Santa Gianna Beretta

Santa Gianna Beretta Molla nasceu em Magenta, perto de Milão, Itália, em 4 de outubro de 1922 , décima de 13 filhos. Ainda jovem ela acolhe plenamente o dom da fé e da educação cristã , recebidas de seus bons pais. Como resultado , ela experimentou a vida como um dom maravilhoso de Deus , tinha uma fé na Providência e foi convencida da necessidade de oração.

Como uma adolescente e jovem adulta , ela era membro da Sociedade São Vicente de Paulo e oferecia seu tempo ao trabalho entre os idosos e pobres. Ao mesmo tempo ela se aplicava aos estudos , graduando-se em medicina e cirurgia na Universidade de Pavia em 1949 . No ano seguinte , ela abriu uma clínica médica em Meseno perto de sua cidade natal. Ela se especializou em pediatria na Universidade de Milão em 1952 e posteriormente deu uma atenção especial às mães, idosos e pobres.

Enquanto trabalhava no campo da medicina – que ela considerava uma “missão” e praticando como tal – ela aumentou seu generoso serviço à Ação Católica , especialmente entre os “muito jovens”, assumindo total doação para formar uma família verdadeiramente cristã.

Em sua vida de esposa e mãe, Gianna confiou o seu futuro à nossa Mãe Santíssima. Em 1954, um ano mariano, Gianna fez uma peregrinação a Lourdes, França como uma médica que acompanhava um comboio de pessoas doentes.Após o retorno de Lourdes, ela confidenciou a um amigo:” Eu fui a Lourdes para perguntar a Nossa Senhora se eu iria para as missões ou casar. Cheguei em casa ...e Pietro (seu futuro marido) entrou!". Quando Gianna conheceu Peter Molla , ela sabia que ele era o homem que Deus tinha escolhido para ela. Casaram-se e Gianna disse ao marido:”Eu quero realmente uma família Cristã, onde Deus seja um membro da família, que ele possa reinar em nossos corações, iluminar as nossas decisões e orientar nos nossos programas.”

Após seu casamento em 1955 ,três crianças nasceram: Pierluigi (1956), Maria Zita (1957), e Laura (1959). Após o batismo, cada criança foi confiada à proteção especial de Nossa Senhora do Bom Conselho. No entanto , quando ela engravidou novamente em 1961 , o médico de repente descobriu que ela estava desenvolvendo um fibroma no útero. O bebê estava agora no segundo mês. Cientista e pediatra, como ela era, notou a ameaça que o crescimento do tumor apresentava a sua vida se ela não se submetesse a uma cirurgia. Mas a operação do útero significava morte para o feto.

Gianna teve que tomar uma decisão heróica. Os médicos diagnosticaram um cisto ovariano grande e que exigia cirurgia. O cirurgião sugeriu a Gianna um aborto para salvar sua própria vida. Gianna foi firme e insistiu para que os médicos fizessem o que quisessem com ela desde que salvassem a criança. Ela se submeteu a cirurgia. Alguns mêses depois , numa sexta-feira, Gianna foi para a Monza Maternidade. O exame medico revelou um bebê grande, saudável mas com uma peritonite séptica fatal. Em 21 de abril de 1962, sábado santo, Gianna deu à luz sua última criança que chamava Gianna Emanuela. Gianna teve dor abdominal aguda. Ela recusou tomar medicamentos para dor porque não sentia que era apenas para aparecer diante do Senhor, sem muito sofrimento. Sete dias depois, ela morreu quando repetidamente ela dizia”Jesus, eu te amo, Jesus eu te amo”. Era 28 de abril de 1962. Ela tinha 39 anos. Seu corpo repousa no cemitério de Meseno, a 4 km de Magenta.

Em 24 de abril de 1994, o Papa João Paulo II beatificou Gianna Beretta Molla, mãe de família, na Praça São Pedro, em Roma. O papa disse que o seu testemunho foi um hino à vida. Na cerimônia de beatificação, o Santo Padre cumprimentou e abençoou em seu trono, aqueles a quem a heróica pediatra havia deixado nas mãos de Deus: seu marido Pietro, um dos seus filhos mais velho e Gianna Emanuela Molla, que nesta data havia acabado de completar 32 anos. O papa abençoou a jovem, mas Gianna Molla sabia que tinha sido abençoada desde a concepção, pelas mãos de Deus. Santa Gianna Molla continua a lembrar a Igreja e ao mundo da necessidade de uma ética de vida coerente, desde os primeiros momentos até os momentos finais da vida humana. Nós estamos sendo chamados ao heroísmo pela nossa escolha de vida. Peçamos a Santa Gianna que nos dê coragem de dar o primeiro passo. No domingo, 16 de maio de 2004 , o Papa João Paulo II canonizou a abençoada Gianna Beretta Molla e os defensores da pró-vida citaram ela como uma inspiração na luta contra o aborto.

Gianna Emanuela deve saber que sua mãe a amava muito. Tanto que deu sua vida para que Gianna Emanuela pudesse viver. Que belo pensamento para levar a vida. Que riqueza! E Gianna sabia que a coisa mais importante para a sua mãe era o bem-estar das crianças. A dra. Gianna amava muita Gianna Emanuela . Assim ela escreveu:” Olhe para as mães que realmente amam seus filhos, quantos sacrifícios fazem. Elas estão prontas para tudo, até para dar o seu próprio sangue para que o bebê cresça bem, saudável e forte .”

Santa Gianna Beretta - Padroeira das Mães e Médicos

Oração

Ó Deus , que disse que não há amor maior do que dar a vida para a pessoa amada,
nós agradecemos por nos ter dado Santa Gianna, um brilhante exemplo de verdadeiro amor e respeito pela vida.
Ajude-nos a compreender, viver e difundir isso, a sua mensagem: Reviva em todas as mulheres do mundo, o sentido de sua missão e o respeito por cada vida que é o dom de Deus, à custa do sacrifício.
Dê-nos a graça que esperamos e a alegria da intercessão de Santa Gianna que, a exemplo de Jesus, deu generosamente a sua vida para a vida dos outros.
Por Cristo Nosso Senhor.
Amém

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas