quinta-feira, 10 de maio de 2018

A presença oculta de Jesus

É bem sabido de muitas pessoas que um montante muito grande da população mundial pratica a conduta de São Tomé, precisam ver para crer. Algo bem contrário da fé e porque não dizer, totalmente contrário. Quem só acredita vendo caminha por este vale de lágrimas correndo perigo constante e um enorme risco de varrer para fora de sua vida tudo aquilo que não passa em detrimento daquilo que passa. Outras denominações e seitas religiosas pregam suas atividades baseadas no aqui e agora. Para muitos, esse negócio de Deus soa meio como papo furado porque ele (Deus), está lá em cima e nós aqui embaixo é que temos que conviver com as mazelas da vida. Como dizia no filme de Hollywood o ator Jim Carrey, Deus é um castigador que fica lá de cima com uma lupa “mirando” nas pobres formiguinhas (nós) aqui na terra.

O ver para crer é algo que o diabo gosta muito. Ele vende as alegrias e os prazeres no aqui e no agora, não no depois como recompensa por nossa perseverança em meio a uma vida de se carregar a cruz. O ensinamento do Cristo de que “a dor é filha do amor” cai por terra muito facilmente. Parece a todo instante que o ser humano precisa de chacoalhões para acordar de seu transe meio ao estilo morto-vivo, igual aos admiradores de vitrines dos shoppings, e começar a trabalhar pela sua salvação e a salvação dos membros do corpo de Cristo.

Durante toda a sua vida Jesus está ali, bem na sua frente; foi ele que disse que estará conosco até o fim dos tempos. As pessoas possuem o mau costume de não atribuir o dedo de Deus para muitas coisas que são de sua autoria. Justamente não sabem que são porque não se voltam para ele no constante movimento de conversão que precisa acontecer durante toda a vida. Ai daquele que percorrer esta jornada, esta etapa inicial de suas vidas eternas e for pego no seu último dia, na sua passagem pelo portal da morte vivendo num estilo de católico “Raimundo: um pé na igreja e outro no mundo”. Terá problemas porque Jesus disse que não se pode agradar a dois senhores. Isso vale inclusive para nós mesmos porque não podemos, quando o assunto é a salvação de nossas almas e não estamos configurados a Deus, agrada-lo e a nós também.

Façamos, portanto, um esforço diário para sermos bem-aventurados como disse Jesus: com olhos para ver. O que não podemos é ficar colocando nosso olhar e os outros sentidos a serviço de nossas vontades pois eles são alvos fáceis no combate das tentações. Quanto a isso nos foi dito pelo ressuscitado que mais vale entrar no reino dos céus faltando alguma parte física de nosso corpo, aludindo que mais importante que tudo por aqui é o acolá.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas do blog

Postagens mais visitadas no ano