segunda-feira, 4 de junho de 2018

Cortar o mal pela raiz

Em poucos minutos, se dermos asas às tentações e ouvidos na tentativa de dialogar com o inimigo, aquilo que era um pequenino ser se transforma num gigante de proporções colossais. Já diziam os santos padres que a tentação é mais facilmente vencida se for combatida nos primeiros instantes de sua gestação. Ao contrário, se ela receber atenção crescerá em força e poder com magnitude colossal e progressão aritmética.

Um dos problemas é que as pessoas esquecem da preciosidade que disse Jesus quando falou que “sem mim, nada podeis fazer (João 15,5).” Se ele falou nada, essas duas sílabas querem dizer o que dizem: nada! Não é nada exceto isso ou aquilo, é simplesmente nada. Eis aí a brecha humana que permite ao diabo tomar parte na situação. O homem acha que pode muitas coisas sozinho e pior, acha que pode muitas coisas sem o auxílio divino, sem Deus. Que lástima e que pesar; é um voo cego onde a insistência vai causar uma aterrisagem forçada e sem as rodas. Na certa será um grande estrago.

Ainda se fossem estragos de natureza material vá lá, mas é bem mais grave porque o campo de ataque do inimigo e seu alvo principal aponta para corpo e alma. Como no filme de ficção científica da Marvel Studios – Vingadores Guerra Infinita – onde o personagem Thor no combate final derrota (ou pensa que derrota) o vilão da história, surpreende-se com as palavras de que Thor deveria ter cortado a sua cabeça (a cabeça do vilão), uma vez que ele desferiu um golpe no peito do inimigo e isso não foi suficiente para conter o mal.

Na vida real deve ser assim, para conter o mal precisamos de medidas drásticas, São Paulo vai nos dizer em suas cartas que devemos resistir na luta contra o pecado até o sangue. Não poderia estar mais certo. Se lutamos pouco, vencemos poucas vezes e recaímos muitas. Se lutarmos muitas vezes, talvez ainda caiamos um pouco, mas será mais difícil a recaída e sobretudo se não estivermos sós, estivermos com Jesus. E vale lembrar que nossa meta é, assim como os santos, não cairmos mais.

Assim como no filme dos Vingadores foi preciso eles deixarem as diferenças de lado para lutarem por uma causa maior, juntos, devemos em nossas vidas deixar de lado nossos egoísmos e vivermos essa vida lutando por salvar nossas almas, porém, de mãos dadas com aquele que morreu por nossos pecados, Jesus Cristo que vive e reina para todo o sempre. Temos que escolher, dialogar com o mal ou arranca-lo de nossas vidas pela raiz.


fonte: Jefferson Roger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas