e entendimento.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas